declaração

Trump se prepara para lançar sua candidatura para as eleições de 2024

O bilionário republicano prometeu um grande anúncio em sua luxuosa residência em Mar-a-Lago, na Flórida, nesta terça-feira

Por Agências
Publicado em 15 de novembro de 2022 | 16:07
 
 
 

Donald Trump deve anunciar, nesta terça-feira (15), sua candidatura para a eleição presidencial de 2024, ignorando os apelos de dentro do Partido Republicano para que volte atrás devido ao mau desempenho dos candidatos leais ao magnata nas eleições de meio de mandato.

O bilionário republicano prometeu um "grande anúncio" em sua luxuosa residência em Mar-a-Lago, na Flórida, às 21h de terça-feira (23h, no horário de Brasília).

Seu assessor Jason Miller prometeu uma declaração "muito profissional, muito formal", embora seja esperado que o ex-presidente esteja cercado por um grupo de apoiadores "com cartazes".

Mas Trump é imprevisível e pode mudar de ideia no último minuto. 
Adiar o anúncio, como sugerido por alguns de seus assessores, seria complicado, considerando que ele já se gabou de que é "talvez o discurso mais importante já feito na história dos Estados Unidos".

Trump deixou Washington depois que seus apoiadores invadiram o Capitólio. Mas optou por permanecer na arena política e continuar arrecadando fundos e realizando comícios em todo o país.

Antes das eleições de meio de mandato de 8 de novembro, Trump parecia determinado a aproveitar a derrota prevista para os democratas e o sucesso esmagador dos republicanos para voltar triunfante.

Mas a onda vermelha, a cor dos republicanos, com a qual os conservadores contavam, não aconteceu.

Os democratas mantêm o controle do Senado e, embora os republicanos provavelmente recuperem o controle da Câmara dos Representantes, será por uma margem menor do que pensavam.

Para piorar a situação, uma de suas aliadas mais próximas, Kari Lake, não conseguiu se eleger governadora do Arizona na segunda-feira.

Esses resultados decepcionantes, especialmente os de alguns dos candidatos apoiados por Trump, obscurecem seus planos presidenciais. Vozes republicanas influentes pediram inclusive que ele se afastasse da liderança do partido.

O ex-vice-presidente Mike Pence, que publica nesta terça-feira suas memórias, nas quais relata as pressões que sofreu para não certificar os resultados das eleições presidenciais de 2020, recusou-se a comentar se Trump deveria concorrer novamente, em uma entrevista à rede ABC.

“Isso depende do povo americano, mas acho que teremos melhores opções daqui para frente”, disse Pence, cujo nome também está entre os possíveis candidatos.

Duelo na Flórida?

Parte dos conservadores aposta em outro possível candidato à Casa Branca: o governador da Flórida, Ron DeSantis, de 44 anos.

A nova estrela da extrema-direita saiu fortalecida das eleições de meio de mandato e alertou que sua luta está "apenas começando".

No momento, Trump mantém uma popularidade inegável entre a base e as pesquisas continuam a mostrá-lo como o vencedor nas primárias republicanas.

Mas os inúmeros problemas legais do ex-presidente ameaçam sua volta à Presidência americana.

Trump é alvo de várias investigações por seu papel no ataque à sede do Congresso, em 6 de janeiro de 2021, e por sua gestão dos arquivos da Casa Branca, entre outros.

Mas ele, seguindo seu "instinto", como sempre, sabe que até agora sobreviveu a todos os escândalos e ainda está de pé, apesar das inúmeras vezes em que o deram por derrotado.

(AFP)
                
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!