Contas

Pedido de vistas interrompe julgamento que pode privatizar setor da Cemig

Em reunião na Aneel, relator do caso reprovou contas da empresa e, duas reprovações seguidas podem levar área da companhia a ser vendida

Ter, 11/06/19 - 13h03
Exclusiva. Para Weliton Prado (PMB), a reforma política deve ser feita por Assembleia Constituinte

O setor de distribuição de energia da Cemig deu um novo passo na manhã desta terça-feira (11) para a sua privatização. Em sessão da Agência de Energia Elétrica (Aneel), o relator dos processos que analisam as contas da companhia em 2016, Efrain Filho, votou pela reprovação dos documentos. A maioria dos diretores seguiu o voto, mas a diretora Elisa Bastos pediu vistas. Agora, a Aneel tem até oito sessões para retomar o julgamento. 

Na avaliação do deputado federal Weliton Prado (PROS-MG), que acompanhou a sessão, pode existir um “jogo de cartas marcadas” para que o braço da empresa seja privatizado. “É estranho, a Cemig não tem reagido, provavelmente de forma proposital porque quer a privatização do setor, e sabem que não possuem os votos necessários na ALMG para privatizar da maneira correta”, argumentou o parlamentar. 

No contrato entre a Cemig e a Aneel pela distribuição de energia, há uma cláusula em que a rejeição das contas de produtividade por dois anos seguidos cause o rompimento do contrato, levando, assim, a autarquia para leilão no mercado. As contas de 2017 também vêm sendo analisadas pela agência e seguem os mesmos critérios do balanço de 2016 - ou seja, a expectativa é de que também sejam rejeitadas.

A Cemig foi a única distribuidora no pós que não cumpriu as regras estabelecidas na regulação. O relator Efrain Filho disse ter chamado a atenção o fato de que mesmo sendo controladora da Light, a Cemig só descumprir as regras em seu próprio braço. “A Cemig na verdade mentiu especificamente na contabilização dos eventos de emergência na queda de energia. Ao invés de contabilizar a ocorrência, a cada ação que ela precisava fazer para resolver a situação ela contabiliza uma nova ocorrência. Em um dia crítico, a Cemig contabilizou 16 ocorrências, quando na verdade só existiram 7. Isso para aumentar a remuneração, ou seja aumentar a tarifa paga pelos consumidores. É uma coisa gravíssima e proposital”, concluiu Weliton Prado.

Podcasts Relacionados

(8) comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
joão paulo 8:19 AM Jun 12, 2019
Perda de concessão não é privatização. Bem como recalcular os índices da Cemig, da forma que a ANEEL quer, não quer dizer que não atingirá os números mínimos exigidos para a concessão. Se vão fazer uma matéria sobre o assunto, deem amplitude e tratem a questão toda.
0
Denunciar

Daiane Cristina 12:46 AM Jun 12, 2019
Estamos a um passo da privatização, sinceramente não dá pra acreditar, consumidores sendo enganados dessa forma. É aumento indevido, é ocorrências inexistentes. E somos nós que pagamos o preço, mais uma vez . Tem que investigar a fundo mesmo. Antes até via os carros da CEMIG na rua ,fazendo uma reparação, trocando um poste , hoje pra ser sincera... Só lâmpadas queimadas, que não duram . E ainda tem a taxa de iluminação pública. É você CEMIG a responsável? Ah não é terceirizado o serviço, não é preciso falar sobre terceirização por aqui .
4
Denunciar

ROBSON 7:59 PM Jun 11, 2019
Privatizem mesmo... depois vai choarar na cama que é lugar quente, o serviço não vai melhorar e as faturas vão pro espaço, a única coisa que carrapato sabe fazer é sugar, essas privatizações não resolverão nada e o Estado terá que passar por uma dieta rigorosa e no final via ficar na mesma, aí entra outro governo e descamba tudo de Novo, que de Novo não tem nada.
4
Denunciar

hiago souza 7:03 PM Jun 11, 2019
A aneel não pode ser conivente com um absurdo desse privatizar pra cobrar energia ainda mais caro dos consumidores que já pagam o icms muito alto, e o Deputado Federal Weliton Prado único que está sempre em defesa contra tarifas abusivas e principalmente contra a Cemig que nunca cumpre essas regras a serem cumpridas e quem sofre com isso é a população, e sendo assim privatizar não é a melhor solução, grande trabalho Deputado porque vc sim trabalha para o povo!
3
Denunciar

Bruno De Souza Ferreira 5:48 PM Jun 11, 2019
Parabéns Deputado por defende a população mineira . Privatizar não é a solução. É necessário mais investimento público, para ter um serviço de qualidade e com tarifa mais baratas.
7
Denunciar

Ivan Martins 5:17 PM Jun 11, 2019
Realmente e um absurdo querer privatizar a energia elétrica de Minas Gerais. E isto ai deputado federal Weliton Prado, continue está grande luta em defesa dos consumidores. Parabéns pelo seu trabalho contra o câncer, enviando 31 milhões de reais para 29 hospitais em nosso estado, ajudando os pacientes e família.
6
Denunciar

maria clara silveira 3:39 PM Jun 11, 2019
Mais uma vez a Cemig comete um crime contra o consumidor.. agora fraudando os índices de qualidade.. Não a privatização!
8
Denunciar

maria clara silveira 3:36 PM Jun 11, 2019
Nós não somos bobos, Cemig.. Não a privatização!
8
Denunciar

Leia mais
LEIA MAIS
Mal-estar
Brasília vazia
Política cultural
Mandatos
Previdência
Eleições
Dias contados
Articulações
Investigação
Transforma Minas