Josias Pereira
@josiaspereira
16/07/21
12h45

Política celeste

Cruzeiro: pedido de impeachment será avaliado, mas sem previsão de resposta

Nagib Simões, presidente do Conselho, não quis se debruçar sobre legalidade da peça, mas salientou que autonomia sobre aceitação ou não é dele e do conselho

Grupo formado por associados e conselheiros pediram o impeachment do presidente Sérgio Santos Rodrigues — Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Josias Pereira | @josiaspereira
16/07/21 - 12h45

Presidente do conselho deliberativo do Cruzeiro, Nagib Simões, apontou à reportagem do Super.FC que recebeu o pedido de impeachment protocolado pelo movimento conhecido como SDC, Sociedade Democrática Cruzeirense. No entanto, ainda não avaliou o conteúdo da peça por motivos de agenda pessoal. 

"Ainda não tive tempo de apreciar. Mas como todo o pedido que nos chega, vou ler, fazer minhas ponderações e avaliar, algo que devo concluir até a próxima terça-feira", disse Nagib. 

Questionado sobre a validade legal do documento, o presidente do conselho disse apenas que não poderia emitir opinião sem saber do conteúdo apresentado. Ele, no entanto, apontou à reportagem que os associados não teriam autonomia para solicitar uma assembleia para apreciação do pedido, cabendo ao conselho e a mesa diretora deliberar sobre a aceitação ou não do pedido. 

Ainda de acordo com Nagib Simões não há reuniões agendadas com o SDC para uma resposta sobre o pedido e uma previsão de quando existirá um posicionamento da mesa do conselho sobre o que os associados e conselheiros apontaram. O único contato que Nagib aponta ter é com Fábio Stockler, advogado responsável pelo pedido. 

Ao Super.FC, Stockler comentou sobre as alegações do conselho de que a peça não teria validade de acordo com o estatuto do Cruzeiro, já que foi proposta por associados do clube. Ele salientou que o estatuto não traz deliberações claras sobre o tema. 

"Está visão é totalmente equivocada. Conforme mencionamos na peça, o estatuto não traz critérios objetivos, nem determina competência de quem poderá requerer a abertura do processo de impeachment. Existe no estatuto a previsão de quem deva julgar, sendo o Conselho Deliberativo conforme artigo 20, X, e a Assembleia Geral Extraordinária, conforme artigo 6, II. A título exemplificativo, qualquer cidadão brasileiro poderá encaminhar ao legislativo, na pessoa do presidente da Câmara, um pedido de impeachment, que se aceito, terá deu julgamento iniciado naquela casa", decarou à reportagem.

"Em nosso caso, é a mesma coisa. Associados do clube estão sob as mesmas regras estatutárias que o presidente (que também é um associado). Assim, todos têm legitimidade de propor o pedido de impeachment, que deverá ser encaminhado ao órgão competente para julgar, no caso, o Conselho Deliberativo na pessoa de seu presidente", acrescentou Stockler. 

Sobre a reunião para o clube empresa 

Nagib apontou ainda à reportagem do Super.FC que a data anunciada para o próximo dia 2 de agosto como a reunião do conselho para a aprovação do clube empresa foi um equívoco. O dia ainda não foi definido pelo conselho, que deverá soltar um edital convocados os associados. 

---

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar.

Siga O TEMPO no Facebook, no Twitter e no Instagram. Ajude a aumentar a nossa comunidade.

Escreva um comentário
Comentar

Ver todos
Fechar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000