Chega de campanha com dinheiro público

A vítima é obrigada a patrocinar a carreira do seu agressor

Seg, 01/04/19 - 03h00

Existem no Brasil ao menos três formas de financiamento de campanhas eleitorais com dinheiro público e elas são todas indecentes, ainda que nem todas sejam ilegais. Essa indecência tem uma razão clara e parte da decisão voluntária do agente político, ou das estruturas partidárias, de usar dinheiro que poderia financiar segurança, educação, saúde e infraestrutura para garantir a manutenção de grupos políticos no poder.

Os fundos

Esta é a forma com aparência de regularidade e que, apenas em 2018, desviou R$ 2 bilhões em recursos que poderiam ser utilizados na construção de estradas, na contratação de policiais, na capacitação de professores ou na aquisição de medicamentos.

Os defensores do mecanismo têm frases de efeito para defender esse assalto: “A democracia tem preço”, ou “todos têm de contribuir para o ambiente democrático”... Esquecem que, na raiz de todas as explicações, recorrem à ideia de democracia, que parte do conceito de que a participação é voluntária, as pessoas escolhem a quem se submeter e quem as governará, mas não consigo ver quem, fora do ambiente político, escolheria patrocinar os partidos. Ou seja, os fundos são na verdade a negação absoluta da democracia, pois desviam dinheiro que esperávamos ser destinado ao bem de todos, sendo utilizado para garantir as boquinhas de alguns.

Vale a pena registrar que o Novo é o único partido político que não utiliza recursos públicos para financiar suas campanhas ou atividades, pois considera imoral sacrificar serviços públicos para promover propaganda política.

O uso da máquina

Há, é verdade, formas ainda menos legítimas de usar o dinheiro público para bancar campanhas eleitorais, como a promovida pelos detentores de cargos públicos para beneficiar a si e aos seus, num processo eleitoral contínuo. Aliás, por aqui, as pessoas tomam posse já em campanha para a próxima eleição. Não é de assustar que realizem tão pouco, afinal, a energia não está em fazer hoje, mas em garantir votos daqui a quatro anos.

Os gabinetes abarrotados de “lideranças” que recebem para “trabalhar nas bases” são a forma mais descarada desse desvio. Gente que é contratada para ficar, por quatro anos, fazendo campanha, recebendo salário dos cofres públicos.

Os apadrinhamentos políticos, garantindo que um indicado vá ocupar um cargo em troca de apoio futuro, são outra face perversa dessa lógica, que muitas vezes leva quem não tem condições a chefiar um serviço público essencial.

E as homenagens, que tanto me aborrecem, não passam longe desse mesmo mecanismo.

A corrupção

Por fim, é claro, temos o problema crônico da corrupção para financiar eleições, crime pelo qual tanto Pimentel como Aécio estão sendo investigados, para não falar nas dezenas de políticos já processados e presos pela Lava Jato.

Por mais que a lei proíba a corrupção, ignore o uso da máquina pública e promova os fundos Eleitoral e Partidário, são todos frutos de uma mesma lógica: a de que eu, você e cada pessoa que trabalha e produz devemos sacrificar uma parte de nossa renda para custear as campanhas de políticos que não necessariamente apoiamos e, aliás, com alguma frequência, desejamos que estivessem presos.

É o último estágio da perversa inversão de valores promovida pelo domínio do ambiente político por parasitas sociais que se alimentam de quem paga impostos: obrigam a vítima a patrocinar a carreira do seu próprio agressor.

(8) comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
De Vieira 4:33 PM Apr 01, 2019
Excelente posicionamento. Dinheiro público nao deve ser usado para eleger politicos.
0
Denunciar

José Boné 11:13 AM Apr 01, 2019
O que o picareta aí esquece de falar é que, se for como ele deseja, apenas aqueles com muito dinheiro, ou com acesso a muito dinheiro, via caixa 2, 3 e 4, é que conseguirão se eleger. Ou seja, aquela liderança popular do seu bairro, compromissada com sua região, jamais conseguirá ser eleita, pois não tem DINHEIRO.
12
Denunciar

Barata 2:23 PM Apr 01, 2019
Quer dizer que o financiamento público, a corrupção e o uso da máquina pública (o famoso bonito com BONÉ dos outros) permitiu que as lideranças populares do coitadismo brasileiro ascendessem aos píncaros do poder? Esses foram os verdadeiros instrumentos de redenção democrática das classes menos favorecidas? É isso Boné? Tá de sacanagem?
12
Denunciar

guilherme batista 2:03 PM Apr 01, 2019
Pq a liderança popular do seu bairro, compromissada com sua região, precisa de dinheiro público para fazer campanha? Seria para comprar votos? Seu comentário desprezou a mínima lógica.
12
Denunciar

Antônio Jair 11:09 AM Apr 01, 2019
"NÃO FUI ELEITO PARA FAZER AMIGOS". (MATEUS SIMÕES). AINDA ESTOU ESPERANDO QUE REALMENTE O VEREADOR CUMPRA O QUE DISSE, E ESCLAREÇA ADEQUADAMENTE O QUE O INCOMPETENTE E DESQUALIFICADO PIMENTEL FEZ COM OS MILHÕES DOS IMPOSTOS. PRINCIPALMENTE O QUE ROMEU ZEMA FARÁ PARA RETIRAR MINAS GERAIS DO FUNDO DO POÇO DE LAMA FÉTIDA PETISTA, ONDE O LAMENTÁVEL EX-DESGOVERNADOR NOS DEIXOU, E ESTE JÁ FOI TARDE DEMAIS...MAS A CADEIA O AGUARDA, APÓS SENTENÇAS DOS TRÊS PROCESSOS QUE ESTÃO EM SUAS COSTAS.
2
Denunciar

Antônio Jair 11:07 AM Apr 01, 2019
Com máquina pública/dados em mãos, por que S/ AMIGO ZEMA ñ divulga minuciosamente o q TRÁGICO Pimentel fez c/ milhões de reais MENSAIS d povo, já q ñ repassou às Prefeituras MILHÕES D REAIS a q tinham/têm direito (crime d apropriação indébita, passível d impeachment na época, abafado por deputados cordeirinhos), bem como tb ñ pagou 13º a servidores d Executivo (só d Executivo? Por quê?). POVO QUE EXPULSOU CORJA DO GOVERNO MERECE ESCLARECIMENTOS. 10ª VEZ QUE PEÇO SUA EXPLANAÇÃO, E ATÉ AGORA NADA.
1
Denunciar

Alberto 10:31 AM Apr 01, 2019
Foi bom lembrar de políticos enrolados!! E então? Como fica a questão do partido NOVO nomear vários tucanos para a atual gestão? Ou será que o discurso do faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço continua na cara dura? Só engana bobo ou alienado!!
4
Denunciar

Esteves 10:25 AM Apr 01, 2019
Tinha que ter Reforma Politica pra mudar isso, mas Dificilmente Classe Politica mudaria isso, nem mesmo o Auxílio Moradia tem fim.
0
Denunciar

Leia mais
LEIA MAIS
Mateus Simões
Mateus Simões
Propostas para administração dos recursos dos cidadãos
Comissionados em estatais e autarquias chegam a duplicar