Recuperar Senha
Fechar
Entrar
ze roberto guimaraes tecnico selecao
Zé Roberto reforça que jogadoras tiveram curto período de descanso após Superliga
Foto: Divulgação - CBV
Enviar por e-mail
Imprimir
Daniel Ottoni | @superfc
14/05/18 - 11h48

Uma competição, nova somente no nome, reaparece para a seleção brasileira feminina de vôlei. Nesta terça-feira, o time do técnico José Roberto Guimarães estreia na Liga das Nações, antigo Grand Prix. O torneio, em 2018, mudou de nome e também de formato e segue tendo o Brasil como maior vencedor, com 12 títulos.

O primeiro jogo acontece nesta terça, às 15h05, contra a Alemanha, em Barueri (SP), sede da primeira etapa. Japão e Sérvia serão enfrentados nos dias seguintes, no mesmo horário. Todos os três jogos terão transmissão ao vivo da Rede Globo e do SporTV. 

Serão um total de cinco etapas, em diferentes países, para que os cinco melhores times se classifiquem para a fase final, que acontecerá na China. Neste momento decisivo, as donas da casa já têm presença certa. Entre os dias 27 de junho e 1º de julho, os seis times fazem a fase final. 

Boa parte das atletas tiveram um período de férias bastante curto antes de começarem os treinamentos visando os trabalhos na seleção. Sabendo que o foco maior será o Campeonato Mundial, que acontecerá entre 29 de setembro e 20 de outubro, no Japão, o técnico Zé Roberto fará um rodízio entre suas jogadoras, afim de evitar lesões. 

“As jogadoras se apresentaram diretamente depois da Superliga e vamos precisar dosar muito bem o trabalho. Serão sete semanas de competição. É um campeonato longo. Teremos muito revezamento entre as jogadoras para não desgastar ninguém. O campeonato mais importante desse ano é o Mundial. Queremos nos classificar para a fase final e fazer bons jogos”, afirma. 

Abrir o torneio em casa é um combustível a mais para as brasileiras. Até as mais experientes, caso da líbero Jaqueline, admitem nervosismo em estar logo em quadra. “Estou feliz e a energia desse grupo está muito boa. A equipe tem se dedicado bastante e temos tudo para disputar três bons jogos em casa diante da nossa torcida. Acredito que o público comparecerá e nos ajudará bastante. Estou com frio na barriga com esse novo momento, mas isso que me motiva a continuar em quadra", relata.  “A possibilidade de jogarmos em casa diante da nossa torcida e abrindo a competição é muito importante. Sabemos que a torcida será a 15º jogadora e irá nos apoiar bastante. O fato de conhecermos o local e estarmos ambientados também nos ajuda", completa o treinador. 

Além do Mundial, a seleção disputará, ainda, a Copa Pan-Americana entre os dias 6 e 15 de julho, no México, e o Montreux Volley Masters, na Suíça, entre os dias 4 e 9 de setembro.

 

avatar
Li e aceito os termos de utilização
Cadastre-se para poder comentar
Fechar

Sem férias

Para evitar desfalques, seleção feminina terá rodízio na Liga das Nações
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório