POLÍCIA INVESTIGA

Funcionários de clínica de reabilitação em MG são presos por maus-tratos, tráfico e sequestro; internos relatam 'sala de tortura'

Dependentes químicos que viviam no local afirmam que eram sedados quando tentavam fugir

Por Matheus Oliveira
Publicado em 10 de junho de 2024 | 12:37 - Atualizado em 10 de junho de 2024 | 12:39
 
 
 

O "ambiente acolhedor" e o "tratamento humanizado" prometido pelo Centro Terapêutico Caminho de Luz, em Machado, no Sul de Minas, contrasta com denúncias de internos, que relataram à Polícia Civil (PC) terem sido vítimas de torturas físicas e psicológicas na clínica de reabilitação.

Na última quinta-feira (6 de junho), uma inspeção no local levou cinco pessoas à prisão em flagrante pelos crimes de tortura, maus-tratos, tráfico de drogas, sequestro, cárcere privado e organização criminosa.

A ação, realizada em conjunto pela PC com o Ministério Público e a Vigilância Sanitária, ainda constatou "diversas irregularidades nas condições sanitárias" da clínica, voltada para dependentes químicos.

Um cenário bem distante do que o centro terapêutico relata oferecer aos internos em divulgação no próprio site. "Nosso principal objetivo é proporcionar um ambiente acolhedor e de apoio", afirma. "Estamos preparados para receber pacientes com muita qualidade e conforto em nossas instalações. Oferecemos tratamento humanizado."

Entretanto, segundo a PC, internos (homens de 19 a 54 anos) relataram a existência de uma 'sala de tortura'. Nela, os policiais encontraram objetos que, segundo as vítimas, eram usados nos maus-tratos, como faixas e cinturões com braceletes para imobilização.

Também foram achados recipientes com substâncias identificadas como álcool e outras drogas, além de caixas de remédios controlados sem prescrição e blocos de receitas em branco assinados por um médico. De acordo com a PC, os internos contaram que os medicamentos eram usados para sedá-los quando tentavam fugir da clínica e eram administrados por qualquer funcionário.

Em meio à inspeção, o gerente do centro terapêutico tentou fugir, mas foi preso pela Polícia Militar. Os funcionários detidos foram encaminhados à delegacia. Documentos foram apreendidos para o prosseguimento da investigação.

A O TEMPO, uma funcionária do Centro Terapêutico Caminho de Luz afirmou que a clínica "só vai se comunicar com a imprensa quando tudo estiver resolvido."

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!