história

Britânica afirma ter identificado 'Jack, o Estripador'

Tataraneta de um policial britânico buscou documentos de hospitais para indicar quem seria o responsável por seis mortes em Londres

Por Agências
Publicado em 16 de julho de 2023 | 16:17
 
 
 

A tataraneta de um policial britânico que investigou os assassinatos de "Jack, o Estripador" afirmou ter descoberto a identidade do famoso criminoso do século XIX, que matava prostitutas no leste de Londres.

A identidade do assassino em série, responsável por pelo menos seis mortes no bairro de Whitechapel, em 1888, continua sendo um dos maiores mistérios de casos criminais no Reino Unido.

Em um livro que será publicado no próximo mês, Sarah Bax Horton diz que o assassino, que infligia mutilações terríveis em suas vítimas, era um cigarreiro local chamado Hyam Hyams, que sofria de epilepsia e alcoolismo, segundo o Sunday Telegraph.

Testemunhas da época descreveram o suspeito como um indivíduo de cerca de 30 anos, com um braço rígido e problemas nos joelhos.

Bax Horton encontrou registros médicos que mostram que Hyams, que tinha 35 anos em 1888, havia sofrido uma lesão que o impedia de "dobrar ou esticar" o braço esquerdo.

Os documentos, coletados de hospitais e manicômios, também indicam que ele tinha um problema no joelho e sofria de uma forma grave de epilepsia, com ataques regulares.

A autora também encontrou semelhanças entre a estatura e a constituição física de Hyams e as descrições das testemunhas.

Em setembro de 1889, o homem, que morreu em 1913, foi internado permanentemente em um hospital psiquiátrico.

Bax Horton, cujo tataravô investigava oficialmente o caso, chegou à conclusão de que o declínio físico e mental de Hyams, agravado pelo alcoolismo, o levou a cometer os assassinatos.

Anteriormente, ele havia atacado sua esposa e sua própria mãe com uma faca de açougueiro.

O nome de Hyams estava em uma "longa lista" de suspeitos possíveis, mas, de acordo com a autora, seu perfil como possível "Jack, o Estripador" nunca havia sido investigado em profundidade.

Paul Begg, especialista no caso, apoia sua hipótese e descreve a pesquisa de Horton como um "livro bem documentado, bem escrito e muito necessário" para se ter uma ideia de quem poderia ser o personagem que aterrorizou Londres, apontou o Telegraph.

"One-Armed Jack: Uncovering the Real Jack the Ripper" será publicado em agosto.

O caso de "Jack, o Estripador" gerou uma verdadeira indústria, com livros, exposições e passeios guiados pelas ruas onde suas vítimas foram assassinadas.

(AFP)
                
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!