Autonomia aos pais

Eleições em BH: Luísa Barreto quer antecipar entrada de Bebês em EMEIs

Ela entende que a proposta ajudaria os pais que precisam retornar aos respectivos trabalhos após o período de licença

Luisa tem 36 anos e foi secretária-adjunta no governo de Romeu Zema
Lucas Henrique Gomes
01/10/20 - 16h11

Antecipar a idade de entrada de alunos na rede pública municipal dos atuais 6 meses  para 4 meses. Essa é uma das propostas de Luísa Barreto (PSDB), candidata do PSDB à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), em relação à educação infantil na cidade. Servidora pública estadual, ela  entende que a principal mudança para que isso ocorra é apenas  burocrática, mas afirma que a alteração ajudaria muito os pais que precisam retornar ao trabalho após o período de licença.

“Essa mudança permite maior flexibilidade para que os bebês possam ser recebidos a qualquer tempo (na educação infantil). É importante dar maior autonomia às mães, uma vez que grande parte das empresas têm licença maternidade de quatro meses. Muitas mães que trabalham  não têm com quem deixar os filhos de 4 a 6 meses, o que pode afastá-las do mercado”, explicou.

Além do ensino infantil, Luísa quer ampliar também o ensino fundamental por meio de fortalecimento e melhoria da grade curricular na escola integrada. A candidata entende que essa medida auxilia os alunos na “trajetória de sua formação para que eles possam desde mais cedo definirem os rumos da sua educação” porque além de ter um efeito na aprendizagem, ajudaria também na futura inserção do mercado de trabalho.

Crítica do atual desempenho da cidade com relação à educação, Luísa Barreto entende que o município não pode restringir as avaliações de desempenho apenas pelo Ideb. Apesar de ressaltar a importância do índice para que haja uma comparação com outras cidades, a candidata entende que o Executivo precisa criar um sistema de mensuração de qualidade do ensino próprio para que não aguarde os resultados do Ideb. “É fundamental que a prefeitura tenha uma sistemática de avaliação que permita acompanhar o tempo todo como estão as escolas municipais aqui em Belo Horizonte e atuar o quanto antes quando se perceba alguma falha de qualidade”, concluiu.