JULIANNE CERASOLI
Folhapress
18/07/20
11h33

Fórmula 1

Lewis Hamilton domina e faz a pole position do GP da Hungria

Com 1min13s447, o britânico cravou a pole com facilidade, com direito a recorde da pista nos segundos finais

Além de largar na frente, Hamilton ainda igualou mais um número do supercampeão Michael Schumacher, com sete poles na Hungria — Foto: Mark Thompson / POOL / AFP
JULIANNE CERASOLI | Folhapress
18/07/20 - 11h33

Lewis Hamilton não teve trabalho algum e dominou o treino classificatório para o GP da Hungria, que acontece neste domingo (19), às 10h10 (horário de Brasília). Com 1min13s447, o britânico cravou a pole com facilidade com direito a recorde da pista nos segundos finais.

Além de largar na frente, Hamilton ainda igualou mais um número do supercampeão Michael Schumacher, com sete poles na Hungria. O companheiro de Mercedes, Valtteri Bottas, largará em segundo.

Os dois carros da Mercedes e as duas Racing Point vão largar com uma tática diferente do restante do top 10, com os pneus médios, em teoria mais resistentes que os macios. Isso só foi possível porque chamou muito a atenção a excelente performance dos carros equipados com motores Mercedes: além do time de fábrica, Racing Point e Williams (que passaram com ambos os carros para o Q2 e terão Russell em um ótimo 12º lugar no grid). Lance Stroll, da Racing Point, fecha a terceira colocação do grid.
A classificação foi marcada pelo risco constante de chuva, com nuvens carregadas sobre a pista e a meteorologia apontando 90% de chance de chover durante a sessão. Também há chances de chover na corrida.

A expectativa sobre as condições do tempo continuou até o último minuto do Q3. Com o tempo fechado, a chuva fininha começou a cair já no final do Q2 no circuito de Hungaroring. A água não chegou a atrapalhar Hamilton na busca pela pole, mas foi suficiente para que o inglês comunicasse sua equipe sobre a condição no final do treino.

Os pilotos entraram para o Q3 jogando tudo em busca das melhores posições no grid de largada. Lewis Hamilton iniciou a fase decisiva logo com um recorde da pista. A segunda colocação ficou com o companheiro de Mercedes Bottas. Os dois praticamente não foram incomodados nas primeiras colocações.

A Mercedes mostrou toda sua vantagem na segunda parte da classificação, quando Hamilton fez um tempo oito décimos mais veloz que Max Verstappen mesmo usando o composto médio ao invés do macio, que seria pelo menos em teoria pelo menos 0s4 mais rápido, usado pelo holandês.

O piloto da Red Bull, por sua vez, estava reclamando da unidade de potência da Honda. "Meu motor está uma bagunça!", disse, enquanto outro piloto que também usa a unidade de potência da Honda, Pierre Gasly, era outro que convivia com problemas. Mas o francês conseguiu, ainda assim, fazer uma volta boa o suficiente para colocar a Alpha Tauri em um ótimo top 10.

A opção dos pneus médios por parte da Mercedes fazia sentido: os pilotos que vão ao Q3 são obrigados a largar com os pneus com que fizeram a melhor volta no Q2, então a tática era largar com estes compostos mais resistentes. A Racing Point fez o mesmo com seus dois pilotos, e os quatro conseguiram avançar.

O mesmo não aconteceu com Alex Albon, da Red Bull. O tailandês reclamou com seu engenheiro por tê-lo colocado no meio do tráfego. Sem conseguir preparar bem os pneus, ele teve muita dificuldade nas primeiras curvas em sua volta rápida no final do Q2 e ficou pelo caminho. Albon larga em 13º. As Renault também foram eliminadas no Q2, com Ricciardo em 11º e Ocon em 14º. E Russell conseguiu um ótimo 12º lugar com a Williams. Latifi larga em 15º.

Q1. A primeira parte da classificação foi bastante movimentada devido ao risco iminente de chuva, e o tráfego atrapalhou alguns pilotos no traçado sinuoso de Hungaroring.

Era a chance que George Russell precisava para colocar a Williams em um inimaginável nono lugar ao final da primeira parte da classificação, passando pela segunda vez seguida ao Q2. Até mesmo seu companheiro, Nicholas Latifi, estreante que vem cometendo muitos erros, passou para a segunda parte da classificação ao ser cinco centésimos mais rápido que Kevin Magnussen.

O dinamarquês da Haas foi o primeiro dos eliminados, junto de Daniil Kvyat, da AlphaTauri, a supresa negativa do Q1, Romain Grosjean, também da Haas, e os dois pilotos da Alfa Romeo, Antonio Giovinazzi e Kimi Raikkonen vão fechar a última fila do grid.

Grid de largada do GP da Hungria:
1º Lewis Hamilton (GBR) - Mercedes - 1min13s447
2º Valtteri Bottas (FIN) - Mercedes
3º Lance Stroll (CAN) - Racing Point
4º Sergio Perez (MEX) - Racing Point
5º Sebastian Vettel (ALE) - Ferrari
6º Charles Leclerc (MON) - Ferrari
7º Max Verstappen (HOL) - Red Bull
8º Lando Norris (GBR) - McLaren
9º Carlos Sainz (ESP) - McLaren
10º Pierre Gasly (FRA) - AlphaTauri
11º Daniel Ricciardo (AUS) - Renault - 1min15s661
12º George Russell (GBR) - Williams - 1min15s698
13º Alex Albon (TAI) - Red Bull - 1min15s715
14º Esteban Ocon (FRA) - Renault - 1min15s742
15º Nicholas Latifi (CAN) - Williams - 1min16s544
16º Kevin Magnussen (DIN) - Haas - 1min16s152
17º Daniil Kvyat (RUS) - AlphaTauri - 1min16s204
18º Romain Grosjean (FRA) - Haas - 1min16s407
19º Antonio Giovinazzi (ITA) - Alfa Romeo - 1min16s506
20º Kimi Raikkonen (FIN) - Alfa Romeo - 1min16s614

---

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar.

Siga O TEMPO no Facebook, no Twitter e no Instagram. Ajude a aumentar a nossa comunidade.

Escreva um comentário
Comentar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000