A guerra aos canudos: falta planejamento e sobra populismo

Vamos nos poupar de hipocrisia e resolver os problemas

Seg, 24/06/19 - 03h00

A Câmara aprovou, no começo do mês, em primeiro turno, mais uma inutilidade para entulhar o ambiente regulatório de BH: a proibição de fornecimento de canudos e copos de plástico.

Esqueceram de perguntar se temos fornecedores de copos e canudos biodegradáveis para suprir a demanda, que continuará existindo quando a oferta for dizimada pela ordem legal. Também não pensaram em como isso seria fiscalizado numa cidade que não consegue sequer convencer sua população a separar seu lixo ou evitar que nossos esgotos sejam obstruídos por garrafas pet. Mas não há nada de novo nisso. É hábito legislar inutilmente, especialmente num país que continua medindo seus legisladores pelo número de leis que produzem, como se o melhor médico fosse aquele que consegue atender o maior número de pacientes em um dia, sem saber se algum deles será curado.

A reação do governo, no Brasil, parece sempre pecar por falta de planejamento. Começando por um diagnóstico equivocado, passando por uma completa falta de senso de prioridade, sem mensuração dos problemas reais e dos resultados possíveis com as soluções propostas, e resultando inevitavelmente numa sequência de erros da burocracia estatal que custam dinheiro a quem trabalha para sustentar esse monstro.

O diagnóstico real: temos um problema evidente no Brasil pela falta de reciclagem de embalagens e pelo consumo desmedido de bens não biodegradáveis, com destinação inadequada dos resíduos gerados.

O diagnóstico populista: como visto pelas fotografias e vídeos na internet, os canudos de plástico estão matando tartarugas e comprometendo a vida nos oceanos.

A solução adequada: educação para geração de consciência sobre o impacto gerado pelo consumo de cada indivíduo, estabelecimento de políticas de coleta seletiva e destinação adequada de resíduos, acompanhada de incentivos à fabricação, comercialização e fornecimento de produtos biodegradáveis (como os canudos de amido) ou reutilizáveis, substitutos aos convencionais, mais poluentes.

A solução populista: vamos proibir os canudos e salvar as tartarugas!

O resultado final: tempo e dinheiro consumidos, sem que nenhuma melhora seja percebida nas questões ambientais, alimentando a descrença das pessoas nas leis e nas instituições (e nenhuma tartaruga efetivamente salva por uma lei aprovada em BH, a 500 km do mar).

Parabéns aos autores desse tipo de ideia – eles garantem, a cada novo passo, que a política se perpetue como o problema a partir de qual todos os outros problemas se desenvolvem. Se dermos sorte, o prefeito, num lampejo de lucidez, pode vetar a proposta e tentar resolver o problema real, que ele mesmo tem ignorado até aqui.

É claro que eu me preocupo com as tartarugas que são afetadas pelos canudos, mas a proibição deles em BH nunca ajudará a resolver esse problema… Os canudos e copos de plástico obviamente causam outros problemas, mas vamos nos poupar de hipocrisia e resolver os problemas com inteligência e planejamento.

Por fim, um lembrete aos condutores das políticas públicas: educar a população custa mais barato e tem efeitos mais duradouros do que proibir e dizer que vai fiscalizar e multar, sabendo que não fará uma coisa nem outra. Uma cidade que continua tendo esgoto a céu aberto, que não faz coleta seletiva de lixo e que tem inundações fatais – inclusive porque as pessoas continuam jogando lixo na rua – deveria avaliar se o centro dos seus problemas ambientais está mesmo nos canudos de plástico.

(8) comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Antônio Jair 5:36 PM Jun 24, 2019
"NÃO FUI ELEITO PARA FAZER AMIGOS". (MATEUS SIMÕES). AINDA ESPERO QUE REALMENTE O VEREADOR CUMPRA O QUE ESCREVEU, ESCLARECENDO ADEQUADAMENTE O QUE INCOMPETENTE E DESQUALIFICADO PIMENTEL FEZ COM OS BILHÕES DOS IMPOSTOS. PRINCIPALMENTE O QUE ROMEU ZEMA FARÁ PARA RETIRAR MINAS GERAIS DO FUNDO DO POÇO DE LAMA FÉTIDA PETISTA, ONDE O LAMENTÁVEL EX-DESGOVERNADOR NOS DEIXOU. NÃO PRECISA FICAR AO LADO D VEREADORES PETRALHAS DA CÂMARA/ BH, PORQUE "DIGA-ME COM QUEM ANDAS, E TE DIREI QUEM TU ÉS." ENTENDIDO?
3
Denunciar

Antônio Jair 5:35 PM Jun 24, 2019
Com máquina pública/dados em mãos, por que S/ AMIGO ZEMA ñ divulga minuciosamente o q TRÁGICO Pimentel fez c/ bilhões de reais MENSAIS d povo, já q ñ repassou às Prefeituras MILHÕES D REAIS a q tinham/têm direito (crime d apropriação indébita, passível d impeachment na época, abafado por deputados cordeirinhos), bem como tb ñ pagou 13º a servidores d Executivo (só d Executivo? Por quê?). POVO QUE EXPULSOU CORJA DO GOVERNO MERECE ESCLARECIMENTOS.21ª VEZ QUE PEÇO SUA EXPLANAÇÃO, E ATÉ AGORA NADA.
3
Denunciar

Sergio Machado 11:14 AM Jun 24, 2019
Complementando: o problema é o micro plástico que os peixes ingerem e nós já estamos absorvendo há muito tempo. A morte das tartarugas está mais ligada ao lixo em geral, principalmete sacos plásticos. Mas não só elas: tb as baleias, as orcas, os tubarões...
4
Denunciar

Sergio Machado 11:09 AM Jun 24, 2019
Não sei como o vereador atuou quando da tramitação da matéria, se sugeriu medidas auxiliares. A urgência é proibir e já existem alternativas para o uso plástico. O que o vereador chama de "diagnóstico populista" montra que ele não conhece bem o problema e usa uma argumentação simplista, típica dos que estão mandando as medidas de proteção ao meio ambiente às favas. Quanto a educar a população, existem meios adequados a cada situação: em Tokyo não existem lixeiras. Sujou é multado.
4
Denunciar

Lucas 11:05 AM Jun 24, 2019
Mateus, se você está preocupado com o fim dos canudos, deixa eu te dar uma dica muito boa. É só fazer assim: você coloca o copo na boca, vai inclinando cuidadosamente o copo para cima, que aí, como que por mágica, o líquido vai cair na sua boca, e você vai conseguir beber sem precisar de canudo. Tenho certeza que um pouco de treino você consegue.
4
Denunciar

Belle Borges 10:42 AM Jun 24, 2019
Acompanho as Comissões na Câmara dos Deputados pelo NOVO e toda vez que seus Presidentes lamentam a "baixa produtividade", baseada no número de PLs aprovados, dou graças a Deus e fico feliz por conseguirmos barrar o andamento de uma lei mais absurda que a outra. Exs: obrigatoriedade de palhaços de hospital (que tristeza!); instalação de redes de proteção em pontes e viadutos (p/ evitar suicídio, oi?); proibição de venda de lanches com brinquedos (apelidei de PL MC lanche infeliz), e por aí vai.
0
Denunciar

thiago 1:01 PM Jun 24, 2019
LEI Nº 13.645 Art. 1º Fica instituído o Dia Nacional do Desafio, a ser comemorado na última quarta-feira do mês de maio de cada ano. Parágrafo único. A comemoração de que trata o caput deste artigo compõe-se de atividades físicas e esportivas orientadas, a serem realizadas por, no mínimo, quinze minutos, em empresas privadas, em órgãos da administração pública, direta e indireta, em estabelecimentos escolares, nos lares, nos espaços públicos e em quaisquer outros lugares que permitam o convívio saudável entre as pessoas.
0
Denunciar

thiago 9:10 AM Jun 24, 2019
Concordo com o vereador. Lembrei da lei municipal que impede saleiros em restaurantes; sachê pode, ou tem que pedir sal pro garçom. Lembrei também da tomada três pinos: ouvi dizer que essa aberração brasileira pode cair. Tomara.
4
Denunciar

Leia mais
LEIA MAIS
Mateus Simões
Mateus Simões
Mateus Simões
Propostas para administração dos recursos dos cidadãos
Comissionados em estatais e autarquias chegam a duplicar