TRAGÉDIA NO SUL

Mais chuva no RS e expectativa de piora das enchentes fazem Lula cancelar viagem ao Chile

O presidente Lula suspendeu a viagem que faria ao Chile no final desta semana por causa das inundações no Rio Grande do Sul, que deixaram 147 mortos, além de 127 desaparecidos. O governo destacou que a prioridade é monitorar a situação no momento em que o nível dos rios voltou a subir.


Publicado em 13 de maio de 2024 | 22:46
 
 

O presidente Lula suspendeu a viagem que faria ao Chile no final desta semana por causa das inundações no Rio Grande do Sul, que deixaram 147 mortos, além de 127 desaparecidos. O governo destacou que a prioridade é monitorar a situação no momento em que o nível dos rios voltou a subir.

 
normal

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva suspendeu nesta segunda-feira uma visita de Estado ao Chile, inicialmente marcada para 17 e 18 de maio, devido à catástrofe das enchentes no Rio Grande do Sul.

A presidência destacou em nota ‘a necessidade de monitorar a situação das enchentes no Rio Grande do Sul e coordenar o atendimento à população afetada e as tarefas de reconstrução’.

Ainda não há uma nova data prevista para a viagem.

Novas chuvas torrenciais atingiram o estado do no final de semana e voltaram a elevar o nível dos rios.

Segundo um relatório da Defesa Civil desta segunda-feira, as enchentes deixaram 147 mortos e 127 desaparecidos.

A devastação também forçou mais de 600 mil pessoas a abandonarem as casas. 

Destes, quase 81 mil estão em abrigos montados em escolas, clubes e outros locais.

As evacuações continuam e o governador Eduardo Leite pediu no domingo à população que não se arrisque a regressar às casas, muitas delas ameaçadas por novas cheias ou deslizamentos de terra.

As autoridades trabalham para distribuir suprimentos e doações às vítimas, enquanto voluntários, bombeiros e soldados continuam realizando operações de resgate.

Rodovias e estradas importantes estão total ou parcialmente fechadas. 

O aeroporto internacional da cidade de Porto Alegre, capital do estado, continua submerso.

A agência meteorológica MetSul alertou nesta segunda-feira sobre a chegada de uma frente fria ao Rio Grande do Sul, que pode complicar a situação dos habitantes.

Mas nesta semana deve chover menos do que nos últimos dias e o sol pode aparecer em alguns momentos.

Segundo a Defesa Civil, o nível do rio Guaíba, que atravessa Porto Alegre, volta a subir e pode ultrapassar o pico inédito de 5,35 metros que atingiu no dia 5 de maio chegando a 5,5 m nos próximos dias.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!