reservista do exército

Quem é filho de Netanyahu criticado por não ter ido à guerra contra o Hamas

Ele está em Miami desde abril, para onde foi mandado depois de quase implodir o governo do pai com mensagens incendiárias

Por Agências
Publicado em 27 de outubro de 2023 | 20:44
 
 
 
normal

Yair Netanyahu, filho mais velho do premiê de Israel, Binyamin Netanyahu, nunca foi uma figura popular. Aos 32 anos, podcaster e ativista, ele está em Miami desde abril, para onde foi mandado depois de quase implodir o governo do pai com mensagens incendiárias nas redes sociais.

Normalmente, o retiro de Yair passaria incólume não fosse um detalhe: ele é reservista e faz parte do departamento de comunicações do Exército. As fotos do podcaster tomando sol em Miami Beach não caíram bem entre os soldados israelenses, que se queixaram da ausência do rapaz em um momento delicado para Israel.

Cerca de 360 mil reservistas - como Yair - foram convocados para defender o país e muitos estão mobilizados na fronteira de Gaza. "Yair está aproveitando a sua vida em Miami, enquanto estou na linha de frente", reclamou um soldado, que não foi identificado pelo jornal britânico The Times.

"Voltei dos EUA, onde tenho um emprego, uma vida, minha família", disse outro reservista ao jornal. "Não posso ficar lá e abandonar o meu país neste momento crítico. Mas onde está o filho do primeiro-ministro? Por que ele não está em Israel?"

Não é a primeira vez que Yair causa constrangimento ao pai. Em 2018, ele apareceu em um vídeo do lado de fora de um clube de strip-tease de Tel-Aviv.

Nas imagens, ele faz declarações indevidas sobre relações comerciais do pai durante uma conversa com um dos seus amigos, Nir Maimon, que é filho de Kobi Maimon, um dos homens mais ricos de Israel.

Aparentemente bêbados, os dois jovens estão num carro com outro amigo, Roman Abramov, que é colaborador em Israel do milionário australiano James Packer. Ao lado, também estão um motorista e um guarda-costas. Não se sabe qual é a origem da gravação, mas ninguém - nem mesmo Yair - questionou sua autenticidade.

Primeiro, Yair fala de mulheres do clube e de prostitutas em linguagem vulgar. Depois, faz referência a um acordo importante para a exploração de campos de gás descobertos no Mediterrâneo ao largo da costa de Israel. O pai de Nir Maimon é um dos principais acionistas da Isramco, uma das empresas que operam esses campos de gás.

"Meu pai fez o seu ganhar US$ 20 bilhões, então você poderia me dar 400 shekels (a moeda israelense)", diz Yair a Nir.

O primeiro-ministro israelense era questionado por seus vínculos com milionários. Além disso, foi suspeito de ter recebido presentes de personalidades, entre eles o australiano Packer e um produtor de Hollywood, Arnon Milchan.

Yair chegou a pedir desculpas após a divulgação do vídeo, afirmando que suas palavras, pronunciadas sob o efeito do álcool, não deveriam ter sido ditas. Sobre as declarações relacionadas aos campos de gás, o jovem justificou-se dizendo que se tratava de uma brincadeira. Na época, o primeiro-ministro também saiu em defesa do filho e disse que o criou para respeitar as mulheres. E também justificou as palavras de Yair pela influência de bebidas alcóolicas.

Dívida no Brasil

Conhecido por seus excessos e esbanjamentos, Yair deixou uma dívida de quase R$ 10 mil reais ao vir ao Brasil acompanhar o pai em dezembro de 2018, informou o jornal israelense Haaretz. Segundo a publicação, a conta inclui despesas de quatro noites e contas extras para serviços como lavanderia e serviço de quarto

Desde a saída de Yair, o hotel Hilton, na Avenida Atlântica, em Copacabana, buscou um reembolso de R$ 9.820,66 pela conta. O hotel chegou a procurar o Ministério das Relações Exteriores de Israel, na época.

Yair ficou hospedado entre os dias 28 a 31 de dezembro de 2018. O custo para as duas primeiras noites, incluindo lavanderia e serviço de quarto, foram de R$ 1.836, enquanto o das duas últimas noites foi de R$ 2.827, aparentemente em função da festa de Ano Novo.

Mau comportamento no Exército

Em 2012, aos 19 anos, Yair foi castigado com 21 dias de confinamento por ter se atrasado para seu serviço no Exército, segundo o jornal espanhol El Mundo. O primogênito do primeiro-ministro de Israel cumpria, na época, o serviço militar obrigatório, que tem duração de três anos para jovens israelenses.

Yair servia nas proximidades de Jerusalém, no escritório de Comunicação do Exército. De acordo com o El Mundo, o rapaz teria chegado no serviço atrasado várias horas, durante as quais superiores tentaram localizá-lo. O jornal israelense Yediot Aharonot disse que Yair abandonou o posto sem permissão para almoçar com a família durante o Shabat, dia sagrado dos judeus.

Em novembro de 2020, Yair lançou seu próprio podcast - chamado The Yair Netanyahu Show, com episódios em inglês e hebraico. Seu primeiro convidado foi o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP).

No início do ano, a emissora Chanel 12 relatou que o premiê pediu que Yair parasse de contatar ministros para exigir uma posição mais dura em favor da reforma do Judiciário. Até agora, a família Netanyahu diz que as denúncias contra o filho do premiê são "mentiras" e não passam de perseguição política.

(Estadão Conteúdo)
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!