Recuperar Senha
Fechar
Entrar

INSS

Quadrilha usava nomes de crianças mortas para fraudar a Previdência

Um dos integrantes do grupo foi preso na manhã desta quarta-feira (13), em Betim

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 13/09/17 - 14h23

Uma quadrilha que fraudava a Previdência Social utilizando o nome de crianças mortas foi desarticulada pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (13). O grupo criminoso, que já causou um prejuízo aos cofres da União de R$ 2 milhões, atuava em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, no Rio de Janeiro, e em três cidades da Bahia: Porto Seguro, Nova Viçosa e Teixeira de Freitas

Ao todo, foram cumpridos oito mandados judiciais de prisão, sendo dois de preventiva e seis de temporária. Uma pessoa foi detida em Betim, uma no Rio de Janeiro, uma em Porto Seguro, duas em Nova Viçosa e três em Teixeira de Freitas.

Durante as investigações, a Polícia Federal descobriu que a quadrilha criava o cadastro na Previdência utilizando o nome de pessoas que faleceram na infância.

Com o cadastro dos adultos fictícios, o grupo realizava recolhimentos à Previdência, sempre em valores próximos ao teto de contribuição, criando, dessa forma, a condição de segurados.

Depois de um determinado tempo, a quadrilha informava a morte das pessoas cadastradas, quando, então, eram requeridos os respectivos benefícios de pensão por morte perante o INSS.

Com a desarticulação do grupo criminoso e a suspensão dos benefícios fraudados, a Polícia Federal calcula ter evitado um prejuízo futuro aos cofres públicos de aproximadamente R$ 15,6 milhões.

Ainda conforme a corporação, os investigados responderão à Justiça por formação de quadrilha e por reiterada prática de estelionato em detrimento da Previdência Social, crimes com penas que ultrapassam dez anos de prisão.

Os nomes dos envolvidos não foram divulgados pela Polícia Federal. A operação foi batizada de “Álibi” e contou com o apoio da Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária da Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda. 

O que achou deste artigo?
Fechar

INSS

Quadrilha usava nomes de crianças mortas para fraudar a Previdência
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter