Thiago Nogueira
@superfcoficial
09/05/19
08h00

Estádios mineiros

Estado vai propor solução conjunta entre Mineirão, Independência e clubes

Estádios foram reformados para a Copa do Mundo e entregues à iniciativa privada; as duas concessões são permeadas por polêmicas

Independência e Mineirão custaram alguns milhões ao governo do Estado — Foto: Cristiane Mattos e Douglas Magno
Thiago Nogueira | @superfcoficial
09/05/19 - 08h00

O Estado de Minas Gerais tem dois estádios sob sua responsabilidade, o Mineirão e o Independência, ambos cedidos à administração da iniciativa privada. Embora sejam regidos por regimes de concessão completamente diferentes, os dois estádios foram reformados com a mesma intenção: servir os clubes e o povo mineiro.

No Horto, a Luarenas pede a rescisão contratual, alegando prejuízos que, segundo a empresa, é resultado de um plano de negócios mal elaborado. O América, dono do terreno, entregou o local em comodato para o Estado, que reformou o estádio e passou para a gestão privada até 2022. Na Pampulha, o Mineirão foi remodelado por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP).

Os investidores fizeram um aporte, tomaram empréstimos, reformaram a arena para a Copa do Mundo e, desde 2013, passou a ser ressarcido do valor aportado com repasses fixos e variáveis do governo do Estado. Tendo o Cruzeiro como principal cliente e recebendo partidas ocasionais do Atlético, o Mineirão não se sustenta apenas com a renda do futebol.

Enquanto isso, o repasse de R$ 8 milhões mensais do governo à gestora, conforme estabelecido em contrato, soa como “absurda” em tempos de crise. A equipe do governo Zema, que assumiu a administração do Estado no início deste ano, recebeu esses dois problemas de gestões passadas e, embora ainda analise documentos e possibilidades, já tem uma certeza: Mineirão, Independência e clubes precisam sentar à mesma mesa para, juntos, encontrarem uma solução. Na prática, as partes envolvidas precisam chegar a um consenso para o melhor aproveitamento dos dois principais equipamentos esportivos do Estado. 

“O Independência talvez seja um dos componentes para nos ajudar a achar uma solução para o problema da Minas Arena. A pergunta que fazemos é: quantos estádios Belo Horizonte comporta? Temos tentado buscar uma resposta: dois estádios são suficientes, três estádios serão exagerados (considerando que o Atlético vai construir o seu)? Não vamos analisar a questão Minas Arena isoladamente. Estamos analisando não só do futebol, mas outros ingressos de receita, que elimine a obrigação de pagamento do Estado”, ressaltou o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Marco Aurélio Barcelos.

Reunião

Conforme antecipou o Super FC no dia 16 de abril, a Luarenas entrou com um pedido de quebra de contrato com o Estado. Mas, para isso, ela quer uma compensação por investimentos feitos no estádio, entre outras alegações. Estado e Luarenas se reuniram na última terça-feira. A empresa parou de fazer os repasses devidos ao governo e ao América, conforme determina o contrato.

“Ontem (terça), nós tivemos com eles para falar do pedido de rescisão. É um pedido que ele depende de um consenso. Eles não podem simplesmente largar o contrato. A exemplo do que vamos fazer com o Mineirão, precisamos buscar soluções. Estamos em tratativas com eles pra ver como eles podem nos ajudar no todo”, destacou Barcelos.

Escreva um comentário
Comentar

Ver todos
Fechar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000