Argentina

Milei derruba norma contra nepotismo e nomeia irmã para cargo no governo

A irmã caçula, Karina, será secretária-geral da Presidência

Por Agências
Publicado em 11 de dezembro de 2023 | 17:11
 
 
 
normal

Em um de seus primeiros decretos como novo presidente da Argentina, o ultraliberal Javier Milei modificou uma norma sobre nepotismo publicada pelo ex-presidente e agora aliado político Mauricio Macri e nomeou sua irmã caçula Karina como secretária-geral da Presidência.

O texto assinado por Macri em 2018 dizia que "não serão permitidas nomeações de pessoas, em qualquer modalidade, em todo o setor público nacional, que tenham algum vínculo de parentesco tanto em linha reta como em linha colateral até o segundo grau, com o presidente e vice-presidente da Nação, chefe de gabinete de ministros, ministros e demais funcionários com rango e hierarquia de ministro".

Agora, Milei determinou uma exceção "às nomeações que o presidente realiza em virtude das faculdades que lhe são conferidas". Ele argumenta que é um direito que a Constituição lhe dá e lembra que a Carta Magna determina o "princípio de idoneidade para o acesso aos cargos públicos".
A função de Karina, em geral, deverá ser coordenar e gerenciar atividades administrativas e operacionais dentro da Presidência. Antes, ele havia dito que ela seria uma assessora sem cargo formal.

Chamada de "o chefe" por Milei, Karina é o braço direito do irmão. Liderou sua campanha e fez as vezes de primeira-dama na posse deste domingo (10), já que o novo presidente não é casado e começou a namorar há poucos meses com a atriz e comediante Fátima Florez.

Ele se emocionou e a abraçou longamente ao nomeá-la junto a seus ministros na Casa Rosada. A cerimônia atrasou porque a burocracia para que ele assinasse os novos decretos não estava pronta, segundo a imprensa local. Entre eles, estava também o ato para reduzir pela metade o número de ministérios.

O governo argentino agora terá 9 pastas, em vez das atuais 18. Durante a campanha, ele dizia que seriam 8, mas nos últimos dias mudou de ideia quanto a extinguir a Saúde. Agora, alguns dos ministérios se tornarão secretarias, como Educação, Mulheres e Desenvolvimento Social, que estarão sob a recém-criada pasta de Recursos Humanos.

OS IRMÃOS MILEI

Javier e Karina sempre foram próximos. De família de classe média, os irmãos cresceram em Villa Devoto, bairro de Buenos Aires. A mãe, Alicia, foi dona de casa, e o pai, Norberto, motorista de ônibus e, depois, pequeno empresário do setor de transportes. Milei já contou que sofria agressões com frequência.

Uma delas ilustra seu relacionamento com a irmã. Ele diz ter levado uma surra ao discordar do pai sobre a Guerra das Malvinas em 1982, quando tinha 11 anos. Karina ficou em estado de choque e precisou ser hospitalizada. Depois, a mãe disse a Milei que a menina "quase havia morrido" e que a culpa era dele.

Ao longo da carreira, ele nunca escondeu a relação conturbada com os pais e chegou a afirmar que eles estavam mortos para ele. A reconciliação aconteceu após esforços de Karina, e o político cuidou do pai durante a pandemia. Assim como a irmã, o líder da coalizão A Liberdade Avança não tem filhos. (JÚLIA BARBON/FOLHAPRESS)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!