Recuperar Senha
Fechar
Entrar
h
Presidente do Atlético criou polêmica com declarações após o jogo
Foto: Leo Fontes / 17.12.2018
Enviar por e-mail
Imprimir
Thiago Nogueira
10/05/18 - 08h00

A torcida alvinegra e a diretoria do Atlético estão em pé de guerra. Os motivos são vários e começaram antes mesmo da partida contra o San Lorenzo pela Copa Sul-Americana, quando foi anunciada a escalação do time reserva para o confronto. O clima deteriorou ainda mais após a eliminação no jogo de terça-feira (8) e as declarações do presidente Sérgio Sette Câmara, confirmando a decisão de priorizar o Brasileiro e a Copa do Brasil.

Ao assumir o clube no fim do ano passado, Sette Câmara adotou uma postura de austeridade financeira, sem investimentos exorbitantes, apostando em contratos de empréstimo e quitando dívidas passadas. Alheia a essas ações internas, a Massa cobra resultados dentro do campo.

Nessa linha, é possível pleitear o título de campeão brasileiro ou da Copa do Brasil? Na última terça-feira, no Independência, e especialmente nos últimos dias, pelas redes sociais, a direção do clube foi criticada pelas decisões extracampo.

Sem meias palavras, o mandatário alvinegro disse que os críticos lhe darão razão futuramente e que tudo está sendo trabalhado de forma conjunta entre diretoria e a comissão técnica. “Esses que estão protestando aí serão os mesmos que vão gritar meu nome quando nós formos campeões”.

Pelo Twitter do SUPER FC torcedores foram perguntados se eles concordaram com a decisão da presidência de abrir mão da Sul-Americana. Até o início da noite de quarta-feira (9), 76% discordam da posição da diretoria. O SUPER FC também quis saber se o Atlético vai ser campeão brasileiro, o grande objetivo da diretoria. O resultado parcial mostrou 78% de descrença.

Repercussão. O prestígio da Sul-Americana também foi assunto entre os jogadores. Perguntado, o capitão Leonardo Silva minimizou a declaração do presidente. “No calor do momento, ele acabou dizendo palavras que foram mal interpretadas pelos torcedores e por outros. Valorizamos cada competição, principalmente, as já conquistas pelo Atlético”.

Erik também valorizou a Sul-Americana. Em 2014, ele, em início de carreira, foi vice-artilheiro do torneio, com quatro gols, quando atuava pelo Goiás. A equipe goiana chegou às oitavas, mas foi eliminado pelo Emelec-EQU.

“Qualquer competição eu quero vencer, conquistar resultado positivo. Isso marca a vida do atleta. Lembro de um momento que essa competição mudou a minha carreira pra ter condições de vestir a camisa de um grande clube. Ela abriu portas”.

De saída

Bye, bye! O volante Roger Bernardo teve o seu vínculo rescindido com a diretoria atleticana de foram amigável.

Contrato. O jogador chegou no meio do ano passado, mas não estava nos planos para a temporada. Seu vínculo era longo, até julho de 2020. O alto salário, por sua vez, dificultava o empréstimo para outra equipe.

Outro. Quem também está próximo da saída é o lateral-direito Samuel Xavier. Contratado no início do ano junto ao Sport, o jogador foi um pedido do ex-técnico Oswaldo de Oliveira, porém, as atuações fizeram com que não gozasse da paciência da torcida e até de pessoas do clube.

avatar
Li e aceito os termos de utilização
Cadastre-se para poder comentar
Fechar

Polêmica

Presidente e torcida fora de sintonia
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório