MUNDO

Centenas de pessoas comparecem ao funeral de blogueiro morto na Rússia

Muitos utilizavam peças com as letras com Z ou V, símbolos de apoio à campanha militar na Ucrânia.

Por Agências
Publicado em 08 de abril de 2023 | 09:47
 
 
 

Centenas de pessoas, incluindo o fundador do grupo paramilitar russo Wagner, compareceram neste sábado (8) ao funeral de um famoso blogueiro militar que apoiava a ofensiva na Ucrânia e morreu em um atentado na semana passada.

O funeral de Maxim Fomin aconteceu no cemitério de Troyekurovskoye, zona oeste de Moscou.

A cerimônia teve grande presença de policiais. Muitas pessoas utilizavam peças com as letras com Z ou V, símbolos de apoio à campanha militar na Ucrânia.

No domingo passado, Maxim Fomin, conhecido pelo pseudônimo de Vladlen Tatarsky, morreu em um atentado com bomba em um café de São Petersburgo que pertence ao fundador do grupo paramilitar Wagner, Yevgueni Prigozhin.

O governo russo acusou a Ucrânia e "agentes" do opositor detido Alexei Navalny de envolvimento no assassinato. Kiev afirmou que o crime foi um acerto de contas intero entre os círculos que apoiam a operação militar de Moscou.

"Vladlen Tatarsky seguirá conosco, sua voz continuará ressoando", declarou Prigozhin no cemitério, segundo a agência de notícias Ria Novosti.

Maxim Fomin era um dos blogueiros militares pró-Kremlin mais famosos do país, com mais de 500.000 seguidores em sua conta no Telegram. A influência dos ativistas que publicam relatos de 'missões' com o exército russo na Ucrânia e compartilham suas análises aumentou consideravelmente desde o início da ofensiva russa em fevereiro de 2022.

Nascido na região do Donbass, no leste da Ucrânia, Maxim Fomin se alistou em 2014 nas tropas dos separatistas pró-Rússia. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!