Pode piorar

Pazuello alerta para contágio mais rápido da Covid, e março pode ser o pior mês

Para o ministro, esse aumento está ligado às novas variantes do coronavírus

Qui, 25/02/21 - 20h15
Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello orientou prefeitos a não guardarem doses da próxima remessa de vacina para segunda aplicação

Em pronunciamento ao lado de representantes de secretários estaduais e municipais de Saúde, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse nesta quinta-feira (25) que o país vive "uma nova etapa da pandemia" de Covid-19, com aumento na contaminação que pode "surpreender gestores".

Nesta quinta (25), completou-se um ano do diagnóstico do primeiro caso de Covid-19 no Brasil, um dia antes o país bateu a marca de 250 mil mortes pela doença.

Para Pazuello, esse aumento está ligado às novas variantes do coronavírus. "Hoje o vírus mutado nos dá três vezes mais contaminação e a velocidade com que isso acontece em pontos focais pode surpreender o gestor em termos de estrutura de apoio", disse. "Vimos locais que no ano passado não estavam impactados nessa época do ano e estão impactados agora", afirma.

Já para os representantes de secretários estaduais e municipais de Saúde, a medida também está ligada a uma queda na adesão da população a medidas como distanciamento.

"Precisamos ligar o alerta, porque vamos viver semanas muito difíceis, talvez as mais difíceis enfrentradas na pandemia", afirmou Carlos Lula, presidente do Conass (conselho que representa secretários estaduais de Saúde). Para ele, o mês de março poderá ser o mais difícil já enfrentado devido ao alto número de estados com leitos ocupados.

"Nunca tivemos tantos estados com tanta dificuldade ao mesmo tempo, seja por novas cepas ou pelo cansaço da população", afirmou Lula, citando que 15 estados já têm taxas de ocupação dos leitos acima de 90%.

Ainda no encontro, Pazuello citou três ações prioritárias para enfrentar a pandemia nessa etapa: atendimento imediato de casos em unidades básicas de saúde, aumento de leitos de UTI, inclusive com possibilidade de transferência de pacientes, e vacinação contra a Covid-19.

No entanto, Pazuello não mencionou medidas de prevenção simples, como usar máscara e evitar aglomerações. Coube aos representantes dos estados e municípios ressaltarem as medidas.
"Apenas criar leitos não adianta. Precisamos da ajuda da sociedade. A sociedade tem que entender que não é hora de fazer festa, de estar junto", disse Lula.

"Orientamos secretários municipais a fortalecer medidas protetivas, conforme o fator epidemiológico local. A sociedade precisa entender que a fase que passamos agora é mais difícil do que no início da pandemia no Brasil. Pedimos que a população não abandone a obediência cega à ciência", afirmou o presidente do Conasems, Wilames Bezerra.

---

Em tempos de desinformação e pandemia, o jornal O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Continue nos apoiando. Assine O TEMPO.

(3) comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Covard-17 10:17 PM Feb 25, 2021
Brasil está entregue à própria sorte. Desgoverno total. Não adquire vacinas, não criou plano de combate à pandemia, não esclarece à população sobre necessidade de isolamento e nem fornece meios para tal, não criou barreiras contra a nova variante em Manaus... Mas um exército de burros para blindá-los não falta.
6
Denunciar

Lucas 10:08 PM Feb 25, 2021
Se tivesse comprado aquelas 70 milhões de doses de vacina da Pfizer....
4
Denunciar

RICHARDSON MIRANDA 9:22 PM Feb 25, 2021
Uma aberração de ministro, mas não se iludam, estamos ainda no grid de largada. Até o final muitos ainda chorarão seus votos.
4
Denunciar

LEIA MAIS
Educação
Investigada por homicídio
STF
Nova direção
Sem discriminação
Balanço
Mortes de crianças
Decisão
Decisão
Campanha