Lançamento

Feira MTM: Rota das Artes passa por Grande BH, Ouro Preto, Mariana e Congonhas

Apresentado neste sábado (27), novo roteiro turístico reúne cultura, culinária e patrimônio, destacando o turismo de experiência


Publicado em 27 de abril de 2024 | 18:56 - Atualizado em 15 de maio de 2024 | 09:06
 
 
 

O governo de Minas apresentou uma nova rota turística no segundo e último dia da feira MTM – Minas Travel Market, neste sábado (27/04), no Minascentro, em Belo Horizonte. A Rota das irá impulsionar o desenvolvimento econômico e a geração de emprego e renda nas regiões atravessadas pelo projeto. O roteiro abrange oito municípios de Belo Horizonte, São Joaquim de Bicas, Igarapé, Brumadinho, Congonhas, Ouro Branco, Ouro Preto e Mariana. As cidades estão divididas em três destinos, que oferecem, ao todo, 16 experiências.    

São elas Palácio da Liberdade, Museu das Minas e do Metal, Inhotim, Arte, Cerâmica e Brunch no Ateliê, Arte em Cerâmica no Mirante, Brunch na Vila Lavanda, Coração em Branco, Alquimia dos Quintais, 4 Estações com o Chef, Da Cozinha ao Quintal da Mestra e Arte em Madeira, do Santuário do Bom Jesus do Matosinhos, Museu de Congonhas, Cerâmica Saramenha, Ateliê Edney do Carmo e Restaurante Sebastião. 

O secretário Leônidas Oliveira durante o lançamento da Rota das Artes

A Rota das Artes irá potencializar ainda mais o fluxo turístico no Estado, que teve o maior crescimento no país no primeiro bimestre de 2024, com alta de 7,6% em comparação ao mesmo período do ano passado, e é líder também no desempenho acumulado nos últimos 12 meses, de março de 2023 a fevereiro deste ano, com crescimento (12,6%) superior ao dobro da média nacional (4,9%), segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Minas Gerais é uma potência cultural e a cultura possui na arte um dos seus grandes fundamentos. Belo Horizonte, Brumadinho, Ouro Preto e a região metropolitana possuem destinos excepcionais, seja no barroco seja na arte contemporânea ou no modernismo marcante. Hoje, nós lançamos a Rota das Artes e uma press trip, para trazer a imprensa para conhecer esses destinos que são referência mundial na arte e na criatividade”, destaca Leônidas de Oliveira, secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas de Oliveira. 

Rota das Artes passa por Ouro Preto

“Participar da Rota das Artes é de um valor imensurável. Desde o seu lançamento, o Destino Veredas vem trabalhando do tradicional ao contemporâneo por termos Inhotim, que é indutor e referência internacional. Todas as experiências são com marco zero no Inhotim. Trouxemos essa nova forma de vivenciar experiências, sempre valorizando o tradicional, pois não podemos perder a essência, mas trazendo a pitada do contemporâneo”, afirma Érica Maia, gestora da Instância de Governança Regional (IGR) Veredas. 

A diretora-executiva do Circuito do Ouro, Márcia Martins: “A Rota das Artes conecta BH a duas grandes regiões turísticas de Minas Gerais, o Circuito do Ouro e Destino Veredas, e tem uma abordagem que permite a essas regiões repensarem a forma de se apresentar junto ao mercado e seguindo as tendências mundiais. No Circuito do Ouro, a Rota das Artes valoriza o trabalho dos artistas e incentiva o empreendedorismo”. 

A participação no Minas Travel Market é uma iniciativa do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, realizada em parceria com o Centro Universitário UniBH, com patrocínio da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) e apoio do Sebrae Minas. As ações também fazem parte do projeto “Ano da Cozinha Mineira – Clássica e Contemporânea”, lançado em março, e do programa Mais Turistas.

Segundo pesquisa realizada pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, mais de 2.000 visitantes passaram pelos dois estandes do governo do Estado nos dois dias do Minas Travel Market. O principal segmento turístico trabalhado pelos expositores foi o ecoturismo. Cerca de 80 negócios foram estabelecidos durante a feira. Dentre os principais estão os alinhamentos com agências, operadoras e guias dentro e fora de Belo Horizonte. Parcerias com grupos de ecoturismo e apresentação de ferramentas de inovação de turismo também foram destacadas.

Promoção

O chef Michel Abras preparou o prato o prato Aconchego de Vó Zarinha

Valorização do patrimônio histórico e da Cozinha Mineira como potência cultural e turística, música, negócios e literatura também fizeram parte das ações no estande do governo do Estado no evento, que reuniu representantes de 19 Estados brasileiros e cerca de 2.000 profissionais de turismo na capital mineira.

O estande mineiro foi palco, neste sábado (27) do projeto Cozinha Viva com o chef Michel Abras, que homenageou a tradição do Jequitinhonha com o prato Aconchego de Vó Zarinha, uma linguiça caipira ao molho de rapadura e capim- santo com requeijão moreno, farofinha de andu verde e arroz de quintal. No encerramento do MTM, o chef Sinval Espírito Santo comandou a ação de capacitação “Cozinha Mineira e turismo de experiência: dos causos aos cases”. O estande de Minas também recebeu os artistas Thomas Atelie, com a experiência da arte em madeira, e Edson Lana, que demonstrou seu trabalho com pedra-sabão. O encerramento foi com pocket-show dos alunos da UniBH.

 

 

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!