Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Infraestrutura

Confins pode ter rodoviária

Novo terminal, em estudo, serviria para fomentar o turismo e os negócios no Estado

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Inhotim
Inhotim, uma das maiores atrações do Estado, pode ter transporte para Confins
PUBLICADO EM 20/09/17 - 03h00

O aeroporto de Confins pode ganhar um terminal rodoviário. Por enquanto, o projeto está apenas na fase de estudos, mas o diretor presidente da concessionária BH Airport, Adriano Pinho, afirma que a possibilidade vai ao encontro aos esforços de expansão da conectividade entre Belo Horizonte e destinos turísticos de Minas, como as cidades históricas e Inhotim, que, sozinho, recebe mais de 350 mil visitantes ao ano. O maior museu a céu aberto do mundo está localizado em Brumadinho e fica a 93 km do aeroporto. “Percebemos que muitos passageiros que querem ir para esses destinos deixam de usar o aeroporto pela dificuldade de acesso rodoviário”, justifica Pinho.

Segundo ele, um terminal rodoviário normalmente tem capacidade para atender uma região em um raio de 200 km a 250 km. “A ideia é facilitar a integração entre os passageiros e destinos turísticos. Mas acreditamos que uma rodoviária vai fomentar não só o turismo, como também os negócios”, afirma Pinho.

Para o diretor executivo de Inhotim, Antonio Grassi, a opção vai facilitar muito a vinda de turistas, tanto na parte logística quanto na financeira. “Quase metade dos nossos visitantes são de outros Estados e muita gente vem direto do aeroporto. Prova disso é que, recentemente, tivemos que ampliar nosso guarda-volumes, tamanho é o número de pessoas que chegam com malas”, explica Grassi. Só o público de estrangeiros varia entre 13% e 20%.

De acordo com ele, a possibilidade de chegar no aeroporto e pegar um ônibus direto para Inhotim vai tornar o passeio mais acessível. “Muitas vezes, o custo com o transporte de Confins para Inhotim é mais caro do que a passagem aérea. Alguns táxis credenciados cobram em torno de R$ 250, só a ida”, afirma.

Grassi ressalta ainda que, com um ônibus direto e confortável, o turista poderá até mesmo fazer um bate-volta. “Fica bem mais viável”, destaca. Inhotim abre 9h30 e fecha 17h durante a semana e às 17h30 em fins de semana e feriados.

Considerando-se um tempo de aproximadamente duas horas do aeroporto até o museu, se o turista desembarcar às 7h30, chegará a Brumadinho no horário que Inhotim estará sendo aberto. Se ele for embora às 17h30, poderá agendar um voo por volta das 21h e voltar para a casa no mesmo dia.

Além de Inhotim, o terminal vai atender a vários outros destinos. “Pensamos em cidades como Ouro Preto e Conceição do Mato Dentro, onde há muita demanda de turistas”, afirma Pinho. “É um projeto para ser feito em parceria com o governo do Estado. Já apresentamos a ideia e ela foi bem recebida”, ressalta.

Conforme o gestor de rotas aéreas da BH Airport em Confins, Dany Oliveira, 40% dos passageiros que vêm do interior para a capital chegam e fazem alguma conexão. 

O que achou deste artigo?
Fechar

Infraestrutura

Confins pode ter rodoviária
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (10)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter