Corte de despesas

Disney começa série de demissões de 7 mil funcionários no ano de seu centenário

Serviço de streaming da marca perdeu 2,4 mi de assinantes no último trimestre de 2022; CEO tem desafio de melhorar desempenho financeiro

Por O Tempo
Publicado em 28 de março de 2023 | 11:41
 
 
 

Na esteira das demissões recentes das big techs, a Disney começou o corte das 7 mil vagas, anunciado ainda em fevereiro. A ação é parte da estratégia da empresa para economizar US$ 5,5 bilhões. O urgente corte de despesas acontece justamente no ano de seu centenário, celebrado em 16 de outubro de 2023. 

Só nos últimos três meses de 2022, o serviço em streaming Disney+ perdeu 2,4 milhões de assinantes, alcançando 161,8 milhões de inscritos em 31 de dezembro. Esta é a primeira vez desde seu lançamento, em 2019, que o serviço não registra um aumento de clientes em um trimestre.

Em um comunicado veiculado nessa segunda-feira (27), o CEO Bob Iger informou para a equipe que nos próximos dias serão notificados os funcionários da primeira rodada de demissões. Segundo o Wall Street Journal, a empresa já demitiu toda a equipe de metaverso, que tinha 50 integrantes. 

Os cortes devem afetar todos os setores da empresa, incluindo os populares parques temáticos e a ESPN, canal de transmissão esportiva. Até o início de outubro de 2022, a empresa contava com 220 mil funcionários.

A próxima leva de desligamentos está prevista para abril. O executivo Bob Iger tem o desafio de melhorar as finanças da Disney.

 

 

Com informações da AFP.

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!