Siga-nos nas redes sociais:

Laura Serrano

Deputada estadual (NOVO-MG)

Laura Serrano

Como vencer uma eleição sem trabalhar?

Publicado em: Seg, 20/06/22 - 03h00
Artigo Como verncer uma eleição sem trabalhar, de Laura Serrano | Foto: Infografia O TEMPO

A não ser que você tenha um perfil populista irresponsável, não tem como! E é exatamente esse o ponto que quero trazer aqui: precisamos, com urgência, avançar na discussão sobre a experiência eleitoral do cidadão. Principalmente quando os efeitos práticos das nossas decisões políticas serão duradouros na vida de nossas famílias e da sociedade.

O Brasil é um país livre, plural e democrático. Temos autonomia para exercer nosso direito de escolha e, diante dessa liberdade, é essencial termos um olhar cada vez mais crítico às práticas políticas apelativas e demagogas, cada vez mais constantes no padrão discursivo disseminado em nossos pleitos. Apesar da novidade dos meios de comunicação e da roupagem tecnológica das campanhas, convivemos com um problema antigo, conhecido da história política do Brasil: o populista.

Esse perfil sempre se apresenta como o “representante do povo”, entregando ao cidadão a ilusão de trabalho. O populismo, essa farsa que assola o nosso país, enfraquece a democracia e compromete a qualidade de vida das pessoas, criando um legado político estagnado no qual grande parte da população não acredita ser possível transformar a política brasileira.

Os resultados práticos são a dívida pública, o inchaço da máquina, os interesses classistas de setores públicos e privados, a má alocação de recursos, tudo impedindo o país de se desenvolver plenamente e atrasando nosso crescimento econômico.

O método populista é direto e eficaz: vende-se um diagnóstico simplista, com críticas vagas e soluções mais ainda, promete-se um mundo ideal em pouco tempo, cujo atraso é culpa de terceiros que negam os meios políticos para o salvador da pátria levar seu plano adiante. Enquanto o povo é iludido com essa propaganda, interesses são acertados nos bastidores e também acordos para benefícios mútuos para quando se estiver na chefia da máquina pública.

Precisamos de menos demagogia e mais resultados. Soluções simplistas não resolvem problemas complexos e, muitas vezes, é preciso menos barulho e mais entendimento. Precisamos de trabalho sério e comprometimento com as complexidades que a política exige.

Propor soluções sem o mínimo de eficiência e embasamento técnico mina qualquer chance de avanço, independente da pauta, e pouco contribui para garantir que iniciativas sérias transformem, de fato, a vida das pessoas.

Trabalho contra o populismo

O outro caminho é mais trabalhoso, exige um longo tempo de preparação, estudo, elaboração de propostas e projetos, adequação à legislação e ao possível no contexto sociopolítico do momento e um grande esforço na tradução desses processos para o cidadão, que anseia pela melhoria de vida enquanto é bombardeado por informações conflitantes.

Esse trabalho vale a pena, pois respeita tanto o eleitor que merece ser bem-informado, quanto o destino que todos queremos construir para as atuais e futuras gerações.

Muitas vezes paga-se um preço pela sensatez, pelo diálogo, por buscar um caminho real dentro das possibilidades da democracia em detrimento das bravatas e arroubos ideológicos mais extremos.

E esse é um preço que venho pagando e estou disposta a continuar a pagar! Com um trabalho sério, focado em evidências, melhoria real da qualidade de vida da população, dos indicadores de aprendizagem das nossas crianças, em apresentar projetos exequíveis e vigiar pela responsabilidade fiscal, eu trabalho diariamente na Assembleia para que o cidadão receba do Estado o nível de serviço que merece.

Ação, diálogo e entregas são melhores do que discursos fáceis e doces. Essa é uma lição valiosa para um ano eleitoral, pois é o nosso futuro que está em jogo.

---

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar.

Siga O TEMPO no Facebook, no Twitter e no Instagram. Ajude a aumentar a nossa comunidade.