Gabriel Pazini
@Gabriel_Pazini
21/04/21
20h51

Decepcionante

Galo joga mal, melhora com Zaracho, mas só empata na estreia na Libertadores

Atlético tem primeiro tempo pífio, cresce um pouco no segundo, mas sai da Venezuela apenas no 1 a 1 com o La Guaira

Galo ficou só no empate na Venezuela — Foto: MANAURE QUINTERO / POOL / AFP
Gabriel Pazini | @Gabriel_Pazini
21/04/21 - 20h51

Muito decepcionante. A estreia do Atlético na Copa Libertadores foi ruim e terminou apenas com um empate por 1 a 1 com o Deportivo La Guaira, na Venezuela, nesta noite, em duelo pelo grupo H da competição. Foi a primeira vez na história que o time alvinegro não venceu um duelo com uma equipe venezuelana, vendo os 100% de aproveitamento chegarem ao fim. Nos seis anteriores, foram seis vitórias atleticanas.

Sem repertório, com uma atuação coletiva pífia e um futebol extremamente previsível, o Galo teve um péssimo desempenho ofensivo, não conseguiu furar o bloqueio defensivo do adversário e, mesmo tendo a posse de bola durante mais de 70% do tempo de jogo, sofreu para criar chances claras de gol, especialmente no primeiro tempo, que foi horrível e terminou com vitória dos venezuelanos por 1 a 0, com o zagueiro Martínez, do La Guaira, subindo ao ataque para passar por facilmente por Guga e Réver na defesa mineira e abrir o marcador, aos 21 minutos.

Nesta altura da partida, enquanto o La Guaira já tinha finalizado duas vezes com perigo, com uma sendo salva por Everson e a outra entrando na rede, o Atlético não tinha criado uma chance de gol sequer. Mesmo tendo a posse de bola durante mais de 60% do tempo, nos primeiros 30 minutos de jogo, o time brasileiro não conseguiu fazer uma jogada bem trabalhada, não finalizou a gol e abusou dos cruzamentos: 14. O Galo tinha a pelota, mas não produzia nada.

Na base do abafa, isso mudou um pouco a partir dos 33 minutos, quando o Atlético conseguiu três finalizações perigosas em três minutos, mas duas foram em chutes de fora da área e outra após cruzamento. Logo depois, o La Guaira ainda teve boa chance de ampliar o placar.  O Galo, na realidade, apesar das três boas oportunidades, seguia um deserto ofensivo e criativo, com uma atuação pífia. Apenas no primeiro tempo, foram 28 cruzamentos, sendo somente sete corretos, um desempenho péssimo de uma equipe previsível e uma derrota parcial de 1 a 0.

Não à toa, mudanças foram feitas já no intervalo. Hulk entrou no lugar do apagado Savarino, e a teimosia em deixar Zaracho no banco finalmente acabou, com o argentino entrando no lugar de Allan. E o volante, que vinha sendo o melhor jogador do Atlético na temporada até ser sacado sem motivo por Cuca, mostrou que não faz sentido algum ele ficar na reserva e precisa ser titular.

Na volta do intervalo, o desempenho alvinegro melhorou com a entrada de Zaracho em campo. O meio-campista argentino melhorou consideravelmente a transição e a movimentação no seu setor, além de se infiltrar bem no ataque. No entanto, ainda que tenha criado mais oportunidades de gol e melhorado, o Galo seguiu com atuação ruim e sem criatividade, abusando dos cruzamentos para a área e tentando pressionar na base do abafa, sem repertório, organização e variação de jogadas. A entrada de Hulk, por exemplo, não surtiu efeito. O atacante não produziu muito.

O Atlético, porém, era superior e pressionava na base do abafa, e a pressão foi tanta que, mesmo sem apresentar bom futebol, seguindo com enorme dificuldade criativa e em apresentar variações em seu jogo e possibilidades ofensivas, o time chegou ao empate justamente com Zaracho, aproveitando rebote do goleiro adversário após chute de Arana, de fora da área.

No entanto, o futebol previsível e muito decepcionante não fez o Galo conseguir virar o jogo. Sem êxito em combinar e criar boas jogadas, o time de Cuca seguiu abusando das finalizações da intermediária, de média e longa distância, e dos cruzamentos na área. Ao longo da partida, foram incríveis 60 cruzamentos. O resultado só não foi completamente péssimo como a atuação alvinegra porque Everson, nos minutos finais do jogo, salvou o Atlético com três defesas excelentes e muito difíceis, evitando uma derrota. Em noite de exibição pífia, a equipe atleticana pode agradecer ao seu goleiro por sair da Venezuela com um empate.

Depois da decepção contra o La Guaira, o próximo compromisso do Atlético é neste sábado (24), contra o Athletic, pela última rodada do Campeonato Mineiro. O Galo, com o primeiro lugar já garantido, deve jogar com um time reserva. Pela Libertadores, o próximo duelo é na terça-feira (27), em casa, contra o América de Cali, da Colômbia.

FICHA TÉCNICA 

DEPORTIVO LA GUAIRA 1 x 1 ATLÉTICO

Motivo: 1ª rodada do grupo H da Copa Libertadores

Data: quarta-feira, 21 de abril de 2021

Local: Estádio Olímpico da Universidade da Venezuela, Caracas, Venezuela

Árbitro: Facundo Tello (ARG)

Auxiliares: Ezequiel Brasilovsky e Pablo González (ambos da Argentina)

Escalações:

La Guaira
Olses; Agnel Flores, Adrían Martínez, La Mantia, Pernía e Cumaná; Arles Flores, Hurtado (Aramburu) e Cermeño (Marín); Reyes (Ángelo Peña) e Darwin González (Yackson Rivas)
Técnico: Daniel Farías

Atlético
Everson; Guga, Réver, Junior Alonso e Arana; Tchê Tchê (Nathan), Allan (Zaracho) e Nacho Fernández; Savarino (Hulk), Vargas (Marrony) e Keno (Sasha)
Técnico: Cuca

Gols: Martínez (La Guaira); Zaracho (Atlético)

Cartões amarelos: Olses (La Guaira); Sasha (Atlético)

---

Em tempos de desinformação e pandemia, o jornal O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Continue nos apoiando. Assine O TEMPO.

Escreva um comentário
Comentar

Ver todos
Fechar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000