Ramadã: saiba como é o período sagrado dos muçulmanos que começa nesta quarta

O avistamento da lua crescente marca o início do Ramadã, momento de piedade e autorreflexão para os muçulmanos em todo o mundo.

Por O TEMPO
Publicado em 22 de março de 2023 | 10:24
 
 
 

O Ramadã, nono mês lunar do calendário islâmico, é um período sagrado, em que os muçulmanos fazem orações e jejuam diariamente. A data muda todos os anos porque segue as fases da lua, mas sua duração, que vai de 29 a 30 dias, nunca é alterada. Este ano teve início na noite desta quarta-feira, 22, e vai até o dia 23 de abril, com celebrações do Eid al-Fitr.

O início e o fim do Ramadã são definidos por uma comissão de avistamentos lunares na Arábia Saudita. Portanto, o mês sagrado começa no dia seguinte ao avistamento da lua crescente, que nem sempre está acessível, pois sua aparição é bem sutil e dura apenas cerca de 20 minutos. Se a lua não fica visível a olho nu devido à neblina ou às nuvens, são realizados cálculos lunares para prever se ela está no céu. 

Durante o Ramadã, o livro sagrado do Islã recomenda que os fiéis deixem de comer, beber, fumar e ter relações sexuais durante o dia. A prática é um dos cinco pilares básicos que todo muçulmano com condições físicas e financeiras deve cumprir.

Origem do Ramadã

O Ramadã, um dos meses do calendário islâmico, também fazia parte dos antigos calendários árabes. O nome do período sagrado deriva da raiz árabe “ar-ramad”, que significa “calor escaldante”. 

Os muçulmanos acreditam que, em 610 d.C., o anjo Gabriel apareceu ao profeta Maomé e revelou a ele o Alcorão, o livro sagrado do Islã. Acredita-se que essa revelação, Laylat Al Qadar — ou a “Noite do Poder” — tenha ocorrido durante o Ramadã.  Para os muçulmanos, foi durante este mês que os primeiros versículos do Alcorão foram revelados ao profeta Muhammad há mais de 1.400 anos.

Práticas do Ramadã

Durante o período, o livro sagrado do Islã recomenda que os fiéis deixem de comer, beber, fumar e ter relações sexuais durante o dia. Também inclui a proibição ao consumo de cigarros e à menção de palavras profanas (xingamentos), e não é permitido que as pessoas briguem, desentendem-se ou mintam umas para as outras.

Somam-se a essas práticas a leitura do Alcorão e a realização das cinco orações diárias. Todas essas ações visam à aproximação do fiel com Allah e a seu crescimento espiritual. 

No mês sagrado islâmico em Lahore, devotos muçulmanos mantêm o distanciamento social durante as  orações

As prática fazem parte dos cinco pilares do islã que todo muçulmano com condições físicas e financeiras deve cumprir.

  • Os pilares do islã:
  • Shahada: a profissão da fé;
  • Salat: orações diárias;
  • Zacat: esmola, caridade;
  • Saum: jejum durante o Ramadã;
  • Hajj: peregrinação a Meca.

O jejum é um dos cinco pilares do Islã, considerado um ato de autopurificação, que leva as pessoas a ter força e paciência e a conhecer a si mesmos. Ele deve ser mantido entre o nascer e o pôr do sol. No entanto, há exceções previstas no texto sagrado. Os muçulmanos entendem que os seguintes grupos não precisam jejuar no Ramadã:

  • Idosos
  • Crianças
  • Doentes
  • Pessoas em viagem
  • Mulheres grávidas
  • Mulheres em amamentação
  • Mulheres menstruadas

Em todos esses casos, o jejum pode ser feito em outro momento do calendário islâmico, mas deve ocorrer antes do início do Ramadã do ano seguinte. Caso o jejum não possa ser observado de maneira alguma, a pessoa pode substituí-lo por uma prática de caridade. No caso, uma pessoa necessitada deve ser alimentada, e o ato deve ocorrer uma vez por dia, durante o período de extensão do Ramadã.

Por que o Ramadã é importante para os muçulmanos?

Segundo a crença islâmica, no período do ramadã o indivíduo fortalece sua solidariedade e gratidão a Deus ao jejuar em conjunto. 

O período sagrado também é de caridade, quando a maioria dos muçulmanos faz o zakat, que é uma espécie de doação para os pobres. Ele também é considerado um mês especial de devoção a Alah, principalmente por meio das orações e a leitura do Alcorão, o livro sagrado islâmico.

Quando ocorre o Ramadã?

De acordo com a Agência de Imprensa Saudita, as previsões indicam que a lua crescente estará visível no ceú de Meca, na Arábia Saudita, 

Em 2023, o Ramadã terá duração de 30 dias e se estenderá de 22 de abril até o dia 23 de abril. Nos próximos anos, esse evento religioso se iniciará nos seguintes datas:

  • 2024: 10 de março
  • 2025: 28 de fevereiro
  • 2026: 17 de fevereiro

Paradoxalmente, o mês do jejum é também o mês no qual há maior despesa com alimentos nos lares

Quando termina o Ramadã?

Este ano, na maioria dos países muçulmanos, ele terminará em 23 de abril, quando é realizado o Eid al-Fitr, uma festividade que dura três dias e celebra o fim do mês de jejum. Nessa ocasião, os muçulmanos se reúnem para rezar, comer, trocar presentes e ir ao cemitério lembrar os parentes mortos.

*Com informações de Estdão Conteúdo e National Geographic

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!