Recuperar Senha
Fechar
Entrar
ATLÉTICO-PR X CRUZEIRO
Com dois gols no segundo tempo, o Cruzeiro conquistou uma importante vitória sobre o Atlético-PR, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.
Foto: ESTADÃO CONTEÚDO
Enviar por e-mail
Imprimir
Josias Pereira | @SuperFC
16/05/18 - 23h49

O torcedor do Cruzeiro teve que esperar até o fim. Mas não se decepcionou. A Raposa segue na sua toada em 2018. Em todas as frentes, diga-se de passagem. Na noite de ontem, foi a vez de dar as cartadas na Copa do Brasil. Atuando na Arena da Baixada, o atual campeão da Copa do Brasil venceu o Atlético-PR por 2 a 1, de virada, com dois gols na reta final do confronto. Primeiro com Henrique, aos 34 min, e depois com Raniel, aos 47 min. Uma longa espera agora se interpõe à Raposa. O jogo da volta acontece só depois da Copa da Rússia, no dia 16 de julho, no Mineirão. Mas a classificação às quartas se encaminha com um empate. 

Nesta maratona, o próximo passo objetivo é sábado. O clássico mineiro no Independência, pelo Campeonato Brasileiro. Três pontos atrás do rival na tabela, o Cruzeiro pode encostar nos líderes do torneio nacional e dar mais um passo no planejamento da temporada. 

O JOGO  
O Cruzeiro iniciou sua jornada na corrida dos milhões da Copa do Brasil deste ano até acossando a saída de bola do Atlético-PR. Um time consciente, tentando controlar a posse de bola. Mas o Furacão de Fernando Diniz também tinha suas armas. Aquele jogo buscando as subidas pelas laterais, principalmente na ponta direita. Aos poucos, o time da casa foi testando o sistema defensivo do Cruzeiro no jogo aéreo. Mas a Raposa não se intimidava. Aos 26 min, Sassá subiu de cabeça, mas tirou muito do goleiro Santos na hora daquela "casquinhada". 

Os paranaenses, por sua vez, insistiam. Reclamaram de pênalti em uma bola cabeceada por Thiago Heleno e desviada por Dedé de ombro. E quando o Cruzeiro parecia muito mais equilibrado, eis que veio o castigo na bola parada. Fábio, sem dúvidas, é um dos melhores goleiros do país, mas os grandes também erram. O camisa 1 deu um passo em falso e quando tentou se recuperar aceitou o chutaço de Carleto. Uma pancada do meio da rua, aos 41 min da etapa final, para vazar a defesa celeste. O Cruzeiro não sofria um gol há cinco jogos. 

Mano Menezes não promoveu nenhuma mudança de cara na segunda etapa. Confiou nos 11 que mandou a campo. Atrás no marcador, o time estrelado esboçou um retorno animado. Mas o jogo morno tomou conta. Muitos erros, a falta daquele último passe mais caprichado. E isso dos dois lados. 

Faltava algo para acender aquela chama meio apagada na Arena da Baixada. Quem iria animar o duelo seria Henrique. No dia do seu aniversário de 33 anos, o capitão do Cruzeiro não pensou duas vezes. Aos 34 da etapa final, o camisa 8 viu o clarão e chutou forte da ponta direita. A bola desviou em Thiago Heleno e foi parar no fundo das redes de Santos. E como quem espera sempre alcança, Raniel, que entrou na vaga de Sassá, ganhou do marcador na disputa e fez o gol da vitória, aos 47 min. Um passe magistral de Sassá. A quarta vitória seguida do Cruzeiro na temporada. 

avatar
Li e aceito os termos de utilização
Cadastre-se para poder comentar
Fechar

Copa do Brasil

Com virada no finalzinho, Cruzeiro vence Atlético-PR na Arena da Baixada
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório