desespero

Mais de 4 mil toneladas de alimentos estão presos na fronteira do Egito com Gaza

Há mais de 200 caminhões de ajuda à Faixa de Gaza esperando liberação da fronteira para ajuda humanitária

Por Agências
Publicado em 20 de outubro de 2023 | 16:52
 
 
 
normal

Mais de 4.000 toneladas de alimentos, água e medicamentos para Gaza estão presas na fronteira entre Egito e Israel. Apesar da expectativa do governo egípcio e até do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, de que a passagem de Rafah fosse aberta ainda nesta sexta-feira (18), mais de 200 caminhões de ajuda humanitária continuam parados, aguardando liberação para entrar em território palestino.

Fronteira entre Egito e Israel na cidade de Rafah segue fechada. O governo egípcio, a mídia local e o presidente americano Joe Biden haviam sinalizado que a passagem seria aberta ainda nesta sexta-feira (20). Agora, "parece praticamente certo que não vai acontecer", segundo relatos de Matt Rivers, repórter da ABC News que acompanha a situação na região.

Há mais de 200 caminhões de ajuda à Gaza esperando liberação. Ao todo, os veículos carregam mais de 4.000 toneladas de comida, água e medicamentos, ainda de acordo com a ABC News.

Inspeção dos veículos seria um dos pontos de conflito. Um representante das forças de segurança do Egito relatou à ABC News que os israelenses querem examinar minuciosamente tudo que está sendo enviado à Gaza. O objetivo, diz, seria garantir que não haja nada que possa ajudar o Hamas. Paralelamente, Israel continua com bombardeios próximos dali, o que também impede a passagem dos caminhões.

Mais cedo, líder da ONU fez um apelo pela abertura da passagem. "Esses caminhões não são apenas caminhões. Eles fazem a diferença entre a vida e a morte para muitas pessoas em Gaza. O que precisamos é permitir que atravessem para o outro lado deste muro, e fazer esse movimento o mais rápido possível", pediu António Gueterres, secretário-geral da ONU, que esteve no local.

Egito diz não ser o culpado pelo bloqueio na fronteira com Israel. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Egito, embaixador Ahmed Abu Zeid, disse que a passagem de Rafah está aberta e que os israelenses são os verdadeiros culpados por impedir o envio de ajuda humanitária à Gaza.

"Os ataques ao Egito na mídia ocidental são claros na crise atual! (...) [Querem] Responsabilizar o Egito pelo fechamento da fronteira, apesar dos ataques direcionados de Israel e da recusa em permitir a entrada de ajuda [à Gaza] (...). A passagem de Rafah está aberta, e o Egito não é o responsável por impedir a saída de cidadãos de outros países", disse Ahmed Abu Zeid, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Egito.

(Folhapress)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!