Josias Pereira
@superfcoficial
14/05/19
12h14

Rival do Cruzeiro

Análise do River: tabu no Monumental, instabilidade e crescimento na hora H

Argentinos não fizeram uma grande fase de grupos, mas sobem de produção no mata-mata; condições da equipe dependem muito do futuro: a recuperação de lesionados, saída de atletas importantes ou a chegada de reforços

Marcelo Gallardo enfrenta o Cruzeiro novamente pela Copa Libertadores — Foto: River Plate/Site Oficial
Josias Pereira | @superfcoficial
14/05/19 - 12h14

O River pode ter oscilado na fase de grupos da Copa Libertadores, terminando na segunda posição da chave A, com 10 pontos, atrás do Internacional, o líder, com 14, mas é um time que parece 'virar a chave' quando se defronta com um mata-mata pela frente. Ao Super FC, o jornalista argentino Alexis Usatinsky, produtor do programa "Jogo Bonito", da Rádio Cut, e também da atração comandada pelo famoso jornalista local Fernando Niembro, analisou o momento do River e outras variantes que fazem deste confronto diante do Cruzeiro ser uma verdadeira final antecipada da Copa Libertadores. 

River: tabu diante de brasileiros, mas que apronta fora de casa

"Vai ser um rival, sem dúvida, muito duro. Um River que nos mata-matas sob o comando de Gallardo tem se mostrado muito forte, e que já conseguiu ir ao Brasil neste período para eliminar rivais complicados, como o próprio Cruzeiro e mais recentemente o Grêmio, resultados conquistados após derrotas dentro do Monumental", aponta Sérgio, atentando para uma curiosidade na Copa Libertadores.

"Essa equipe de Gallardo tem uma particularidade em relação aos brasileiros. Foram cinco confrontos na Libertadores e mesmo que tenha arrancado vitórias dentro do Brasil, o River jamais conseguiu vencer os brasileiros jogando na Argentina, no Monumental. Recordamos as últimas ocasiões, derrota para o Cruzeiro (1 a 0, em 2015), empate com o São Paulo (1 a 1, em 2016), empate com o Flamengo (0 a 0, em 2018) e derrota para o Grêmio (1 a 0, em 2018), empate com o Internacional neste ano (2 a 2). O Cruzeiro é um rival que pode trazer muitas complicações ao River e que podemos chamar, assim como afirmou o presidente Wagner Pires, de uma final antecipada da Libertadores", ressaltou o jornalista. Apenas em uma oportunidade, o Internacional de Gallardo venceu um brasileiro jogando dentro do Monumental. Isso aconteceu em 2015, nas quartas de final da Copa Sul-Americano, quando os Millonarios derrotaram a Chapecoense por 3 a 1. Na volta, na Arena Condá, foram derrotados pela Chape por 2 a 1, mas avançaram no torneio.

Instabilidade, risco com o mercado de transferências e lesões

Alexis comentou sobre a instabilidade apresentada pelo atual campeão na fase de grupos e fez ainda uma análise que a situação pode mudar para o confronto, uma vez que o mercado de transferências pode reforçar ou enfraquecer a equipe. As lesões também são uma preocupação do técnico Marcelo Gallardo. 

"Foi um River que na fase de grupos desperdiçou chances como mandante, não conseguiu ganhar do Palestino-CHI (0 a 0, dentro do Monumental), não conseguiu ganhar no Peru (empatou com o Alianza Lima por 1 a 1, fora de casa), mas que deixou esses resultados para trás e vem forte para o mata-mata. A chave também para este River poderá ser o mercado de transferências. Primeiro para saber se o River vai incorporar alguém no plantel, mas acima de tudo que não se vá ninguém. Exequiel Palacios muitos possivelmente vai ter ofertas, o goleiro Armani pode chegar a receber propostas, e ainda há a preocupação com a recuperação de Juan Quintero (rompeu os ligamentos cruzados do joelho esquerdo na vitória por 3 a 0 sobre o Independiente, pelo Campeonato Argentino, em março deste ano) e dos outros lesionados", conta o produtor.

Sonhando com virada história frente ao Atlético Tucumán 

O River Plate tem hoje uma missão dificílima contra o Atlético Tucumán, pelo jogo de volta das quartas de final da Copa da Superliga Argentina, às 21h10 (de Brasília). É a chance do torcedor celeste observar o desempenho dos comandados de Marcelo Gallardo, que iniciaram uma mobilização semelhante a que aconteceu contra o Grêmio, na semifinal da Copa Libertadores. A imprensa argentina especula a seguinte escalação: Armani; Martínez Quarta, Ponzio o Zuculini, Pinola: Palacios, Enzo Pérez, Nacho Fernández; Pratto, Suárez, De la Cruz; e Borré.

"Hoje o River joga contra o Atlético Tucumán, perdeu na ida por 3 a 0, pelas quartas de final da Copa da Superliga Argentina, o time vai contar com o retorno de alguns jogadores e também vai se preparando para final da Recopa diante do Athletico Paranaense (jogos programados para os dias 22 e 29 de maio). Mais importante do que tudo isso: é preciso destacar que o River vem em um nível que sobe e abaixa, mas que nestas partidas de mata-mata dá o melhor de si", encerra Alexis. 

Escreva um comentário
Comentar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000