kotka

'Adeus, Lenin': Finlândia remove última estátua do líder soviético

País passou a derrubar monumentos relacionados a soviéticos depois que a Rússia decidiu invadir a Ucrânia

Por Agências
Publicado em 04 de outubro de 2022 | 14:29
 
 
 

A última estátua pública de Lenin remanescente da Finlândia foi desmantelada nesta terça-feira (4) em uma cidade no sudeste do país, que vem removendo monumentos relacionados aos soviéticos desde que a Rússia iniciou sua invasão da Ucrânia em fevereiro passado.

Dezenas de pessoas participaram da remoção do monumento, na cidade de Kotka, algumas com champanhe. Um homem se manifestou contra a medida, carregando uma bandeira soviética, observou um jornalista da AFP.

O monumento representava Lenin em atitude pensativa, com a mão na bochecha, e foi doado a Kotka em 1979 pela cidade estoniana de Tallinn, então parte da União Soviética. 

"Remover das ruas a estátua do fundador de um dos regimes mais brutais do mundo, o comunismo soviético, é uma grande coisa", disse Matti Leikkonen, 77 anos, à AFP.

De acordo com Markku Hannonen, funcionário do município de Kotka, muitos moradores "apreciaram" a estátua, ou pelo menos a viram como algo "familiar", mas também houve quem pediu que fosse removida "porque reflete um período de repressão na história finlandesa". 

Após dois conflitos contra a União Soviética durante a Segunda Guerra Mundial, a Finlândia aceitou um status de neutralidade durante a Guerra Fria, em troca de garantias de que nunca mais seria invadida por Moscou.

Em abril, a cidade de Turku (sudoeste) retirou um busto de Lenin no centro da cidade. Em agosto, Helsinque, a capital, desmontou uma estátua de bronze chamada "Paz Mundial" que foi dada de presente por Moscou em 1990.

(AFP)
                
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!