Daniel Ottoni
@supernoticiafm
08/08/19
16h44

Derrota amarga

Seleção feminina de vôlei cai para Argentina e define futuro contra EUA

Brasil teve trabalho diante da oposta Fresco, responsável por 26 pontos e encara norte-americanas em duelo de tudo ou nada nesta sexta-feira

Brasil sofreu adversário competitivo e bem postado — Foto: Victor Calvo
Daniel Ottoni | @supernoticiafm
08/08/19 - 16h44

A tradição da Argentina no cenário sul-americano já denunciava que o Brasil teria mais dificuldades nesta quinta-feira, na segunda rodada do vôlei feminino dentro dos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru. Enquanto o time de José Roberto Guimarães chegava de vitória tranquila na primeira rodada contra Porto Rico, as hermanas haviam passado somente no tie-break pelos Estados Unidos.

Diante de uma equipe mais experiente e qualificada, a seleção verde-amarela não teve a mesma facilidade, caindo por 3 a 0 (25/23, 25/19 e 25/23). A derrota força o Brasil a precisar vencer os Estados Unidos, nesta sexta-feira, às 15h, se quiser se classificar para as semifinais de sábado. Do lado argentino, a oposta Fresco se destacou, saindo de quadra como a maior anotadora do duelo, com 26 pontos. Do lado brasileiro, a também oposta Lorenne apareceu com maior eficiência, anotando 18 pontos. 

Mesmo mantendo o mesmo time da estreia, o desempenho brasileiro não foi o mesmo. O ataque não atingiu os mesmos índices de aproveitamento, tendo pela frente uma escola argentina sempre bem posicionada no fundo de quadra e testando a paciência com seu costumeiro volume de jogo. A oposta Lorenne, maior pontuadora contra Porto Rico, voltou a ser referência na parte ofensiva. As pontas Lana e Maira ficaram devendo na virada de bola, não dando a consistência necessária para enfrentar uma equipe de bom nível, que deu trabalho a todo momento. O passe alternou bons e maus momentos, não permitindo o uso frequente das centrais. 

Com o saque pouco incomodando as argentinas e o bloqueio sem encontrar o ataque adversário, o Brasil viu as chances de vitória ficarem cada vez mais escassas. Do outro lado, a Argentina conseguiu trabalhar durante boa parte do duelo com a bola na mão da sua levantadora, com o ataque funcionando bem, principalmente pela saida de rede. Fresco esteve imparável e foi o grande nome da partida. 

Altos e baixos foram castigados

O primeiro set foi mais equilibrado, com o Brasil trocando pontos, errando pouco e chegando a abrir 13 a 10. A parcial esteve parelha até os últimos pontos, quando a Argentina levou a melhor. No set seguinte, o Brasil abusou dos erros e viu as oponentes abrirem diferença já nos primeiros minutos. O time de Zé Roberto foi forçado a correr atrás do prejuízo, com as falhas deixando o empate mais longe. 

No terceiro set, o Brasil precisava de uma nova postura. Mais agressivo e vendo a Argentina cair de ritmo, o time brasileiro seguiu tendo em Lorenne sua maior referência. A entrada da ponta Tainara no lugar de Lana trouxe novo aproveitamento na virada de bola e uma melhor opção para os ataques. A vantagem aberta por 16 a 11 , pelo Brasil, logo foi desfeita com erros de ataque e pontos dados de graça ao adversáio. Depois de colocar a Argentina de volta no jogo, o time de Zé Roberto pecou nos momentos de definição para sair de quadra com uma derrota amarga. 

Escreva um comentário
Comentar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000