perdeu de novo

Trump volta a ser declarado culpado por difamar escritora

Este é o segundo processo movido por E. Jean Carroll, a autora que o acusa de estupro

Por Agências
Publicado em 06 de setembro de 2023 | 20:30
 
 
 
normal

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi novamente considerado culpado, nesta quarta-feira (6), por difamar E. Jean Carroll, a autora que o acusa de estupro, uma decisão que abre caminho para uma indenização adicional por danos.

Trump, que planeja concorrer novamente à Casa Branca em 2024, já havia sido considerado responsável em maio por um júri de um tribunal civil em Nova York por "agressão sexual" em 1996 a esta ex-colunista da revista Elle, bem como difamá-la em comentários feitos em outubro de 2022.

No entanto, Carroll também havia processado Trump por declarações anteriores, relacionadas às suas primeiras acusações de estupro, que estavam em um livro.

Na época, o então presidente dos Estados Unidos afirmou, em junho de 2019, que a autora havia inventado essas acusações para "vender um novo livro". Este caso foi adiado devido a disputas legais, mas continuou avançando e um segundo julgamento por júri foi marcado para 15 de janeiro de 2024.

O juiz Lewis Kaplan, do Tribunal do Distrito Sul de Nova York, já decidiu nesta quarta-feira, com base na sentença de maio, que os comentários de Trump em 2019 também eram "difamatórios", "falsos" e "maliciosos".

Isso significa que a jurisdição do júri se limitará a decidir o valor da indenização que Trump terá que pagar a Carroll.

"Continuamos muito confiantes de que o veredicto de 'Carroll II' (dado em maio) será revertido em apelação, tornando a decisão (dada nesta quarta-feira) discutível", disse uma das advogadas de Trump, Alina Habba.

Em seu caminho rumo a um possível retorno à Casa Branca, Trump, de 77 anos, enfrenta vários revezes legais. 

Em particular, ele foi acusado pelas autoridades federais de "conspiração contra o Estado" por tentar permanecer no poder apesar de sua derrota nas eleições presidenciais de 2020. Além disso, enfrenta processos judiciais na Geórgia por tentar anular o resultado da votação neste estado-chave.

Ele também está sendo processado pelo governo federal no caso dos Arquivos da Casa Branca, uma investigação sobre sua negligência no manuseio de documentos confidenciais.

(AFP)
                
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!