Da redação
@otempo
18/04/21
20h23

Polêmica

Brasileiro feminino: Cruzeiro se revolta com pênaltis não marcados em estreia

Cabulosas ficaram no 1 a 1 contra o Real Brasília-DF, neste domingo (18), no Sesc Venda Nova, e lances geraram muita reclamação

O Cruzeiro lutou muito, acabou ficando no empate contra o Real Brasília neste domingo (18) — Foto: Igor Sales/Cruzeiro
Da redação | @otempo
18/04/21 - 20h23

O Cruzeiro queria começar o Campeonato Brasileiro Feminino da Série A1 com o pé direito, mas o empate diante do Real Brasília-DF neste domingo (25), no Sesc Venda Nova, em Belo Horizonte, frustrou as expectativas da equipe comandada pelo treinador Marcelo Frigério. O time celeste começou o jogo perdendo, mas buscou o empate no segundo tempo com a atacante Mariana Santos. No fim da partida, as Cabulosas, como são chamadas as jogadoras celestes, pediram dois pênaltis em lances polêmicos, que geraram muita reclamação por parte das atletas. A atacante Pâmela foi derrubada em duas tramas do ataque cinco estrelas, mas a arbitragem mandou o jogo seguir.

Mariana falou sobre o gol que deu o empate ao Cruzeiro na estreia da competição: “A importância do gol é que dá confiança para mim e para o grupo, e porque foi em cima daquilo do que estamos treinando, praticando todos os dias. Foi uma bola na diagonal, um chute cruzado, e consegui sair feliz com a bola dentro da rede”. O próximo confronto da Raposa pela elite do futebol nacional será nesta quarta-feira (21), às 20h, diante do Grêmio.

O primeiro tempo foi marcado por um jogo equilibrado, com as duas equipes buscando abrir o placar, mas pecando nas finalizações. O Cruzeiro não traduziu a maior posse de bola em chances de gol e viu o adversário abrir o placar aos 36 minutos. A meio-campista Marcela Guedes recebeu boa bola de Camila Pini e chutou no ângulo direito de Mary Camilo, que nada pôde fazer.

Na etapa final, as Cabulosas buscaram o empate a todo o momento e ele quase veio aos 17 minutos, quando Vanessinha cobrou falta na área. No rebote, Duda tentou surpreender a goleira Flávia com um toque por cobertura, mas a bola subiu demais. O gol saiu pouco depois, aos 24 minutos: em jogada trabalhada pela dupla de ataque cruzeirense, Pâmela ajeitou a bola para Mariana Santos, que chutou rasteiro e venceu a arqueira.

No fim da partida, o Real Brasília-DF assustou e quase fez o gol da vitória. Não fosse a intervenção da goleira Mary Camilo, que parou a ofensiva adversária em duas grandes defesas após chutes de Rafa Soares, o Cruzeiro poderia ter saído de campo com outro resultado que não o empate nesta estreia no Campeonato Brasileiro Feminino da Série A1.

---

Em tempos de desinformação e pandemia, o jornal O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Continue nos apoiando. Assine O TEMPO.

Escreva um comentário
Comentar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000