Recuperar Senha
Fechar
Entrar

FORTES CHUVAS

Deslizamentos na Califórnia deixam 43 desaparecidos e 17 mortos

Mais de 60 casas foram destruídas pelas tempestades que atingiram o condado de Santa Bárbara

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Equipe de resgate procura por vítimas em uma casa em Montecito
Equipe de resgate procura por vítimas em uma casa em Montecito
PUBLICADO EM 12/01/18 - 08h20

As autoridades informaram nesta quinta-feira que 17 pessoas morreram - incluindo quatro crianças - e 43 estão desaparecidas na região da Califórnia devastada por deslizamentos de terra provocados por fortes chuvas.

Todos os mortos moravam em Montecito, a cidade mais atingida, e tinham de três a 89 anos, revelou Bill Brown, xerife do condado de Santa Bárbara, ao qual pertence Montecito.

"Há mães, pais, avós, irmãos e a lista prossegue", disse Brown, acrescentando que os grupos de resgate prosseguem ativamente com as operações de busca.

Com a ajuda de pedaços de madeira para caminhar entre a lama espessa, que muitas vezes chega até os joelhos, a busca por sobreviventes continua nesta zona exclusiva da Califórnia arrasada pelos deslizamentos.

Jane Barret conhecia várias das vítimas: um de seus médicos, o chefe do grupo de exploradores ao qual seus filhos pertenciam, um antigo vizinho.

"Foi uma noite assustadora", disse Barret à AFP. "Levará muito tempo" para nos recuperarmos dos desastres que atingiram esta zona exclusiva com mansões de milhões de dólares nos últimos dois meses.

Brutais incêndios obrigaram a evacuar esta cidade lar de celebridades e multimilionários em dezembro, e apenas duas semanas depois de voltarem uma tempestade provocou deslizamentos de terra que arrasaram 65 casas em questão de horas.

As chamas haviam queimado boa parte da vegetação, deixando o ambiente propício para esta nova tragédia.

"Tive um comércio e na lista de desaparecidos vejo pessoas que foram meus clientes", disse esta mulher, cuja casa não foi atingida.

A tempestade começou depois de 10 meses de seca, que, por sua vez, seguiram um período de chuvas torrenciais em janeiro e fevereiro de 2017.

Somente no condado de Ventura foi registrado um recorde de 130 milímetros de chuva, segundo o serviço meteorológico de Los Angeles.

Mais de 50 quilômetros da autoestrada 101, que conecta a Califórnia de norte a sul, ficaram inabilitados devido à lama que bloqueou várias outras rotas e destruiu casas desde a fundação.

A previsão para os próximos sete dias não mostra chuvas na área.

"Nunca tremeu assim antes"

Quase 700 pessoas trabalham na zona, onde vários moradores foram resgatados em helicópteros no telhado de suas casas.

Alguns voltaram a suas casas para recuperar seus animais de estimação, ou pequenas malas com objetos de valor.

Ficaram impactados com a magnitude dos danos: tiravam fotos das casas inspecionadas - marcadas com um xis laranja - enquanto comentavam com seus vizinhos.

Muitos descreveram a tempestade como um estouro, ou um trem desgovernado.

Greg Duimovich disse que sua casa, que ficou intacta, tremia enquanto ouvia o barulho das pedras caindo.

"Nunca tremeu assim antes" com a chuva, disse este homem.

"Estamos parados na casa de nosso vizinho", acrescentou no que agora é um espaço vazio. "Esta deve ser a fundação", acrescentou apontando para um bloco de concreto.

A poucos metros, o telhado de uma casa estava preso entre os galhos de uma árvore.

As escavadeiras limpavam as ruas de Montecito da lama, enquanto em outras áreas o serviço elétrico era restabelecido.

A popular apresentadora de televisão Oprah Winfrey foi uma das atingidas pelos deslizamentos.

A atriz postou em sua redes sociais um vídeo no qual é possível vê-la com lama ate os joelhos em frente a sua mansão em Montecito, onde a também apresentadora de televisão Ellen DeGeneres tem uma casa.

O que achou deste artigo?
Fechar

FORTES CHUVAS

Deslizamentos na Califórnia deixam 43 desaparecidos e 17 mortos
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter