ENTENDA O CASO

Menino é diagnosticado com doença rara pelo ChatGPT após passar por 17 médicos

Garoto que possui síndrome da medula ancorada tinha quatro anos quando começou a sentir dores crônicas; Após receber o diagnóstico, o menino passou por uma cirurgia para corrigir a medula e se recupera com sucesso

Por O TEMPO
Publicado em 14 de setembro de 2023 | 14:31
 
 
 

Um garoto norte-americano foi diagnosticado com uma doença rara pelo aplicativo de inteligência artificial chamado ChatGPT. Segundo o portal Today, o menino que possui síndrome da medula ancorada tinha quatro anos quando começou a sentir dores crônicas e, nos últimos três anos, passou por 17 médicos que não souberam identificar a comorbidade.

De acordo com a mãe da criança, Courtney, logo após o início da dor, a personalidade de Alex começou a mudar. Ele ficou mal-humorado e cansado e começou a ter acessos de raiva e mastigar coisas. Alex também arrastava o pé esquerdo ao caminhar e sentia fortes dores de cabeça. Além disso, alega que se o filho não tomasse analgésicos todos os dias, teria colapsos "gigantescos".

Inicialmente, a mulher achou que a criança poderia ser um problema dentário e resolveu levá-lo ao dentista. Após a consulta, o profissional achou que ele estava com bruxismo e prescreveu uma placa oclusal para ele usar ao dormir. Entretanto, mais sintomas apareceram com o tempo e a mãe percebeu que o filho não estava crescendo.

Como os sintomas começaram a aparecer durante a pandemia de Covid-19, o pediatra, que disse que a pandemia estava afetando negativamente o desenvolvimento da criança. Depois disso, Alex passou por um neurologista, otorrino, entre outros especialistas. Mas nenhum deles conseguiu diagnosticar corretamente a condição.

Frustrada, a mãe decidiu recorrer ao app ChatGPT após ler  um estudo que mostrava que a ferramenta de inteligência artificial é capaz de estar correta em até 72% das vezes em diagnósticos de doenças. Foi então, que três anos após o início dos sintomas do filho, ela descreveu na ferramento todos os sintomas e dados das ressonâncias magnéticas que ele realizou ao longo dos anos.

Imediatamente, o ChatGPT sugeriu um diagnóstico: síndrome da medula ancorada. A condição rara  faz com que a medula vertebral se fixe de forma anormal ao canal, restringindo o fluxo sanguíneo à medida que as crianças crescem.

Conforme a Cleveland Clinic, os sintomas incluem dificuldade para caminhar, manchas descoloridas na pele, dormência nas pernas e nas costas, fortes dores nas pernas ou nas costas, escoliose, problemas de controle da bexiga e do intestino e perda de massa muscular, dormência, dor, fraqueza muscular e problemas de controle motor. Para Courtney, o diagnóstico “fez muito sentido".

O caso de Alex foi causado por espinha bífida, que ocorre quando a espinha dorsal que protege a medula espinhal não se forma e fecha normalmente. Segundo a mulher, o filho tem a forma mais leve da doença, espinha bífida oculta, que causa uma pequena lacuna na coluna, mas sem danos nos nervos. No entanto, esta forma é mais difícil de diagnosticar porque é menor e mais difícil de ver. 

Após receber o diagnóstico, o menino passou por uma cirurgia para corrigir a medula e se recupera com sucesso.

Com informações de O GLOBO.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!