Onde está Wilson?

Cachorro que ajudou a encontrar as 4 crianças na Colômbia e está desaparecido

O cão, um pastor belga de seis anos, foi solto pela selva para que buscasse outras pistas das crianças, na última quarta-feira

Por O TEMPO
Publicado em 10 de junho de 2023 | 08:57
 
 
 

O cachorro Wilson, um pastor belga de 6 anos, cuja atuação fundamental para localização das quatro crianças que estavam desaparecidas, nesta sexta-feira (9/06), após a queda de um avião na Amazônia Colombiana, não foi localizado. 

O cão foi solto pela selva para que buscasse outras pistas das crianças, na última quarta-feira (7). No entanto, os membros das forças especiais tinham a esperança de que Wilson estivesse com as crianças perdidas na selva, porém o animal não retornou ao encontro dos militares apesar do seu treinamento.

De acordo com as Forças Militares da Colômbia, além das crianças que foram encontradas vivas, o cão também ajudou na localização do avião e dos corpos de três adultos que morreram no acidente aéreo. Foi Wilson quem encontrou os primeiros vestígios das crianças, como uma mamadeira de plástico do caçula da família, um bebê que completou um ano em 26 de maio.

Segundo o jornal El Tiempo, as autoridades locais acreditam que o cachorro encontrou os quatro irmãos, antes dos militares. Isso porque pegadas do animal foram encontradas pelas Forças Militares perto de marcas que poderiam ser dos irmãos indígenas. Mas, no momento do resgate, o cachorro não estava com elas.

O presidente da Colômbia, Gustavo Petro, disse neste sábado, 10, que não há novas informações a respeito de Wilson, e o mistério sobre seu paradeiro virou assunto nas redes sociais.

De acordo com a imprensa colombiana, o cachorro há havia sumido outras vezes, em meio aos trabalhos de busca pelas crianças. No entanto, em todas às vezes ele teria retornado após algumas horas, embora desidratado e com ferimentos leves.

Cão herói

No dia 1º de maio, o avião que fazia uma rota entre Guaviare e Caquetá caiu no meio da selva. As operações de busca foram imediatamente acionadas, 15 dias depois a aeronave foi encontrada.

A descoberta com três ocupantes mortos foi feita por Wilson, um cão belga Malinois das forças especiais. Wilson havia recebido um boné de piloto e, graças à sua agilidade e nariz afilado, conseguiu encontrar os restos da aeronave.

No entanto, a descoberta de Wilson levantou novas questões, porque não havia vestígios das quatro crianças. Dois dias depois, as descobertas de Wilson chocaram o país. O cachorro encontrou uma garrafa no meio da selva, que pertencia a uma das crianças.

Ulises, outro dos cachorros, encontrou um campo improvisado, feito pelas crianças. Essas descobertas foram essenciais para manter a esperança e a busca que o mundo tem hoje diante de uma história claramente difícil de acreditar, de que quatro pequeninos sobreviveram 40 dias em uma das selvas mais densas do mundo.

Ainda de acordo com o “Cambio”, há três semanas o cachorro ficou desaparecido por horas, mas retornou aos militares. O animal estava com alto grau de desidratação e pequenas feridas.

*Com agências internacionais

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!