Gabriel Pazini
@Gabriel_Pazini
22/08/20
20h56

Brasileiro

Sampaoli muda tudo três vezes, Galo pressiona muito, mas perde para o Inter

Atlético tem três esquemas táticos diferentes ao longo do jogo, faz bom segundo tempo, mas acaba derrotado no Beira-Rio

Galo é derrotado pelo Internacional no Beira-Rio — Foto: Ricardo Duarte/Internacional
Gabriel Pazini | @Gabriel_Pazini
22/08/20 - 20h56

Saiu Guga e entrou Mariano e o time teve três zagueiros: Igor Rabello, Réver e Junior Alonso. Jorge Sampaoli apostou no Atlético num 3-5-2 para encarar o Internacional no Beira-Rio, nesta noite, pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro. A ideia, no entanto, foi um desastre na prática no primeiro tempo, com o Galo tendo uma atuação ruim e vendo o Inter abrir o placar com Thiago Galhardo.

Não à toa, o treinador argentino mudou a equipe mineira logo no intervalo, colocando Marquinhos e promovendo a estreia de Sasha e mudando o esquema tático para o 3-4-3. O Atlético melhorou consideravelmente e passou a mandar no jogo, pressionando muito o Inter. Faltavam, porém, chances mais claras de gol, o que fez Sampaoli mudar novamente o estilo e esquema tático do Galo, sacando Igor Rabello para a entrada de Alan Franco e jogando no 4-3-3. O time alvinegro seguiu superior e pressionando, e fez um segundo tempo bom, no entanto, não foi suficiente, e o Atlético, mesmo mostrando um arsenal de opções e modificações táticas, acabou derrotado no Sul do Brasil por 1 a 0 pelo Colorado.

O jogo

O início foi, talvez, o pior começo de jogo do Atlético na Era Sampaoli. Perdido, o Galo começou muito mal e vendo o Internacional muito superior e chegando com facilidade ao ataque e criando chances, com o time atleticano mal conseguindo passar do meio-campo e produzindo nada em campo.

Não à toa, a superioridade colorada rendeu frutos, com o Inter abrindo o placar logo aos sete minutos de jogo, com Thiago Galhardo concluindo a jogada que ele mesmo começou após receber bela assistência de Patrick. A defesa alvinegra, mesmo com três zagueiros, errou no posicionamento, com o atacante da equipe gaúcha se infiltrando com facilidade na zaga atleticana, passando entre dois defensores com tranquilidade e tocando no canto, na saída de Rafael.

No entanto, depois do início muito ruim, a partir dos 15 minutos de jogo, o Galo até equilibrou as ações e o jogo se tornou mais disputado, muito pegado no meio-campo, mas, de forma geral, o time de Jorge Sampaoli fez um primeiro tempo ruim e não produziu bem em uma partida que passou a ser muito brigada e ter raras boas chegadas ao ataque e praticamente nenhuma oportunidade de gol.

Do lado alvinegro, se defensivamente, os três zagueiros não fizeram diferença, o fato de ter cinco homens no meio-campo e mais liberdade para Mariano e Arana, também não mudou nada nos primeiros 45 minutos. Improdutivo, o Atlético teve mais posse de bola e trocou muito mais passes que o Inter: 250 contra 139, mas não conseguiu levar perigo ao gol defendido por Lomba, não tendo uma chance clara de marcar sequer ao longo de todo o primeiro tempo. Hyoran, especialmente, teve péssima atuação. O Galo finalizou apenas três vezes na etapa inicial, sendo nenhuma delas com perigo, enquanto o Colorado chutou seis vezes a gol.

Segundo tempo

Não à toa, depois do primeiro tempo muito ruim, Sampaoli mudou o Atlético logo no intervalo, com Marquinhos e Sasha entrando nos lugares de Marrony e Jair, tornando o time mais ofensivo.

As mudanças surtiram efeito, e o Galo melhorou consideravelmente. O time de Sampaoli passou a ter um ritmo muito melhor, mais intensidade, controlar as ações e chegar com mais facilidade ao ataque, especialmente com Marquinhos muito bem pelo lado esquerdo e Sasha se movimentando bem e sendo um bom pivô. Com os escolhidos do treinador argentino entrando muito bem no jogo e a mudança tática, o Atlético passou a ser superior, chegou a ter 70% de posse de bola e levar perigo, apesar de Lomba não ser obrigado a fazer nenhuma defesa difícil, tanto que Coudet se viu obrigado a mudar o Inter, e colocou o volante Musto no lugar do meia-atacante Marcos Guilherme para tentar conter o ímpeto alvinegro. Sampaoli, porém, respondeu imediatamente, colocando Savarino no lugar de Keno.

No 3-4-3, o Galo melhorou e teve mais intensidade e amplitude, e além de Savarino e Marquinhos bem pelas pontas, Mariano e Arana, sumidos no ataque na etapa inicial, passaram a aparecer muito no campo ofensivo no segundo tempo, inclusive criando chances e até tentando concluir jogadas.

A etapa final passou a ser basicamente um ataque contra defesa, com o Galo pressionando o Internacional o tempo inteiro. Faltavam, porém, chances mais claras e o gol, o que fez Sampaoli mudar novamente o esquema tático do Atlético, tirando um dos zagueiros, Igor Rabello, para colocar o volante Alan Franco, e passar a jogar no 4-3-3. O time mineiro manteve o domínio das ações, seguiu pressionando muito e até teve duas chances mais claras de marcar, levando muito perigo ao gol colorado, mas não conseguiu o tento. Em mais uma tentativa de marcar, Sampaoli trocou Hyoran pelo centroavante Bruno Silva, aos 34 minutos. A pressão atleticana continuou, mas sem ser muito efetiva, e o Galo acabou mesmo derrotado no Sul, por 1 a 0, apesar da boa atuação no segundo tempo após as mudanças de Sampaoli.

Com o resultado, o Atlético segue no terceiro lugar do Campeonato Brasileiro, mas vê o Inter abrir três pontos de vantagem e voltar a ter a liderança do torneio. Além disso, o segundo colocado Vasco tem os mesmos nove pontos do time alvinegro, mas dois jogos a menos na tabela e ainda joga na rodada. Após duas derrotas seguidas na competição nacional, o Galo agora volta suas atenções para a final do Campeonato Mineiro, que pode marcar o primeiro título da criticada gestão de Sérgio Sette Câmara. O primeiro duelo da decisão é nesta quarta-feira (26), às 21h30 (de Brasília), contra o Tombense.

FICHA TÉCNICA

INTERNACIONAL 1 x 0 ATLÉTICO

Motivo: 5ª rodada do Campeonato Brasileiro 2020

Local: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (Fifa/SP)

Assistentes: Daniel Luis Marques e Evandro de Melo Lima (ambos CBF/SP)

Escalações:

Internacional
Lomba; Saravia, Zé Gabriel, Víctor Cuesta e Moisés; Edenílson, Rodrigo Lindoso, Patrick (Rodrigo Moledo), Boschilia (D'Alessandro) e Marcos Guilherme (Musto); Thiago Galhardo (Peglow)
Técnico: Eduardo Coudet

Atlético
Rafael; Igor Rabello (Alan Franco), Réver e Junior Alonso; Mariano, Jair (Sasha), Allan, Hyoran (Bruno Silva) e Arana; Keno (Savarino) e Marrony (Marquinhos)
Técnico: Jorge Sampaoli

Gols:
Thiago Galhardo (Internacional, aos 7min)

Cartões Amarelos:
Marcos Guilherme (Internacional)
Junior Alonso e Jair (Atlético)

Escreva um comentário
Comentar

Ver todos
Fechar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000