Daniel Ottoni
@dottoni
21/09/20
07h10

Dois pesos, duas medidas

CBV adota posturas diferentes para manifestações políticas similares

Entidade repudiou protesto de atleta contra o presidente Bolsonaro; atitude não foi a mesma quando então candidato recebeu apoio de atletas de quadra

Carol, à direita, é filha de Isabel, grande referência do vôlei brasileiro — Foto: CBV - Divulgação
Daniel Ottoni | @dottoni
21/09/20 - 07h10

A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) emitiu comunicado oficial, neste domingo, para repudiar gesto da jogadora Carolina Solberg, ocorrido após vitória da dupla da jogadora na etapa de abertura do Circuito de vôlei de praia. 

Após conquistar o terceiro lugar, Carol se pronunciou falando do jogo e agradecendo o apoio da família. Antes de encerrar sua fala, a jogadora gritou 'Fora, Bolsonaro!'', em protesto contra o atual presidente da república. Carol é filha de Isabel, uma das maiores jogadoras de vôlei do Brasil, que também se posiciona contra o atual governo.

"O grito estava engasgado na garganta. Ver esse desgoverno dessa forma, ver o pantanal queimando, 140 mil mortes e a gente encarando a pandemia desse jeito. Sinto-me, como atleta, na obrigação de me posicionar", comentou Carol ao Uol, neste domingo. 

Não demorou para o gesto da atleta repercutir nas redes sociais, gerando a nota da CBV, que informa que "expressa, de forma veemente, o seu repúdio sobre a utilização dos eventos organizados pela entidade para realização de quaisquer manifestações de cunho político. O ato praticado neste domingo em nada condiz com a atitude ética que os atletas devem sempre zelar. Aproveitamos ainda para demonstrar toda nossa tristeza e insatisfação. O evento não poderia ser manchado por um ato totalmente impensado praticado pela referida atleta. Por fim, a CBV gostaria de destacar que tomará todas as medidas cabíveis para que fatos como esses, que denigrem a imagem do esporte, não voltem mais a ser praticados", cita o comunicado.

Atitude a favor do presidente teve repercussão diferente da CBV

Muitas críticas apareceram assim que a CBV emitiu o comunicado. Isso porque a postura da entidade foi outra quando atletas da seleção de vôlei de quadra manifestaram apoio ao presidente durante o período de candidatura das eleições. Na oportunidade, a CBV informou que "não compactua com manifestaçao política e acredita na liberdade de expressão, não se permitindo controlar as redes sociais pessoais dos atletas".

Mesmo citando, na oportunidade, que tomaria providência para evitar novas manifestações políticas, o tom me pareceu bem diferente nos dois casos citados. Ao meu ver, situações parecidas e pesos distintos.  

 

Esportivamente

Esportivamente

Daniel Ottoni é repórter de esportes especializados do jornal O Tempo, do portal Super.FC e da rádio Super. Com experiência de cobertura em Copa do Mundo, Olimpíada e Mundiais de vôlei, tem uma predileção por bastidores e lado B. Por aqui, espaço para os esportes que têm uma religião chamada futebol como concorrente em muitos momentos.

Escreva um comentário
Comentar

Ver todos
Fechar

Leia também:

Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000