Guerra

Primeiro-ministro de Israel diz que avalia acordo com Hamas para libertar reféns

Benjamin Netanyahu afirma que avanço israelense por terra na Faixa de Gaza abre portas para negociações

Por Agências
Publicado em 12 de novembro de 2023 | 15:22
 
 
 

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse que está avaliando um possível acordo para a libertação dos reféns detidos pelo grupo islamista Hamas no território palestino da Faixa de Gaza, durante uma entrevista ao programa "Meet the Press" neste domingo (12/11), da emissora americana "NBC". A guerra completou um mês na última semana.

"Existe a possibilidade de um acordo?", perguntou a jornalista da "NBC" a Netanyahu sobre a possibilidade de um pacto com o Hamas para a libertação de mulheres, crianças e idosos feitos reféns em 7 de outubro. 

"Pode ser", respondeu ele, "mas quanto menos eu me manifesto sobre o assunto, mais aumento as chances de isso se concretizar", declarou. De acordo com Netanyahu, a situação avança, graças à pressão militar israelense na Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas.

"Não estávamos nem perto de um acordo até que começamos as operações terrestres", disse Netanyahu. "Mas, no momento em que iniciamos as operações terrestres, as coisas começaram a mudar", alegou. 

"Pressionar os dirigentes do Hamas é o que pode produzir um acordo e, se houver um acordo, falaremos sobre ele quando houver. Vamos anunciá-lo, se for alcançado", acrescentou. 

Israel prometeu "aniquilar" o Hamas, depois do sangrento ataque cometido em 7 de outubro pelo movimento islamista em seu território, que deixou em torno de 1.200 mortos, a maioria civis, segundo as autoridades. Cerca de 240 pessoas foram sequestradas e levadas para Gaza, segundo a mesma fonte.

(AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!