TERROR

ONU pede investigações sobre bombardeio de Israel em Rafah que matou dezenas de civis

Ataque israelense no sul da Faixa de Gaza atingiu área humanitária e matou pelo menos 45 pessoas

Por O Tempo/Mundo
Publicado em 27 de maio de 2024 | 12:43
 
 
 

O enviado da Organização das Nações Unidas (ONU) ao Oriente Médio, Tor Wennesland, apelou nesta segunda-feira (27) a Israel para realizar uma investigação "exaustiva e transparente" sobre o bombardeio que matou pelo menos 45 pessoas em Rafah, no sul da Faixa de Gaza. A área atacada é uma "área humanitária", com refugiados das áreas de maior atrito em Gaza.

"Apelo às autoridades israelenses para que realizem uma investigação exaustiva e transparente sobre este incidente, responsabilizem os autores de quaisquer crimes e tomem medidas imediatas para proteger os civis", disse o representante da ONU em comunicado.

Israel informou que já está investigando o bombardeio de domingo que deixou várias vítimas civis e que, segundo o Exército, tinha como alvo os milicianos do Hamas."De acordo com os primeiros dados, ocorreu um incêndio após o ataque. Os terroristas estavam escondidos no porão", disse o porta-voz do governo israelense, Avi Hyman, em entrevista coletiva."Estamos investigando.

Qualquer perda de vidas, de vidas civis, é grave e terrível", acrescentou, garantindo que Israel "tenta limitar as vítimas civis".
Segundo Hyman, o ataque teve como alvo dois membros do Hamas responsáveis por "inúmeros ataques em Judeia e Samaria", denominação que alguns membros do governo israelense usam para se referir à Cisjordânia ocupada. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!