Polêmica

Kalil defende pedras sob viaduto para evitar depredações

Mas críticos alegam que intenção é expulsar população de rua que vive sob os elevados

Sáb, 24/08/19 - 20h52

Dirceu Batista, de 48 anos, mora debaixo do Viaduto Leste, na Lagoinha, há pelo menos sete anos. Nas últimas semanas ele foi surpreendido por pedras pontiagudas no local. Neste sábado (24), sua mãe Luzia Ferreira, de 76 anos, foi o visitar, como faz todos os sábados, levando roupa e comida. O que era para ser uma conversa em família, virou discussão. Dirceu precisou convencer a mãe que ficaria bem.

"Não teve aquele viaduto que também caiu aqui durante a Copa? Não fizemos nada lá. Não cuidam do que precisam cuidar e querem tirar a gente daqui", questiona. "Já estamos acostumados com o que é difícil. Se não ficarmos aqui, vamos para onde? Outra rua?", lamenta o morador de rua.

Neste sábado (24), o prefeito Alexandre Kalil (PSD) defendeu a implantação de pedras embaixo de viadutos do Complexo da Lagoinha, na região Leste de Belo Horizonte. Segundo a prefeitura, o local vem recebendo a instalação de pedregulhos com o objetivo de coibir a queima de fios furtados para a extração de cobre. Críticos, no entanto, argumentam que a medida visa a evitar que moradores em situação de rua permaneçam debaixo dos viadutos.

Segundo o prefeito, o assunto foi tratado pelo Departamento de Obras da prefeitura e não foi avaliado pela Secretaria Municipal de Assistência Social. Mas ele admitiu que o fato de pessoas atearem fogo em objetos debaixo dos viadutos preocupa, porque isso pode comprometer as estruturas dos elevados.

“Aquilo põe a população de Belo Horizonte em risco, aquilo derruba viaduto. Quando um viaduto daquele cair na cabeça (de alguém), em um monte de carros, porque bandidos colocam fogo na estrutura dos viadutos, alguém vai ser responsabilizado”, afirmou Kalil durante visita às obras do Campo do Cigano, no bairro Lagoa, em Venda Nova.

Segundo Kalil, há uma complicação em se tratar a situação da população de rua na capital devido à atuação de órgãos como o Ministério Público e a Defensoria Pública.

“Tem praça, tem rua que já está muito ocupada. A Defensoria Pública não deixa a prefeitura agir como gostaria, isso tem que ficar muito claro. Entra o Ministério Público, então, há uma complicação. E tem a parte humana que precisamos olhar. Agora, pelo amor de Deus, gente, (se) proteger a estrutura de viaduto virou crime social, então esse povo está doido”, declarou.

Dirceu se diz bem, mas o sonho de Luzia é que o filho volte para casa. A aposentada sai de Santa Luzia, na região metropolitana, pega um ônibus e um metrô para encontrar o filho. "É 1h30 para chegar aqui. Mãe não abandona filho, ele pode estar onde estiver. Minha casa é simples, não tem muita coisa, queria que ele fosse para lá. Mas o vício não deixa", conta emocionada.

"Eu tenho é vergonha, não quero que minha família me veja como eu fico aqui. Falo para ela não vir, mas eu morro de saudade", admite Dirceu.

Outro lado

Por meio de nota, a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) informou que a intervenção faz parte das obras no Boulevard Arrudas, no trecho que compreende a avenida do Contorno, entre as ruas Vinte e Um de Abril e Rio de Janeiro, e o viaduto Leste no Complexo da Lagoinha. Estão sendo investidos R$ 5,7 milhões em obras de revitalização no trecho como, por exemplo, urbanização, paisagismo, irrigação e iluminação. Segundo a pasta, não há previsão de início de obras de urbanização em outros viadutos.

Procurada, a prefeitura de Belo Horizonte também listou uma série de ações realizadas em prol da população em situação de rua. A administração municipal cita a criação de programas de qualificação profissional e vagas em postos de trabalho para essa população.

Segundo a PBH, ano passado foi inaugurado o Centro Integrado de Atendimento à Mulher na região da Lagoinha, voltado às mulheres em situação de vulnerabilidade social, além da ampliação do programa Bolsa Moradia e também dos centros de acolhimento institucional e dos restaurantes populares.

"Desde 2017, diversos esforços têm sido empreendidos na promoção, qualificação e ampliação dos serviços, programas e benefícios que atendem diretamente a população em situação de rua. Foram criadas 129 novas vagas na modalidade de acolhimento institucional para as pessoas em situação de rua e a implantação de duas novas unidades, totalizando hoje 1054 vagas de acolhimento, em 12 unidades para pessoas adultas e suas famílias e quatro exclusivas para adolescente com trajetória de vida nas ruas. Até outubro de 2019 serão implantadas duas novas unidades de acolhimento institucional, totalizando mais 70 vagas, destas, 50 exclusivas para mulheres em situação de rua e 20 para gestantes e puérperas com seus bebês", afirmou o Executivo em nota.

Podcasts Relacionados

(12) comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Zorak da Silva 8:26 AM Aug 25, 2019
Certíssimo, já tivemos casos de viadutos condenados por incêndios causados por moradores de rua, aos hipócritas que criticam sugiro abriguem essas pessoas em suas casas.
3
Denunciar

mariel eustaquio 7:38 AM Aug 25, 2019
QUE IDÉIA DE DEBIL MENTAL DESSE PREFEITO. ARRUME CASAS ENTÃO PRA ESSA GENTE.
15
Denunciar

Alexandre 3:04 PM Aug 25, 2019
Quem arruma casa para as pessoas é CAIXA, e não o prefeito. Basta o cidadão procurar o gerente e assumir as prestações de sumir de vista. Ahhh e o mais importante..... acordar bem cedo para trabalhar para pagar as prestações..... Basta o cidadão querer
15
Denunciar

Christian Haagensen Gontijo 1:58 AM Aug 25, 2019
Mas afinal, quem são os "críticos" que estão fazendo as alegações? Por acaso viaduto é lugar pra ser ocupado por famílias? Por que os "críticos" não as levam para suas próprias casas?
5
Denunciar

Rodrigo silva 1:39 AM Aug 25, 2019
Não sou contra as pedras, nas o problema não é ter pedras ou não, o problema é a população de rua que continua defecando, consumindo drogas e roubando cabos celulares e tudo que veem pela frente, estes só mudarão de lugar. Pena que não vão para a porta da casa do prefeito quem sabe assim ele tomaria uma providência.
3
Denunciar

Guaxinim do Sri Lanka 1:10 AM Aug 25, 2019
Sr. Dirceu...deixa eu explicar uma coisa...obra ou bem publico são de todos...principalmente de quem paga impostos...como eu! Portanto tenho mais direito que o senhor mas graças a Deus não preciso pois tenho uma casa pois levanto to dia 6h para trabalhar e agradecer a Deus pelo o meu trabalho. Sabia que alguns moradores de rua sujam e depredam os bens públicos? O sr. tem família. ..tem a sua mãe. ..coia@ maravilhosa...volte pra casa...vá morar com ela. Ela te ama. Fique Deus.
5
Denunciar

Adriano Ruas 12:07 AM Aug 25, 2019
Tem um certo político Austriaco, com uma carreira desastrosa na Alemanha, mais ou menos entre1938 e 1945 que fazia muito essas obras. Sempre com uma intenção parecida com a do nosso prefeito: proteger a população. Espero que sejam só pequenas semelhanças, mas infelizmente pelo que Belo Horizonte vem virando... vejo trevas!!!
10
Denunciar

WANDERSON CANUTO 11:13 PM Aug 24, 2019
isso e questão de saúde publica, essa historia de colocar pedras para evitar depredação isso e mentia isso nao funciona isso e querer empurrar a sujeira pra debaixo do tapete, o poder publico nao estar nem ai pra nada e nem pra ninguém Belo está um lixo de tanta sujeira e ainda vem a PBH e coloca pedras no passeio ai nao tem como nao virá piada pro povo ri da nossa cara chamando BH de roça tocda capital brasileira tem o seu problema BH nao e diferente !!
5
Denunciar

thercius costa 11:10 PM Aug 24, 2019
A ocupação dos baixios dos viadutos da região central de BH deveria ser através de projetos sociais, os quais contemplaria a inserção social dessa marginalizada população que sobrevive a margem da sociedade. Um bom questionamento a atual gestão da PBH é o que motivou o gestor do município a cancelar em 2017 as concessões para as ocupações dos baixios dos viadutos, via projetos sociais . A alegação da PBH foi ‘’INTERESSE PÚBLICO” , ou seja, o interesse da População, logo, fica a dúvida se de fato a população não queria projetos sociais nos baixios do viaduto da região central de BH.
5
Denunciar

Alexandre 12:09 AM Aug 25, 2019
Não se ocupa embaixo de viaduto, pois foram feitos para veículos passarem por cima.... As políticas públicas, poderiam ocupar o viaduto da mutuca, pois é amplo e cabe todo mundo...
5
Denunciar

isidoro perez ramos 9:29 PM Aug 24, 2019
Há alguns anos fizeram a revitalização do hipercentro. Gastaram milhões. A Guarda Municipal cuidaria do bens públicos. Agora é um banheiro a céu aberto e a Guarda Municipal cuida mais de multa do que preservação de parques e jardins. Ano que vem tem eleição. Quero um prefeito que ponha ordem na cidade.
3
Denunciar

Alexandre 9:08 PM Aug 24, 2019
Empreitada boa.... Resolve duas questões com uma tacada só..... Boa iniciativa. .... Essa turma das ruas é engraçado..... Tem bastante viaduto na BR 040, mas querem ficar é perto do centro..... Todos querem morar perto do centro, sei como funciona
6
Denunciar

Leia mais
LEIA MAIS
Radiação
Prevenção
Segurança
Melhoria
Atenção
Santana do Garambéu
Ajuda
Fórum de Contagem
Araxá
Teófilo Otoni