MUNDO

Satélite faz manobra inédita antes de se desintegrar

Feito minimizou riscos de queda de detritos no solo do satélite Aeolus, que retornou à Terra na sexta-feira

Por Agência
Publicado em 29 de julho de 2023 | 14:54
 
 
 

Paris. O satélite europeu Aeolus - que chegou ao fim de sua missão em órbita - regressou "com sucesso" à Terra, após uma manobra inédita para minimizar o risco de queda de detritos no solo, anunciou neste sábado (29) a Agência Espacial Europeia (ESA, em sua sigla em inglês).

O satélite de observação da Terra foi lançado em 2018 para medir os ventos. Em seu regresso, ele entrou na atmosfera de forma controlada, após vários dias de manobras para baixar sua órbita.

Com pouco mais de uma tonelada, a nave que operava a uma altitude de 320 quilômetros desceu gradualmente até aos 120 quilômetros. Entrou depois na atmosfera, onde se desintegrou na noite de sexta-feira.

Aeolus "entrou com sucesso no corredor pretendido, sobre a Antártica, onde há menos população no mundo", disse à AFP o engenheiro da ESA, Benjamin Bastida, responsável pelos detritos espaciais.

O satélite foi projetado no final dos anos 1990 e não tinha a potência de propulsão necessária para controlar sua queda, indicou o engenheiro.

As manobras de assistência controlada na atmosfera são frequentes para satélites recentes. (Agence France-Presse)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!