Recuperar Senha
Fechar
Entrar
ROB2309_5.jpg
Dedé guardou o seu segundo gol no ano na vitória sobre o Sport
Foto: Ramon Bitencourt / O Tempo
Enviar por e-mail
Imprimir
Josias Pereira | @superfc
15/05/18 - 07h30

Era quarta-feira, 5 de novembro de 2014, semifinal da Copa do Brasil contra o Santos. Com apenas cinco minutos de jogo, Dedé, o zagueiro que custou nada menos que R$ 14 milhões, deixou o gramado da Vila Belmiro acusando uma grave lesão no joelho direito. Começava ali o drama. Três anos, três cirurgias no joelho direito e uma no esquerdo. Muitos poderiam imaginar o fim. As falas "maldosas" se intensificavam. Doía, machucava, na mesma proporção do joelho, que o impedia de fazer o que mais amava.

“Hoje eu me vi subindo escada de muleta, hoje eu me vi com dificuldade no carro, pedindo ajuda para vir trabalhar e muitas mensagens negativas, mas graças a Deus eu tive forças para não levar isso para outro lado”, contou o zagueiro com lágrimas no rosto. 

Dedé encontrou na família, no filho Gabriel, na esposa Patrícia e amigos, a fé em Deus para superar. Devoto de Nossa Senhora de Aparecida, entregou sua prece aos céus e seguiu o percurso. Uma hora a vida lhe traria tudo de volta. E este dia, mesmo que tão singelo, chegou na voz de Tite. Dia 14 de maio de 2018. Quatorze jogos no ano, suficientes para fazer o treinador da seleção brasileira, que nunca conviveu com Dedé, que nunca o convocou ter a certeza de que no mistério dos 35 nomes enviados à Fifa, o zagueiro seria o único merecedor de ter seu nome divulgado para que todo o país ouvisse em alto e bom som. 

“Vou falar porque ele merece. Dedé, do Cruzeiro, porque todo o trabalho que tu realizou, de superar lesão, de superar todos os problemas de joelho que passou, de encontrar uma superação e voltar em alto nível”, afirmou Tite. 

“Eu jamais imaginaria depois de tudo que eu passei que conseguiria ser lembrado por um treinador da seleção”, disse o defensor. 
Pode acreditar, Dedé. Dia após dia. Batalha após batalha. Foi por merecimento, Dedé. Muito merecimento. “É ter fé em Deus, acreditar sempre nos sonhos e nesse foco que tiver. É batalhar, brigar por ele. Foi o que eu fiz”, encerrou.

NÚMEROS DEDÉ 

14 jogos já disputou Dedé em 2018, a melhor marca desde 2014

2 gols foram marcados por Dedé na atual temporada 

12 jogos disputou Dedé no acumulado da última temporada 

avatar
Li e aceito os termos de utilização
Cadastre-se para poder comentar
Fechar

NUNCA DESISTIR

De descartado aos 35 de Tite: a redenção de Dedé após mais de três anos
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório