Estados Unidos

Homem preso por estupro há 47 anos é declarado inocente após exame de DNA

Leonard Mack foi preso em 1975, em Greenburgh, estado de Nova York, após o estupro de uma adolescente que ia de casa para a escola com outra jovem

Por Agências
Publicado em 06 de setembro de 2023 | 08:58
 
 
 
normal

Um homem de 72 anos, que cumpriu 7 anos de prisão por um estupro que não cometeu, foi inocentado, quase cinco décadas depois, graças a um novo exame de DNA, anunciaram autoridades dos Estados Unidos, nesta terça-feira (05).

Leonard Mack foi preso em 1975, em Greenburgh, estado de Nova York, após o estupro de uma adolescente que ia de casa para a escola com outra jovem. A polícia havia anunciado a busca por um suspeito negro, em um bairro de maioria branca.

Após uma campanha da organização Innocence Project, exames de DNA que não estavam disponíveis na época dos fatos "descartaram de forma conclusiva o senhor Mack como perpetrador e identificaram um agressor sexual condenado, que agora confessou o estupro", informou o gabinete do promotor do condado de Westchester.

"É a condenação errônea mais longa da história dos Estados Unidos conhecida pela Innocence Project a ser revogada por um exame de DNA", assinalou o gabinete do promotor distrital, que ressaltou "a força inabalável de Mack, que lutou por quase 50 anos para limpar seu nome".

Segundo o Registo Nacional de Exonerações, 575 pessoas condenadas foram absolvidas com base em novos exames de DNA desde 1989, das quais 35 aguardavam a execução.

Apesar de os negros representarem apenas 13,6% da população americana, mais de metade das 3.300 pessoas cujas sentenças foram revogadas entre 1989 e 2022 eram negras.

"Finalmente estou livre", reagiu Mack, em uma breve declaração. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!