Programe-se

Artes visuais em BH: veja programação de exposições na capital mineira

Veja quais exposições estão abertas para visitação em Belo Horizonte e os seus horários de funcionamento

Qui, 05/09/19 - 15h32

ARTES VISUAIS

Paul Klee - Equilíbrio Instável
Reúne, mais de 100 obras do suíço Paul Klee (1879-1940). A exposição conta com 16 pinturas, 39 papéis, 5 gravuras, 5 fantoches e 58 desenhos, além de objetos pessoais do artista. Ele transitou por diversos estilos, como o Cubismo, o Expressionismo, o Construtivismo e o Surrealismo, mas não cabe atribuir ao seu legado artístico nenhum em particular, tendo alcançado uma notável expressão pictórica própria, que reforçou seu papel central na história moderna da arte.
CCBB (Circuito Liberdade, 450, Funcionários, 3431-9400). De 4ª a 2ª, das 9h às 21h. Até 18/11

Tudo Sobre Nada
Com o subtítulo "Uma Exposição de Recortes e Aproximações com o Nosso Entorno", do artista Mário Azevedo, colecionador/arquivador nato, que se deu conta de seu acúmulo de obras – suas e de outros artistas –, livros, objetos e imagens arquivados e decidiu colocar à vista todo esse material. Ao todo, 50 imagens de 30x40 centímetros ocuparão a galeria, junto com 15 objetos de pedra, madeira e metal.
Galeria de Arte BDMG Cultural (rua Bernardo Guimarães, 1.600, Lourdes, 3219-8691). Diariamente, das 10h às 18h; 5ª, das 10h às 21h. Até 22/9

Narrativas em Processo – Livros de Artistas na Coleção Itaú Cultural
Apresenta um conjunto de 46 obras, que abarcam 84 anos de confecção deste tipo de livro por artistas brasileiros, na transição entre o moderno e o contemporâneo, e revelam como a participação e a invenção artística traçam fronteiras com a literatura e o design.
Galeria Alberto da Veiga Guignard do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, centro, 3236-7400). De 3ª a sáb., das 9h30 às 21h; dom., das 17h às 21h. Até 29/9

Vislumbre de uma História de Cinema
Criadora do pôster especial do filme "Bacurau", a artista Clara Moreira apresenta seus cartazes para filmes e festivais de cinema. São desenhos feitos a mão, utilizando técnicas como o desenho em lápis de cor, em grafite, pastel seco, pastel oleoso, tinta acrílica, nanquim e carvão, sem intervenção digital.
Foyer do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, centro, 3236-7400). De 2ª a dom., das 9h às 21h. Até 30/9

Leite Derramado - Lorena D’Arc
Pesquisa aborda os elementos naturais leite e terra. 
Galeria Mari’Stella Tristão do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, centro, 3236-7400). De 3ª a sáb., das 9h30 às 21h; dom., das 17h às 21h. Até 22/9

Para Sempre e Um Dia - Renata Cruz
Artista resgata a técnica da aquarela ao transformar em arte a observação do cotidiano.
Galeria Arlinda Corrêa Lima do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, centro, 3236-7400). De 3ª a sáb., das 9h30 às 21h; dom., das 17h às 21h. Até 13/10

Ecos - Rodrigo Arruda
Sinose: Trabalhos abordam a arte contemporânea a partir da ausência ou permanência do público em um espaço expositivo. 
Galeria Genesco Murta do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, centro, 3236-7400). De 3ª a sáb., das 9h30 às 21h; dom., das 17h às 21h. Até 13/10

O Outro Lado da Montanha 
Exposição fotográfica de José Luiz Pederneiras, reúne 25 imagens, que começaram a ser produzidas em 2014, em formatos variados. As imagens mostram as mudanças nos cenários de Minas Gerais, em função da mineração.
Galeria de Arte do Minas Tênis Clube (rua da Bahia, 2.244, Lourdes, 3516-1025). De 3ª a sáb., das 10h às 20h; dom. e feriados, das 11h às 19h. Até 21/10

Festa - Berna Reale
Através da fotografia e instalação, a artista faz um manifesto visual no qual o embate com o real traz a lume a sua relação conflituosa com o caos do mundo.
Viaduto das Artes (av. Olinto Meireles, 45, Barreiro, 3441-6156). De 2ª a 6ª, das 10h às 17h. Até 30/9

Bordado em Memórias - Isabella Brandão
Composta por bordados e fotografi, aborda o bordado em Belo Horizonte e sua relação com o posicionamento da mulher na sociedade.
Memorial Minas Gerais Vale (Circuito Liberdade, 640, Funcionários, 3308-4000). 3ª, 4ª, 6ª e sáb., das 10h às 17h30, com permanência até às 18h; 5ª, das 10h às 21h30, com permanência até às 22h; dom., das 10h às 15h30, com permanência até às 16h. Até 3/11

Entre Espaço
Coletiva de Marina Moreira e Luiza Poeiras, explora a conexão entre os trabalhos das artistas, com foco na discussão do espaço na representação gráfica, utilizando da gravura em metal e seus desdobramentos em linha e mancha.
Centro Cultural UFMG (av. Santos Dumont, 174, centro, 3409-8290). De 3ª a 6ª, das 10h às 21h; sáb. e dom., das 10h às 18h. Até 6/10

O Tempo como Objeto de Transição
Esculturas de Alfredo Nobel. Sua técnica obedece às resistências e fragilidades de materiais como o cimento, a porcelana, o aço e a terracota e orquestram, tanto isoladamente, quanto em conjunto, um fluxo de sentidos e significados.
Centro Cultural UFMG (av. Santos Dumont, 174, centro, 3409-8290). De 3ª a 6ª, das 10h às 21h; sáb. e dom., das 10h às 18h. Até 6/10

Vidas Interrompidas
Produzida por 40 detentos do Ceresp, a mostra retrata por meio de origamis - a secular arte japonesa de dobrar papel - três obras representando a vida, a morte e o renascimento, as tragédias de Mariana e Brumadinho. Ao todo, mais de dois mil origamis foram produzidos para compor as peças.
Museu Mineiro (av. João Pinheiro, 342, Funcionários, 3269-1103). 3ª, 4ª e 6ª, das 10h às 19h; 5ª, das 12h às 21h; sáb. e dom., das 12h às 19h. Até 29/9

Torsos e Outros
A artista Zélia Mendonça, apresenta peças desenvolvidas a partir da técnica de assemblage - espécie de colagem composta por diferentes materiais tridimensionais, em que a união dos objetos cria novos significados para os elementos quando vistos em conjunto.
Museu da Moda (rua da Bahia, 1.149, centro, 3277-9248). De 3ª a 6ª, das 9h às 21h; sáb. e dom., das 10h às 14h. Até 27/10

Jayme Reis
Apresenta gravuras em óleo sobre tela.
Teatro da Cidade (rua da Bahia, 1.341, centro, 3273-1050). De 2ª a 6ª, das 14h às 19h. Até 22/9

Outro Mundo É Possível
Exposição dedicada dedicada ao diretor, dramaturgo e diretor, João das Neves, falecido em agosto do ano passado. A mostra traz quatro ambientes que retratam fases da vida e obra do artista.
Academia Mineira de Letras (rua da Bahia, 1.466, centro). De 3ª a 6ª, das 11h às 21h30; sáb. e dom., das 10h às 16h. Até 4/10

Revisões Concretas
Assinada pelos designers Olavo Machado e Zanini de Zanine, a mostra aborda as influências concretistas no desenho contemporâneo e toma forma em seis obras concebidas exclusivamente para a exposição: sofá, namoradeira, poltrona, chaise e redário - todas feitas a partir do aço, matéria prima da exposição.
MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal (Circuito Liberdade, s/nº, Funcionários, 3516-7200). De 3ª a dom., das 12h às 18h; 5ª, das 12h às 22h. Até 30/9

Coletiva
Coletiva de pintura – das professoras Selma Weissmann e Leonora Weissmann e dos alunos e colegas. Os trabalhos se utilizam de técnicas diversas de pintura e também de suportes diferentes, tendo em vista que uma das alunas – Laura Loli – fará uma pintura diretamente sobre uma área delimitada da parede. Cada pintor, em seu trabalho, evidencia uma pesquisa específica que faz notar a pluralidade de visões e de perspectivas deste coletivo.
Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais (Circuito Liberdade, 21, Funcionários, 3269-1204). De 2ª a 6ª, das 8h às 18h; sáb., das 8h às 12h. Até 28/9

O Diverso na Cor
Sinopses: Coletiva reúne obras de 19 artistas do Atelier Luiz Jahnel.  São telas criadas com técnicas diferenciadas de pintura, como acrílica pincelada, óleo pincelada, óleo espatulado raspado e grosso, pastel oleoso raspado e aquarela, além de desenho.
Galeria de Arte do PIC Cidade (rua Cláudio Manoel, 1.185, Savassi). De 2ª a 6ª, das 7h às 20h; sáb., das 8h às 18h. Até 30/9

País Denso: Velaturas
Exposição de Helena Teixeira Rios. Conjunto é composto por fotografias, trabalhadas por meio de várias técnicas e aplicadas com jato de tinta em papel algodão. As imagens foram coletadas durante a viagem da artista visual a Israel, em 2018. 
Funarte (rua Januária, 68, Floresta, 3213-3084). De 4ª a dom., das 13h30 às 22h. Até 25/9

Serro sem Retoque
O fotógrafo Félix Tolentino reúne cerca de 70 fotografias, onde lança seu olhar sobre a cidade encravada no alto da Serra do Espinhaço e compõe imagens que retratam suas belezas naturais e o cotidiano dos moradores.
Museu Inimá de Paula (rua da Bahia, 1.201, centro, 3213-4320). 3ª, 4ª, 6ª e sáb., das 10h às 18h30; 5ª, das 12h às 20h30; dom., das 10h às 16h30. Ate 8/12

Intermitências
Exposição de fotografias de Sílvia Junqueira. A mostra reúne 20 fotografias capturadas através de um dispositivo celular, impressas em azulejos e 24 fotografias feitas por câmera profissional, analógica e celular.
Centro Cultural UFMG (av. Afonso Pena, 174, centro, 3409-8290). De 3ª a 6ª, das 10h às 21h; sáb. e dom., das 10h às 18h. Até 3/11

Beleza em Movimento - Ícone do Design Italiano
A originalidade e a elegância visionária do design italiano no século XX diferenciaram sua estética do resto do mundo. A ousadia das formas deste design, sua história, grandes marcos, reverberações no presente e inspirações para o futuro são apresentadas nesta mostra que reúne rico e impressionante acervo composto por mais de 100 peças, entre obras de arte, automóveis, objetos e instalações multimídia.
Casa Fiat de Cultura (Circuito Cultural Praça da Liberdade, 10, Funcionários, 3289-8900). De 3ª a 6ª, das 10h às 21h; sáb., dom. e feriados, das 10h às 18h. Até 3/11

A Travessia de Márcia Schmaltz
A exposição conta a história e trajetória da professora, autora, tradutora, intérprete e pesquisadora Márcia Schmaltz. Natural de Porto Alegre, Márcia mudou-se, aos seis anos de idade, para Taiwan, na China, onde viveu e aprendeu a falar mandarim, língua que dominava. A vivência no país asiático fez da professora uma das maiores divulgadoras da cultura chinesa no Brasil.
Centro de Memória da Faculdade de Letras da UFMG - 2º Andar, sala 2010 (av. Presidente Antônio Carlos, 6.627, campus Pampulha). De 2ª a 5ª, das 11h às 13h e, das 14h às 18h30. Até 3/10

Todas as cores da Estrela - Gabriela Machado
Narra a passagem da artista do horizonte ao contorno. Após uma temporada de três anos se dedicando a realização de pequenas pinturas, ela retorna ao grande formato em seu trabalho.
Galeria Celma Albuquerque (rua Antônio de Albuquerque, 885, Savassi, 3227-6494). De 2ª a 6ª, das 9h ás 19h; sáb., das 8h30 às 13h. Até 12/10

Que Pão Comeremos Amanhã?
A mostra exibe 17 obras, entre fotos, áudio e vídeo e aborda a história do pão, sua indústria e consumo. bO público também confere as pesquisas que foram conduzidas sobre o tema, além de curiosidades como as diferentes etapas de fabricação de uma baguete, formas de fermentação e como a tecnologia influencia na forma de preparo dos pães, desde o sequenciamento do genoma até a manipulação.
Galeria Georges Vincent (rua Tomé de Souza, 1.418, Savassi, 3291-5187). De 2ª a 5ª, das 7h30 às 20h15; 6ª, das 7h30 às 17h15; sáb., das 8h às 13h. Até 5/10

Diversidade
Reúne obras que falam sobre ideias e sentimentos acerca das reações humanas na contemporaneidade. Ao todo, são 24 peças, entre pinturas e esculturas, com identidades visuais distintas, mas com um único propósito: experimentar sensações por meio de imagens.
Passo das Artes - Colégio Loyola (av. do Contorno, 7.919, Cidade Jardim). De 2ª a 6ª, das 8h às 9h30; das 10h30 às 12h; das 14h às 15h30; das 16h30 às 18h. Até 20/9

Passeio Poético pela História da Arte
Rosangella Menezes apresenta a sua releitura autoral de grandes nomes da história da arte. São peças que retraram personagens históricos da arte tais como Klint, Modigliani, Matisse, Vermeer, Mucha, Frida, Degas, Di Cavalcanti, Klee e Tarsila do Amaral.
Patrícia de Deus – Ideias e Papéis (rua Fernandes Tourinho, 145, Savassi, 3223-5415). De 2ª a 6ª, das 10h às 19h; sáb., das 10h às 14h. Temporada indeterminada

Dias de Calor - Luiz Lemos
A mostra reúne pinturas e instalações realizadas em 2018 e 2019 e apresenta um amplo conjunto de trabalhos que tem como norte de investigação as relações entre a interpretação da paisagem, elementos de comunicação e possíveis fronteiras entre imagem e palavra. 
Centro Cultural UFMG (av. Santos Dumont, 174, centro, 3409-8290). De 3ª a 6ª, das 10h às 21h; sáb. e dom., das 10h às 18h. Até 3/11

Tudo É Casa, Casca, Escasso, Ocaso, Corpo - Luiza Alcântara
A mostra apresenta desenhos, fotografias, cerâmicas e a videoinstalação "Desmanche".
Memorial Minas Gerais Vale (Circuito Liberdade, 640, Funcionários, 3308-4000). 3ª, 4ª, 6ª e sáb., das 10h às 17h30, com permanência até às 18h; 5ª, das 10h às 21h30, com permanência até às 22h; dom., das 10h às 15h30, com permanência até às 16h. Até 30/10

Mostra Coletiva
Reúne obras dos dez artistas selecionados para o Programa Bolsa Pampulha: Alex Oliveira (BA), Guerreiro do Divino Amor (RJ), David de Jesus do Nascimento (MG), Dayane Tropikaos (MG), Gê Viana (MA), Sallisa Rosa (GO), Sara Lana (MG), Simone Cortezão (MG), Ventura Profana (BA) e Desali (MG).
Museu de Arte da Pampulha (av. Otacílio Negrão de Lima, 16.585, Pampulha, 3277-7996). De 3ª a dom., das 9h às 18h. Até 17/11

Paisagens Minerais - Sérgio Marzano
Apresenta exposição composta de pinturas feitas inteiramente com tintas minerais.
MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal (Circuito Liberdade, s/nº, Funcionários, 3516-7200). De 3ª a dom., das 12h às 18h; 5ª, das 12h às 22h. Até 20/10

Memórias do Tempo - Marcília Mourão
A profusão de cores aliada à uma técnica complexa que une a pintura e a costura são características marcantes na obra da artista plástica, onde utiliza texturas e alinhavos que perpassam a tela como pespontos que transformam a linha em elemento pictórico. Rendas e tecidos são recortados e costurados, misturando-se à tinta acrílica para criar cenas imaginárias, paisagens oníricas, personagens e objetos que repercutem lembranças que resistem e persistem em se fazer presentes.
Galeria de Arte da Fundação FCPEMG (rua da Bahia, 1.032, 9º andar, centro, 3146-9302). De 2ª a 6ª, das 14h às 18h. Até 31/10

 

 

MUSEUS

CENTRO DE ARTE POPULAR CEMIG
O acervo do museu conduz o visitante ao imaginário de diferentes artistas e suas expressões populares, criando uma imersão na nossa cultura de raiz. Em todos os andares, o visitante encontra obras que traduzem histórias e crenças do povo mineiro. A edificação do início do século XX possui características do ecletismo. Na sala Grandes Mestres, estão reunidas obras de nomes como GTO, Artur Pereira, Zefa, Zezinha, Placedina, Ulisses Pereira, Isabel Mendes e Noemiza. 
Rua Gonçalves Dias, 1.608, Lourdes, 3014-0092. 3ª, 4ª e 6ª, das 10h às 19h; 5ª, das 12h às 21h; sab., das 12h às 19h. Entrada gratuita

ESPAÇO DO CONHECIMENTO UFMG
O espaço de divulgação e fruição científica abriga um planetário de última geração e único em Minas, observatório astronômico e um conjunto de exposições temáticas interativas que abordam assuntos como o universo, a vida na Terra, o meio ambiente e os processos humanos de simbolização e trocas sociais, com cenários interativos e muita tecnologia. O objetivo é aproximar a ciência das pessoas.
Praça da Liberdade, s/nº, Funcionários, 3409-8350. 3ª, 4ª, 6ª, sáb. e dom.,  das 10h às 17h; 5ª, das 10h às 21h. Entrada gratuita

INSTITUTO INHOTIM
A arte e a arquitetura convivem em harmonia com a natureza no espaço. Em uma área de quase 100 hectares, com jardins desenhados por Burle Max, estão espalhadas obras de artistas célebres, como Amilcar de Castro, Tunga, Cildo Meireles, Adriana Varejão, Hélio Oiticica, Chris Burden, Doug Aitken e Edgard de Souza. O visitante pode fazer visitas guiadas à mata e conhecer mais sobre as espécies animais e vegetais que habitam a região. O Inhotim tem ainda uma rede de restaurantes, lanchonetes e cafeterias.
Rua B, 20, Brumadinho). 3ª a 6ª, das 9h30 às 16h30; Sáb., dom. e feriados, das 9h30 às 17h30. Entrada gratuita às quartas; Ingressos: R$ 44 (inteira). Estudantes identificados e maiores de 60 anos pagam meia-entrada. Crianças de até 5 anos não pagam. Informações: 3571-9700. É necessário apresentar a carteira original de vacina, e nela constando a imunização contra a febre amarela, há pelo 10 dias de aplicada

MEMORIAL MINAS GERAIS VALE
O museu instiga o visitante a descobrir a história e os costumes mineiros, do século XVIII ao momento atual, de uma forma diferente e interativa. Personagens ilustres, vilas barrocas, grandes autores, cidadãos comuns, moda, comida típica e até o futebol estão representados nas 31 salas. Em todas elas, a tecnologia é utilizada em conjunto com objetos e cenários tradicionais para criar um espaço rico e futurista, que ressalte as experiências propostas pelo espaço.
Praça da Liberdade, s/nº, Funcionários, 3308-4000. 3ª, 4ª, 6ª e sáb., das 10h às 17h30, com permanência até 18h; 5ª das 10h às 21h30, com permanência até 22h; dom.,  das 10h às 15h30, com permanência até 16h. Entrada gratuita

MUSEU BRASILEIRO DO FUTEBOL
O visitante pode conhecer a história do Mineirão por meio de um grande acervo de imagens, exposição de troféus, bolas usadas durante as partidas, placas, entre outros objetos.
Mineirão (av. Coronel Oscar Paschoal, s/nº, portão G2, Mineirão, 3499-4312/ 4304). 3ª a 6ª, das 9h às 17h; sáb. e dom., das 9h às 13h. Dias de jogos, eventos e feriados (depende do evento e horário). Ingressos: R$ 20 (inteira). Permanente

MUSEU DAS MINAS E DO METAL
O local tem 18 salas de exposição e cerca de 50 atrações em 3D e 2D, sobre a relação da história do Estado de Minas Gerais com a riqueza de suas minas e recursos. Abriga importante acervo sobre mineração e metalurgia, documentando duas das principais atividades econômicas de Minas. O visitante fica sabendo sobre o universo das rochas, os processos de transformação dos minérios e a importância deles para a vida humana e o desenvolvimento social, econômico e cultural.
Praça da Liberdade, s/nº, Funcionários, 3516-7200. 3ª, 4ª, 6ª, sáb. e dom., das 12h às 18h; 5ª, das 12h às 22h. Entrada franca

MUSEU DE CIÊNCIAS NATURAIS PUC MINAS
Panorama da fauna brasileira até o fim do período Pleistoceno, por meio de acervo inédito que apresenta animais já extintos e espécies atuais, incluindo Idi Amin, famoso gorila que habitou o zoológico de Belo Horizonte. O corpo do gorila estará exposto ao lado de Cleópatra, gorila que também veio do zoológico e, dos esqueletos dos elefantes Joca e Margarete.
Av. Dom José Gaspar, 290, Coração Eucarístico, 3319-4152). 3ª a sáb. e feriados, das 9h às 17h; 5ª, das 9h às 21h. R$ 10. Crianças até três anos não pagam; crianças de cinco a 12 anos, e adultos acima de 60 anos, pagam meia entrada

MUSEU DE ARTE DA PAMPULHA
Localizado no conjunto arquitetônico da Pampulha, projetado por Oscar Niemeyer entre 1942 e 1944, o Museu  foi inaugurado em 1956 no edifício onde funcionava um cassino. O acervo do MAP distingue-se pela variedade de temas em suas exposições. Além disso, reúne um conjunto de obras que fazem um panorama da arte moderna e contemporânea de Minas Gerais e do Brasil. No local, é possível ver trabalhos de Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Alberto da Veiga Guignard, Amilcar de Castro e Farnese de Andrade, entre outros. Os jardins do prédio foram projetados por Burle Marx.
Av. Otacílio Negrão de Lima, 16.585, Pampulha, 3277-7953. 3ª a dom., das 9h às 19h. Entrada gratuita

MUSEU DE ARTES E OFÍCIOS
O espaço cultural abriga e difunde um acervo representativo do universo do trabalho, das artes e dos ofícios do Brasil. O museu, criado a partir do conjunto de mais de 2.000 peças da colecionadora Angela Gutierrez, promove o encontro do trabalhador consigo mesmo, com sua história e com o seu tempo. Destaque para como ferramentas, utensílios, máquinas e equipamentos diversos, a maioria datados dos séculos XVIII a XX. O museu está instalado na Estação Central de Belo Horizonte.
Praça da Estação, s/nº, centro, 3248-8600. 3ª a 6ª, das 12h às 19h; sáb., dom. e feriados, das 9h às 17h. Entrada gratuita. Permanente

MUSEU DO COTIDIANO
Com área em torno de 600 metros quadrados, reúne objetos que testemunham tanto a evolução tecnológica quanto o desenvolvimento sociocultural, como as séries de aparelhos e máquinas. Entre as mais de 100 mil peças do museu, estão uma balança de ovos, chuveiro a álcool, celular de 1991, uma fábrica de hóstias, entre outros objetos.
Museu do Cotidiano (rua Bernardo Guimarães, 1.296, Funcionários. Agendamento de visitas: 99612-2431. Entrada gratuita. Permanente

MUSEU DOS BRINQUEDOS
Localizado em uma casa tombada pelo patrimônio histórico de Belo Horizonte, o museu ajuda a preservar e divulgar o patrimônio cultural lúdico da infância. O conjunto foi reunido pela senhora Luiza de Azevedo Meyer, falecida em 2000. Com aproximadamente 5.000 peças, de procedência nacional e internacional, o acervo é composto, entre outros objetos, de bonecas, carrinhos, carrinhos de bebê, móveis, fogões, louças, trenzinhos, autoramas, fantoches, robôs, jogos, brinquedos musicais e livros infantojuvenis. Atualmente, permanecem em exposição aproximadamente 800 exemplares dos mais diversos países, do início do século XX até os dias atuais.
Av. Afonso Pena, 2.564, Funcionários, 3261-3992. 2ª a 6ª, das 9h às 17h; sáb. e feriados, das 10h às 17h. R$ 24 (inteira)

MUSEU HISTÓRICO ABÍLIO BARRETO
Inaugurado em 1943, o museu é a instituição que guarda parte significativa da história de Belo Horizonte e de Minas, com destaque para mobiliário, esculturas, arte sacra, peças decorativas, documentos e imagens. No total, o acervo permanente conta com 8.000 peças. Na área externa do casarão colonial, datado de 1883, estão abrigos para o bonde elétrico e uma locomotiva a vapor, um palco ao ar livre e jardins concebidos como local de educação e lazer.
Av. Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim, 3277-8573. 3ª, 6ª, sáb. e dom., das 10h às 17h; 4ª e 5ª, das 10h às 21h. Entrada gratuita

MUSEU INIMÁ DE PAULA
O objetivo do museu é preservar a memória e a obra de Inimá de Paula, pintor mineiro que viveu entre 1918 e 1999. O acervo apresenta quadros da coleção particular do artista, autorretratos, desenhos e tapetes produzidos desde a década de 1940 até os anos 90. Além disso, o local tem materiais que faziam parte do ateliê de Inimá, como pincéis, paletas, tubos de tinta, cavaletes, espátulas, gravuras, fotos e slides.
Rua da Bahia, 1.201, centro, 3213-4320. 3ª, 4ª, 6ª e sáb., das 10h às 18h30; 5ª, das 12h às 20h30; dom., das 12h às 18h30. Entrada gratuita

MUSEU MINEIRO
A construção do final do século XIX revela a arquitetura que marcou oficialmente a fase inicial da cidade e reúne pinturas históricas, gravuras, esculturas, achados arqueológicos, imagens sacras e objetos datados dos séculos XVIII e XIX, como obras do mestre Ataíde e Joaquim José da Natividade.
Av. João Pinheiro, 342, centro, 3269-1109. 3ª a 6ª, das 10h às 17h; sáb. e dom., das 12h às 16h. Entrada gratuita

Comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Leia mais
LEIA MAIS
Cinema
No Twitter
Cinema
Comédia
Inviável
Música
Acabou
Agito
Sertanejo
Gratuito

Programe-se

Artes visuais em BH: veja programação de exposições na capital mineira

Veja quais exposições estão abertas para visitação em Belo Horizonte e os seus horários de funcionamento

Qui, 05/09/19 - 15h32

ARTES VISUAIS

Paul Klee - Equilíbrio Instável
Reúne, mais de 100 obras do suíço Paul Klee (1879-1940). A exposição conta com 16 pinturas, 39 papéis, 5 gravuras, 5 fantoches e 58 desenhos, além de objetos pessoais do artista. Ele transitou por diversos estilos, como o Cubismo, o Expressionismo, o Construtivismo e o Surrealismo, mas não cabe atribuir ao seu legado artístico nenhum em particular, tendo alcançado uma notável expressão pictórica própria, que reforçou seu papel central na história moderna da arte.
CCBB (Circuito Liberdade, 450, Funcionários, 3431-9400). De 4ª a 2ª, das 9h às 21h. Até 18/11

Tudo Sobre Nada
Com o subtítulo "Uma Exposição de Recortes e Aproximações com o Nosso Entorno", do artista Mário Azevedo, colecionador/arquivador nato, que se deu conta de seu acúmulo de obras – suas e de outros artistas –, livros, objetos e imagens arquivados e decidiu colocar à vista todo esse material. Ao todo, 50 imagens de 30x40 centímetros ocuparão a galeria, junto com 15 objetos de pedra, madeira e metal.
Galeria de Arte BDMG Cultural (rua Bernardo Guimarães, 1.600, Lourdes, 3219-8691). Diariamente, das 10h às 18h; 5ª, das 10h às 21h. Até 22/9

Narrativas em Processo – Livros de Artistas na Coleção Itaú Cultural
Apresenta um conjunto de 46 obras, que abarcam 84 anos de confecção deste tipo de livro por artistas brasileiros, na transição entre o moderno e o contemporâneo, e revelam como a participação e a invenção artística traçam fronteiras com a literatura e o design.
Galeria Alberto da Veiga Guignard do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, centro, 3236-7400). De 3ª a sáb., das 9h30 às 21h; dom., das 17h às 21h. Até 29/9

Vislumbre de uma História de Cinema
Criadora do pôster especial do filme "Bacurau", a artista Clara Moreira apresenta seus cartazes para filmes e festivais de cinema. São desenhos feitos a mão, utilizando técnicas como o desenho em lápis de cor, em grafite, pastel seco, pastel oleoso, tinta acrílica, nanquim e carvão, sem intervenção digital.
Foyer do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, centro, 3236-7400). De 2ª a dom., das 9h às 21h. Até 30/9

Leite Derramado - Lorena D’Arc
Pesquisa aborda os elementos naturais leite e terra. 
Galeria Mari’Stella Tristão do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, centro, 3236-7400). De 3ª a sáb., das 9h30 às 21h; dom., das 17h às 21h. Até 22/9

Para Sempre e Um Dia - Renata Cruz
Artista resgata a técnica da aquarela ao transformar em arte a observação do cotidiano.
Galeria Arlinda Corrêa Lima do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, centro, 3236-7400). De 3ª a sáb., das 9h30 às 21h; dom., das 17h às 21h. Até 13/10

Ecos - Rodrigo Arruda
Sinose: Trabalhos abordam a arte contemporânea a partir da ausência ou permanência do público em um espaço expositivo. 
Galeria Genesco Murta do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, centro, 3236-7400). De 3ª a sáb., das 9h30 às 21h; dom., das 17h às 21h. Até 13/10

O Outro Lado da Montanha 
Exposição fotográfica de José Luiz Pederneiras, reúne 25 imagens, que começaram a ser produzidas em 2014, em formatos variados. As imagens mostram as mudanças nos cenários de Minas Gerais, em função da mineração.
Galeria de Arte do Minas Tênis Clube (rua da Bahia, 2.244, Lourdes, 3516-1025). De 3ª a sáb., das 10h às 20h; dom. e feriados, das 11h às 19h. Até 21/10

Festa - Berna Reale
Através da fotografia e instalação, a artista faz um manifesto visual no qual o embate com o real traz a lume a sua relação conflituosa com o caos do mundo.
Viaduto das Artes (av. Olinto Meireles, 45, Barreiro, 3441-6156). De 2ª a 6ª, das 10h às 17h. Até 30/9

Bordado em Memórias - Isabella Brandão
Composta por bordados e fotografi, aborda o bordado em Belo Horizonte e sua relação com o posicionamento da mulher na sociedade.
Memorial Minas Gerais Vale (Circuito Liberdade, 640, Funcionários, 3308-4000). 3ª, 4ª, 6ª e sáb., das 10h às 17h30, com permanência até às 18h; 5ª, das 10h às 21h30, com permanência até às 22h; dom., das 10h às 15h30, com permanência até às 16h. Até 3/11

Entre Espaço
Coletiva de Marina Moreira e Luiza Poeiras, explora a conexão entre os trabalhos das artistas, com foco na discussão do espaço na representação gráfica, utilizando da gravura em metal e seus desdobramentos em linha e mancha.
Centro Cultural UFMG (av. Santos Dumont, 174, centro, 3409-8290). De 3ª a 6ª, das 10h às 21h; sáb. e dom., das 10h às 18h. Até 6/10

O Tempo como Objeto de Transição
Esculturas de Alfredo Nobel. Sua técnica obedece às resistências e fragilidades de materiais como o cimento, a porcelana, o aço e a terracota e orquestram, tanto isoladamente, quanto em conjunto, um fluxo de sentidos e significados.
Centro Cultural UFMG (av. Santos Dumont, 174, centro, 3409-8290). De 3ª a 6ª, das 10h às 21h; sáb. e dom., das 10h às 18h. Até 6/10

Vidas Interrompidas
Produzida por 40 detentos do Ceresp, a mostra retrata por meio de origamis - a secular arte japonesa de dobrar papel - três obras representando a vida, a morte e o renascimento, as tragédias de Mariana e Brumadinho. Ao todo, mais de dois mil origamis foram produzidos para compor as peças.
Museu Mineiro (av. João Pinheiro, 342, Funcionários, 3269-1103). 3ª, 4ª e 6ª, das 10h às 19h; 5ª, das 12h às 21h; sáb. e dom., das 12h às 19h. Até 29/9

Torsos e Outros
A artista Zélia Mendonça, apresenta peças desenvolvidas a partir da técnica de assemblage - espécie de colagem composta por diferentes materiais tridimensionais, em que a união dos objetos cria novos significados para os elementos quando vistos em conjunto.
Museu da Moda (rua da Bahia, 1.149, centro, 3277-9248). De 3ª a 6ª, das 9h às 21h; sáb. e dom., das 10h às 14h. Até 27/10

Jayme Reis
Apresenta gravuras em óleo sobre tela.
Teatro da Cidade (rua da Bahia, 1.341, centro, 3273-1050). De 2ª a 6ª, das 14h às 19h. Até 22/9

Outro Mundo É Possível
Exposição dedicada dedicada ao diretor, dramaturgo e diretor, João das Neves, falecido em agosto do ano passado. A mostra traz quatro ambientes que retratam fases da vida e obra do artista.
Academia Mineira de Letras (rua da Bahia, 1.466, centro). De 3ª a 6ª, das 11h às 21h30; sáb. e dom., das 10h às 16h. Até 4/10

Revisões Concretas
Assinada pelos designers Olavo Machado e Zanini de Zanine, a mostra aborda as influências concretistas no desenho contemporâneo e toma forma em seis obras concebidas exclusivamente para a exposição: sofá, namoradeira, poltrona, chaise e redário - todas feitas a partir do aço, matéria prima da exposição.
MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal (Circuito Liberdade, s/nº, Funcionários, 3516-7200). De 3ª a dom., das 12h às 18h; 5ª, das 12h às 22h. Até 30/9

Coletiva
Coletiva de pintura – das professoras Selma Weissmann e Leonora Weissmann e dos alunos e colegas. Os trabalhos se utilizam de técnicas diversas de pintura e também de suportes diferentes, tendo em vista que uma das alunas – Laura Loli – fará uma pintura diretamente sobre uma área delimitada da parede. Cada pintor, em seu trabalho, evidencia uma pesquisa específica que faz notar a pluralidade de visões e de perspectivas deste coletivo.
Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais (Circuito Liberdade, 21, Funcionários, 3269-1204). De 2ª a 6ª, das 8h às 18h; sáb., das 8h às 12h. Até 28/9

O Diverso na Cor
Sinopses: Coletiva reúne obras de 19 artistas do Atelier Luiz Jahnel.  São telas criadas com técnicas diferenciadas de pintura, como acrílica pincelada, óleo pincelada, óleo espatulado raspado e grosso, pastel oleoso raspado e aquarela, além de desenho.
Galeria de Arte do PIC Cidade (rua Cláudio Manoel, 1.185, Savassi). De 2ª a 6ª, das 7h às 20h; sáb., das 8h às 18h. Até 30/9

País Denso: Velaturas
Exposição de Helena Teixeira Rios. Conjunto é composto por fotografias, trabalhadas por meio de várias técnicas e aplicadas com jato de tinta em papel algodão. As imagens foram coletadas durante a viagem da artista visual a Israel, em 2018. 
Funarte (rua Januária, 68, Floresta, 3213-3084). De 4ª a dom., das 13h30 às 22h. Até 25/9

Serro sem Retoque
O fotógrafo Félix Tolentino reúne cerca de 70 fotografias, onde lança seu olhar sobre a cidade encravada no alto da Serra do Espinhaço e compõe imagens que retratam suas belezas naturais e o cotidiano dos moradores.
Museu Inimá de Paula (rua da Bahia, 1.201, centro, 3213-4320). 3ª, 4ª, 6ª e sáb., das 10h às 18h30; 5ª, das 12h às 20h30; dom., das 10h às 16h30. Ate 8/12

Intermitências
Exposição de fotografias de Sílvia Junqueira. A mostra reúne 20 fotografias capturadas através de um dispositivo celular, impressas em azulejos e 24 fotografias feitas por câmera profissional, analógica e celular.
Centro Cultural UFMG (av. Afonso Pena, 174, centro, 3409-8290). De 3ª a 6ª, das 10h às 21h; sáb. e dom., das 10h às 18h. Até 3/11

Beleza em Movimento - Ícone do Design Italiano
A originalidade e a elegância visionária do design italiano no século XX diferenciaram sua estética do resto do mundo. A ousadia das formas deste design, sua história, grandes marcos, reverberações no presente e inspirações para o futuro são apresentadas nesta mostra que reúne rico e impressionante acervo composto por mais de 100 peças, entre obras de arte, automóveis, objetos e instalações multimídia.
Casa Fiat de Cultura (Circuito Cultural Praça da Liberdade, 10, Funcionários, 3289-8900). De 3ª a 6ª, das 10h às 21h; sáb., dom. e feriados, das 10h às 18h. Até 3/11

A Travessia de Márcia Schmaltz
A exposição conta a história e trajetória da professora, autora, tradutora, intérprete e pesquisadora Márcia Schmaltz. Natural de Porto Alegre, Márcia mudou-se, aos seis anos de idade, para Taiwan, na China, onde viveu e aprendeu a falar mandarim, língua que dominava. A vivência no país asiático fez da professora uma das maiores divulgadoras da cultura chinesa no Brasil.
Centro de Memória da Faculdade de Letras da UFMG - 2º Andar, sala 2010 (av. Presidente Antônio Carlos, 6.627, campus Pampulha). De 2ª a 5ª, das 11h às 13h e, das 14h às 18h30. Até 3/10

Todas as cores da Estrela - Gabriela Machado
Narra a passagem da artista do horizonte ao contorno. Após uma temporada de três anos se dedicando a realização de pequenas pinturas, ela retorna ao grande formato em seu trabalho.
Galeria Celma Albuquerque (rua Antônio de Albuquerque, 885, Savassi, 3227-6494). De 2ª a 6ª, das 9h ás 19h; sáb., das 8h30 às 13h. Até 12/10

Que Pão Comeremos Amanhã?
A mostra exibe 17 obras, entre fotos, áudio e vídeo e aborda a história do pão, sua indústria e consumo. bO público também confere as pesquisas que foram conduzidas sobre o tema, além de curiosidades como as diferentes etapas de fabricação de uma baguete, formas de fermentação e como a tecnologia influencia na forma de preparo dos pães, desde o sequenciamento do genoma até a manipulação.
Galeria Georges Vincent (rua Tomé de Souza, 1.418, Savassi, 3291-5187). De 2ª a 5ª, das 7h30 às 20h15; 6ª, das 7h30 às 17h15; sáb., das 8h às 13h. Até 5/10

Diversidade
Reúne obras que falam sobre ideias e sentimentos acerca das reações humanas na contemporaneidade. Ao todo, são 24 peças, entre pinturas e esculturas, com identidades visuais distintas, mas com um único propósito: experimentar sensações por meio de imagens.
Passo das Artes - Colégio Loyola (av. do Contorno, 7.919, Cidade Jardim). De 2ª a 6ª, das 8h às 9h30; das 10h30 às 12h; das 14h às 15h30; das 16h30 às 18h. Até 20/9

Passeio Poético pela História da Arte
Rosangella Menezes apresenta a sua releitura autoral de grandes nomes da história da arte. São peças que retraram personagens históricos da arte tais como Klint, Modigliani, Matisse, Vermeer, Mucha, Frida, Degas, Di Cavalcanti, Klee e Tarsila do Amaral.
Patrícia de Deus – Ideias e Papéis (rua Fernandes Tourinho, 145, Savassi, 3223-5415). De 2ª a 6ª, das 10h às 19h; sáb., das 10h às 14h. Temporada indeterminada

Dias de Calor - Luiz Lemos
A mostra reúne pinturas e instalações realizadas em 2018 e 2019 e apresenta um amplo conjunto de trabalhos que tem como norte de investigação as relações entre a interpretação da paisagem, elementos de comunicação e possíveis fronteiras entre imagem e palavra. 
Centro Cultural UFMG (av. Santos Dumont, 174, centro, 3409-8290). De 3ª a 6ª, das 10h às 21h; sáb. e dom., das 10h às 18h. Até 3/11

Tudo É Casa, Casca, Escasso, Ocaso, Corpo - Luiza Alcântara
A mostra apresenta desenhos, fotografias, cerâmicas e a videoinstalação "Desmanche".
Memorial Minas Gerais Vale (Circuito Liberdade, 640, Funcionários, 3308-4000). 3ª, 4ª, 6ª e sáb., das 10h às 17h30, com permanência até às 18h; 5ª, das 10h às 21h30, com permanência até às 22h; dom., das 10h às 15h30, com permanência até às 16h. Até 30/10

Mostra Coletiva
Reúne obras dos dez artistas selecionados para o Programa Bolsa Pampulha: Alex Oliveira (BA), Guerreiro do Divino Amor (RJ), David de Jesus do Nascimento (MG), Dayane Tropikaos (MG), Gê Viana (MA), Sallisa Rosa (GO), Sara Lana (MG), Simone Cortezão (MG), Ventura Profana (BA) e Desali (MG).
Museu de Arte da Pampulha (av. Otacílio Negrão de Lima, 16.585, Pampulha, 3277-7996). De 3ª a dom., das 9h às 18h. Até 17/11

Paisagens Minerais - Sérgio Marzano
Apresenta exposição composta de pinturas feitas inteiramente com tintas minerais.
MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal (Circuito Liberdade, s/nº, Funcionários, 3516-7200). De 3ª a dom., das 12h às 18h; 5ª, das 12h às 22h. Até 20/10

Memórias do Tempo - Marcília Mourão
A profusão de cores aliada à uma técnica complexa que une a pintura e a costura são características marcantes na obra da artista plástica, onde utiliza texturas e alinhavos que perpassam a tela como pespontos que transformam a linha em elemento pictórico. Rendas e tecidos são recortados e costurados, misturando-se à tinta acrílica para criar cenas imaginárias, paisagens oníricas, personagens e objetos que repercutem lembranças que resistem e persistem em se fazer presentes.
Galeria de Arte da Fundação FCPEMG (rua da Bahia, 1.032, 9º andar, centro, 3146-9302). De 2ª a 6ª, das 14h às 18h. Até 31/10

 

 

MUSEUS

CENTRO DE ARTE POPULAR CEMIG
O acervo do museu conduz o visitante ao imaginário de diferentes artistas e suas expressões populares, criando uma imersão na nossa cultura de raiz. Em todos os andares, o visitante encontra obras que traduzem histórias e crenças do povo mineiro. A edificação do início do século XX possui características do ecletismo. Na sala Grandes Mestres, estão reunidas obras de nomes como GTO, Artur Pereira, Zefa, Zezinha, Placedina, Ulisses Pereira, Isabel Mendes e Noemiza. 
Rua Gonçalves Dias, 1.608, Lourdes, 3014-0092. 3ª, 4ª e 6ª, das 10h às 19h; 5ª, das 12h às 21h; sab., das 12h às 19h. Entrada gratuita

ESPAÇO DO CONHECIMENTO UFMG
O espaço de divulgação e fruição científica abriga um planetário de última geração e único em Minas, observatório astronômico e um conjunto de exposições temáticas interativas que abordam assuntos como o universo, a vida na Terra, o meio ambiente e os processos humanos de simbolização e trocas sociais, com cenários interativos e muita tecnologia. O objetivo é aproximar a ciência das pessoas.
Praça da Liberdade, s/nº, Funcionários, 3409-8350. 3ª, 4ª, 6ª, sáb. e dom.,  das 10h às 17h; 5ª, das 10h às 21h. Entrada gratuita

INSTITUTO INHOTIM
A arte e a arquitetura convivem em harmonia com a natureza no espaço. Em uma área de quase 100 hectares, com jardins desenhados por Burle Max, estão espalhadas obras de artistas célebres, como Amilcar de Castro, Tunga, Cildo Meireles, Adriana Varejão, Hélio Oiticica, Chris Burden, Doug Aitken e Edgard de Souza. O visitante pode fazer visitas guiadas à mata e conhecer mais sobre as espécies animais e vegetais que habitam a região. O Inhotim tem ainda uma rede de restaurantes, lanchonetes e cafeterias.
Rua B, 20, Brumadinho). 3ª a 6ª, das 9h30 às 16h30; Sáb., dom. e feriados, das 9h30 às 17h30. Entrada gratuita às quartas; Ingressos: R$ 44 (inteira). Estudantes identificados e maiores de 60 anos pagam meia-entrada. Crianças de até 5 anos não pagam. Informações: 3571-9700. É necessário apresentar a carteira original de vacina, e nela constando a imunização contra a febre amarela, há pelo 10 dias de aplicada

MEMORIAL MINAS GERAIS VALE
O museu instiga o visitante a descobrir a história e os costumes mineiros, do século XVIII ao momento atual, de uma forma diferente e interativa. Personagens ilustres, vilas barrocas, grandes autores, cidadãos comuns, moda, comida típica e até o futebol estão representados nas 31 salas. Em todas elas, a tecnologia é utilizada em conjunto com objetos e cenários tradicionais para criar um espaço rico e futurista, que ressalte as experiências propostas pelo espaço.
Praça da Liberdade, s/nº, Funcionários, 3308-4000. 3ª, 4ª, 6ª e sáb., das 10h às 17h30, com permanência até 18h; 5ª das 10h às 21h30, com permanência até 22h; dom.,  das 10h às 15h30, com permanência até 16h. Entrada gratuita

MUSEU BRASILEIRO DO FUTEBOL
O visitante pode conhecer a história do Mineirão por meio de um grande acervo de imagens, exposição de troféus, bolas usadas durante as partidas, placas, entre outros objetos.
Mineirão (av. Coronel Oscar Paschoal, s/nº, portão G2, Mineirão, 3499-4312/ 4304). 3ª a 6ª, das 9h às 17h; sáb. e dom., das 9h às 13h. Dias de jogos, eventos e feriados (depende do evento e horário). Ingressos: R$ 20 (inteira). Permanente

MUSEU DAS MINAS E DO METAL
O local tem 18 salas de exposição e cerca de 50 atrações em 3D e 2D, sobre a relação da história do Estado de Minas Gerais com a riqueza de suas minas e recursos. Abriga importante acervo sobre mineração e metalurgia, documentando duas das principais atividades econômicas de Minas. O visitante fica sabendo sobre o universo das rochas, os processos de transformação dos minérios e a importância deles para a vida humana e o desenvolvimento social, econômico e cultural.
Praça da Liberdade, s/nº, Funcionários, 3516-7200. 3ª, 4ª, 6ª, sáb. e dom., das 12h às 18h; 5ª, das 12h às 22h. Entrada franca

MUSEU DE CIÊNCIAS NATURAIS PUC MINAS
Panorama da fauna brasileira até o fim do período Pleistoceno, por meio de acervo inédito que apresenta animais já extintos e espécies atuais, incluindo Idi Amin, famoso gorila que habitou o zoológico de Belo Horizonte. O corpo do gorila estará exposto ao lado de Cleópatra, gorila que também veio do zoológico e, dos esqueletos dos elefantes Joca e Margarete.
Av. Dom José Gaspar, 290, Coração Eucarístico, 3319-4152). 3ª a sáb. e feriados, das 9h às 17h; 5ª, das 9h às 21h. R$ 10. Crianças até três anos não pagam; crianças de cinco a 12 anos, e adultos acima de 60 anos, pagam meia entrada

MUSEU DE ARTE DA PAMPULHA
Localizado no conjunto arquitetônico da Pampulha, projetado por Oscar Niemeyer entre 1942 e 1944, o Museu  foi inaugurado em 1956 no edifício onde funcionava um cassino. O acervo do MAP distingue-se pela variedade de temas em suas exposições. Além disso, reúne um conjunto de obras que fazem um panorama da arte moderna e contemporânea de Minas Gerais e do Brasil. No local, é possível ver trabalhos de Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Alberto da Veiga Guignard, Amilcar de Castro e Farnese de Andrade, entre outros. Os jardins do prédio foram projetados por Burle Marx.
Av. Otacílio Negrão de Lima, 16.585, Pampulha, 3277-7953. 3ª a dom., das 9h às 19h. Entrada gratuita

MUSEU DE ARTES E OFÍCIOS
O espaço cultural abriga e difunde um acervo representativo do universo do trabalho, das artes e dos ofícios do Brasil. O museu, criado a partir do conjunto de mais de 2.000 peças da colecionadora Angela Gutierrez, promove o encontro do trabalhador consigo mesmo, com sua história e com o seu tempo. Destaque para como ferramentas, utensílios, máquinas e equipamentos diversos, a maioria datados dos séculos XVIII a XX. O museu está instalado na Estação Central de Belo Horizonte.
Praça da Estação, s/nº, centro, 3248-8600. 3ª a 6ª, das 12h às 19h; sáb., dom. e feriados, das 9h às 17h. Entrada gratuita. Permanente

MUSEU DO COTIDIANO
Com área em torno de 600 metros quadrados, reúne objetos que testemunham tanto a evolução tecnológica quanto o desenvolvimento sociocultural, como as séries de aparelhos e máquinas. Entre as mais de 100 mil peças do museu, estão uma balança de ovos, chuveiro a álcool, celular de 1991, uma fábrica de hóstias, entre outros objetos.
Museu do Cotidiano (rua Bernardo Guimarães, 1.296, Funcionários. Agendamento de visitas: 99612-2431. Entrada gratuita. Permanente

MUSEU DOS BRINQUEDOS
Localizado em uma casa tombada pelo patrimônio histórico de Belo Horizonte, o museu ajuda a preservar e divulgar o patrimônio cultural lúdico da infância. O conjunto foi reunido pela senhora Luiza de Azevedo Meyer, falecida em 2000. Com aproximadamente 5.000 peças, de procedência nacional e internacional, o acervo é composto, entre outros objetos, de bonecas, carrinhos, carrinhos de bebê, móveis, fogões, louças, trenzinhos, autoramas, fantoches, robôs, jogos, brinquedos musicais e livros infantojuvenis. Atualmente, permanecem em exposição aproximadamente 800 exemplares dos mais diversos países, do início do século XX até os dias atuais.
Av. Afonso Pena, 2.564, Funcionários, 3261-3992. 2ª a 6ª, das 9h às 17h; sáb. e feriados, das 10h às 17h. R$ 24 (inteira)

MUSEU HISTÓRICO ABÍLIO BARRETO
Inaugurado em 1943, o museu é a instituição que guarda parte significativa da história de Belo Horizonte e de Minas, com destaque para mobiliário, esculturas, arte sacra, peças decorativas, documentos e imagens. No total, o acervo permanente conta com 8.000 peças. Na área externa do casarão colonial, datado de 1883, estão abrigos para o bonde elétrico e uma locomotiva a vapor, um palco ao ar livre e jardins concebidos como local de educação e lazer.
Av. Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim, 3277-8573. 3ª, 6ª, sáb. e dom., das 10h às 17h; 4ª e 5ª, das 10h às 21h. Entrada gratuita

MUSEU INIMÁ DE PAULA
O objetivo do museu é preservar a memória e a obra de Inimá de Paula, pintor mineiro que viveu entre 1918 e 1999. O acervo apresenta quadros da coleção particular do artista, autorretratos, desenhos e tapetes produzidos desde a década de 1940 até os anos 90. Além disso, o local tem materiais que faziam parte do ateliê de Inimá, como pincéis, paletas, tubos de tinta, cavaletes, espátulas, gravuras, fotos e slides.
Rua da Bahia, 1.201, centro, 3213-4320. 3ª, 4ª, 6ª e sáb., das 10h às 18h30; 5ª, das 12h às 20h30; dom., das 12h às 18h30. Entrada gratuita

MUSEU MINEIRO
A construção do final do século XIX revela a arquitetura que marcou oficialmente a fase inicial da cidade e reúne pinturas históricas, gravuras, esculturas, achados arqueológicos, imagens sacras e objetos datados dos séculos XVIII e XIX, como obras do mestre Ataíde e Joaquim José da Natividade.
Av. João Pinheiro, 342, centro, 3269-1109. 3ª a 6ª, das 10h às 17h; sáb. e dom., das 12h às 16h. Entrada gratuita

Comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Leia mais
LEIA MAIS
Cinema
No Twitter
Cinema
Comédia
Inviável
Música
Acabou
Agito
Sertanejo
Gratuito