Recuperar Senha
Fechar
Entrar
isac ataca final
Sada Cruzeiro teve trabalho diante de adversário que exigiu o máximo até o final
Foto: Douglas Magno
Enviar por e-mail
Imprimir
Daniel Ottoni | @superfc
06/05/18 - 11h18

Uma batalha de cinco sets, assim como já havia acontecido no primeiro jogo, para fazer valer o clima de decisão entre dois dois maiores times do Brasil. Com alternâncias no placar, ficou evidente que seria impossível cravar quem seria o campeão antes da última bola cair. A chance de um golden set evidenciou o equilíbrio de um duelo que poderia ir para qualquer um dos lados. Foi somente no tie-break que o Sada Cruzeiro conseguiu respirar aliviado para a ficha do hexa, finalmente, cair. As parciais foram de 25/16, 17/25, 25/22, 23/25 e 22/20)

Não poderia ser sem a costumeira agressividade que o Sada Cruzeiro começaria o momento mais importante da Superliga Masculina. Segurando bem o saque paulista, o time da casa usava as viradas de bola para abrir vantagem e já pressionar o adversário. Um 12 a 6 aberto nos primeiros minutos comprovou a superioridade azul.

Mesmo com a sorte ao seu lado, comprovada em levantamento de Nico com os pés na metade de parcial, o Cruzeiro viu o Sesi-SP se recuperar, cena que já havia acontecido no primeiro jogo. Com o placar mais apertado, o clima de decisão voltou para deixar tudo imprevisível.

Quando mais deveria aproveitar o momento que se mostrava a seu favor, o Sesi parou. Com erros que não são perdoados diante de um rival tão forte, os paulistas abriram caminho para os mineiros saírem na frente, aproveitando altos e baixos do outro lado.

No segundo set, o Sesi esteve mais concentrado e errando menos. Os contra-ataques foram bem aproveitados para um 11 a7 dar boa margem no placar. Com o saque entrando bem, os visitantes se mostravam vivos na partida para encurralar os azuis dentro de seus domínios. Um 17 a 10, com boa presença dos centrais, deixou os paulistas muito perto do empate, que veio sem demora.

O Sesi seguiu firme no propósito de incomodar na terceira parcial. Mostrando-se mais à vontade em quadra, os paulistas seguiram com o saque como uma das armas para se manter na frente já no começo do set. Com as viradas de bola em dia e o bloqueio chegando nas marcações, os visitantes forçavam erros do Sada, que se precipitava em tomadas de decisões.

Foi aproveitando bem os contra-ataques que os celestes se recuperaram ao empatar nos 16 pontos para delírio da multidão que lotou o Mineirinho. Pressionado, o Sesi começou a cair de rendimento, abrindo oportunidade para adversário aproveitar o momento de retomar a dianteira.

Caminhos opostos no meio da decisão

Ao Sesi, restaria vencer três sets seguidos, enquanto apenas mais uma parcial era suficiente para o Cruzeiro chegar ao hexa. O caminho menos complicado não facilitou a vida dos celestes, que tiveram o tempo todo um adversário pronto para exigir o mais alto nível.

Novamente o Sesi começou melhor, usando dos ataques eficientes para abrir pequena mas importante margem. Sem se incomodar com a obrigação de correr atrás do prejuízo, o Sada teve na torcida seu combustível para reagir. Foi somente depois dos 25 pontos que a parcial foi definida, com o Sesi levando a melhor nos momentos decisivos. 

O começo do tie-break teve a passagem de Simon pelo saque fazendo a diferença para o Sada abrir 5 a 1. Acuado, o Sesi se irritou em decisão da arbitragem, que rendeu cartão amarelo para Lipe. Como já havia acontecido em outros momentos, o Sesi soube reagir para voltar ao jogo. A diferença caiu para apenas um ponto no 7 a 6, exigindo a perfeição em cada toque na bola.

Nos 9 a 9, começou uma troca de pontos que fez os torcedores prenderem a respiração a cada ataque. Para mostrar que estávamos diante de um jogo do mais alto nível, o tie-break foi além dos 15 pontos. Depois de ver o Sesi com vários set points, o Sada ficou a um ponto da decisão nos 18 a 17. Foi com o peso de não errar em momentos decisivos que o Sada controlou os ânimos para ser preciso quando mais deveria. O título veio 

Escalações:

Sada Cruzeiro: Uriarte, Evandro, Simon, Isac, Leal, Filipe e Serginho. Entraram: Alemão, Cachopa, Rodriguinho, Éder Levi. Técnico: Marcelo Mendez

Sesi-SP: William, Alan, Gustavão, Lucão, Douglas Souza, Lipe e Murilo. Entraram: Franco, Evandro, Renato, Vaccari. Técnico: Rubinho

 

 

 

 

 

avatar
Li e aceito os termos de utilização
Cadastre-se para poder comentar
Fechar

Adversário à altura

Insistente Sesi valorizou sexto título da Superliga do Sada Cruzeiro
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório