pena de morte

Texas prepara execução de homem que matou policial

Durante seu julgamento, Wesley Ruiz afirmou ter temido por sua vida e atirou em um ato de legítima defesa

Por Agências
Publicado em 01 de fevereiro de 2023 | 17:39
 
 
 

Um homem condenado à morte pelo assassinato de um policial será executado na noite desta quarta-feira (1º) no estado do Texas, no sul dos Estados Unidos, apesar das suspeitas de racismo que mancharam seu julgamento. 

A menos que a Suprema Corte dos Estados Unidos lhe conceda um indulto de última hora, Wesley Ruiz, um latino-americano de 43 anos, receberá uma injeção letal na Penitenciária de Huntsville. 

Em 2007, em Dallas - também no Texas -, Ruiz foi perseguido pela polícia que suspeitava que seu veículo estivesse envolvido em um homicídio. No final da perseguição, ele atirou em um policial que tentava quebrar o vidro de seu carro com seu cassetete. A bala acabou matando esse agente.

Durante seu julgamento, Wesley Ruiz afirmou ter temido por sua vida e atirou em um ato de "legítima defesa", segundo a imprensa local. Os jurados ainda assim o condenaram à pena de morte. 

Nos anos seguintes, seus advogados apresentaram, sem sucesso, vários recursos para contestar a sentença. 

Com a proximidade da data da execução, apresentaram uma apelação urgente argumentando que os jurados se basearam em elementos "abertamente racistas" e "estereótipos claramente hostis contra os latinos" ao avaliar a periculosidade de Ruiz.

Seu recurso foi negado em primeira instância e agora está na Suprema Corte. 

Wesley Ruiz também foi incluído em um processo movido por vários presidiários no corredor da morte no Texas, que acusam os serviços penitenciários estaduais de prorrogar as datas de validade de substâncias letais usadas em execuções.

(AFP)
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!