Ataque mortal

Galo 'esfaqueia' e mata policial que trabalhava em operação contra rinhas

Ave estava ‘armada’ com lâmina nas garras e cortou artéria femoral de agente, que sangrou até a morte

Qua, 28/10/20 - 12h21
Foto ilustrativa de um galo de uma rinha
audima

Um policial morreu "esfaqueado" em San Jose, nas Filipinas, na última segunda-feira (26) durante uma operação contra rinhas, na qual ele estava como agente infiltrado. O tentente Christian Bolok foi atacado por uma das aves, que estava ‘armada’ com lâminas nas garras, acertando sua artéria femoral, que o fez sangrar até a morte.

Tal qual no Brasil, a rinha de galo é uma atividade clandestina comum nas Filipinas, que envolve apostas e contrabando de animais. Normalmente, os donos das aves aplicam esporas, lâminas ou qualquer outro objeto cortantes. O objetivo é que o adversário lute até a morte com outro oponente. 

Bolok se infiltrou em uma dessas rinhas, com o objetivo de recolher provas da atividade ilegal. Tudo ia bem até pegar num dos galos, com o objetivo de confiscá-lo. Foi quando o animal agitou-se e, com a lâmina que tinha em uma das garras, acertou a artéria femoral do agente, que em morreu em poucos minutos.

O policial chegou a  levado ao hospital local, onde foi declarada a morte. "É com o coração pesado que anuncio que perdemos um dos nossos irmãos, que sacrificou a própria vida em nome do serviço. A Polícia Nacional das Filipinas chora a morte trágica do tenente Bolok e expressa as suas sentidas condolências à família e amigos. Foi um infortúnio, um acidente de má sorte, que eu não consigo explicar", disse à AFP o coronel Arnel Apud, chefe da polícia local.

Segundo as autoridades, a operação terminou com três pessoas detidas e dois galos apreendidos.

Comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
LEIA MAIS
Revolta
Bola fora
Revolta
'Inteligência artificial'
Ataque mortal
Infratores
Sortudo
Amor ao ofício
Nove não é demais!
Veja fotos!