Opinião

Educação conectada: o caminho para o futuro

Estratégia crucial para superar o desafio

Por Juliana Sales
Publicado em 11 de outubro de 2021 | 03:00
 
 

O mundo é conectado. Chegamos a um momento em que a tecnologia e a internet são insumos indispensáveis às nossas atividades diárias. A grande pergunta é: a educação, base da nossa sociedade, está conectada?

A inclusão da tecnologia no desenvolvimento de políticas educacionais não é recente. Em 2008, o Ministério da Educação já criava estratégias para a implementação de programas de banda larga nas escolas públicas. Mas o Brasil ainda tem um longo caminho a percorrer na criação de políticas públicas de conectividade escolar, garantindo equipamentos com acesso à internet e conexão disponível para todos os alunos.

Em junho de 2020, o Congresso Nacional se debruçou sobre a necessidade de garantir conectividade às escolas, em razão das diversas dificuldades encontradas para que o ensino não fosse prejudicado em razão do distanciamento social imposto pela pandemia. Foi nesse cenário que o PL da Conectividade, sob a relatoria da deputada federal Tabata Amaral, tramitou no Parlamento e, mesmo enfrentando forte resistência, se transformou na Lei Federal 14.172/2021.

Aqui, em Nova Lima, Minas Gerais, na região metropolitana de Belo Horizonte, eu apresentei neste ano o Projeto de Lei 2.041/2021, que dispõe sobre a criação do programa de conectividade municipal para as escolas públicas do município.

O processo de construção desse projeto se deu a várias mãos: contei com meus colegas do Movimento Acredito, por meio da colaboração direta da assessoria conjunta dos deputados federais Tabata Amaral e Felipe Rigoni e do senador Alessandro Vieira. Além disso, o projeto contou com a parceria da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro.

Em complemento à lei nacional, o projeto de conectividade municipal visa garantir o planejamento adequado dos recursos públicos para o desenvolvimento de políticas de conectividade.

Dado o impacto da matéria, os debates se estenderam pelo Estado de Minas Gerais por meio do Legisla Ativo, projeto desenvolvido por mim e que hoje possui 73 vereadoras e vereadores em 66 municípios mineiros que discutem políticas públicas. Isso permitiu que o projeto de lei fosse apresentado em 30 municípios mineiros.

Para os próximos anos, é fundamental a garantia da implementação da conectividade escolar. A existência de recursos para o financiamento do acesso à internet para fins educacionais, atrelada a um programa municipal que vise ao planejamento de ações para o desenvolvimento da conectividade no plano local, é uma estratégia crucial para superar esse desafio.

Desconectada, a educação não cumpre seu papel educador e multiplicador. A conectividade escolar é um direito dos tempos modernos.