Perícia

Subcelebridades III

Tarcísio de Freitas manifestou seu conceito de que “todo policial, para ser bom, tem que ter pelo menos três homicídios anotados em sua ficha

Por Luiz Tito
Publicado em 20 de abril de 2024 | 05:00
 
 
Sobrinha levou o tio até o banco no Rio de Janeiro Foto: Reprodução

De tudo visto até agora, só a perícia vai dizer com certeza se ele foi vítima da sobrinha, ou de susto com os juros cobrados, ou do desconforto da cadeira de rodas. Se for confirmado como crime o ato da sobrinha, ela já começaria com uma anotação de morte na sua ficha funcional se um dia for trabalhar na PM de São Paulo, Estado cujo governador, Tarcísio de Freitas, manifestou seu conceito de que “todo policial, para ser bom, tem que ter pelo menos três homicídios anotados em sua ficha”. A disseminação de qualquer forma de ódio e de violência marca um quadro de volta da barbárie e, nesse caso, nivela o governador do maior Estado do país à sobrinha suspeita, mas só se da sua parte for provada qualquer culpa pela morte do tio; da parte de Tarcísio de Freitas, por ele já está dito.