TRAGÉDIA GAÚCHA

Inundações no RS: Perdas no setor automotivo podem chegar a R$ 528 milhões

Representando quase 7% do mercado de carros usados no Brasil, Rio Grande do Sul perde com paralisação das vendas

Por Autotempo
Publicado em 29 de maio de 2024 | 17:08
 
 
 

A recente tragédia no Rio Grande do Sul começa a revelar sua verdadeira dimensão à medida que as águas das enchentes recuam. Imagens de cemitérios de carros cobertos de lama ilustram a extensão do prejuízo, que vai além das perdas de vidas e imóveis, afetando gravemente famílias e empresários do setor de veículos.

Estimativas indicam que entre 5% e 10% da frota total de carros do estado, que soma cerca de 2,8 milhões de veículos, ficou inutilizada. Esse impacto é particularmente significativo, considerando que o Rio Grande do Sul representa 5,5% do mercado brasileiro de vendas de veículos usados.

Impacto nas concessionárias

No estado, as 232 concessionárias mapeadas pela plataforma Auto Avaliar, das quais 134 integram o sistema da empresa, tinham um estoque total de 3.850 carros.

Em abril, as vendas ao consumidor final somaram 2.857 unidades. No mesmo mês, as concessionárias receberam 17.250 avaliações, representando 6,8% do volume total no Brasil.

Segundo o Estudo Megadealer de Performance de Veículos Usados (PVU), o ticket médio dos carros usados vendidos em maio foi de R$ 80 mil. Aplicando esse valor ao estoque das concessionárias gaúchas, o total chega a aproximadamente R$ 300 milhões. As vendas ao consumidor final em abril representam cerca de R$ 228,5 milhões.

Crise sem precedentes

“O setor passa por uma crise sem precedentes, pois mesmo aqueles que não perderam parte da sua frota sofrem com a queda da demanda, já que a economia se encontra estagnada e vai se manter assim por um tempo, prejudicando o giro de estoque”, afirma o CEO da Auto Avaliar, J.R. Caporal.

Diante da magnitude dos danos, espera-se que a demanda permaneça paralisada inicialmente, seguida por um forte crescimento, mas com mudanças nos hábitos de consumo. Caporal compara a situação com o furacão Katrina, que devastou Nova Orleans em 2005. Após o desastre, houve um aumento significativo da demanda impulsionada pelas indenizações das seguradoras.

“Como não havia estoque suficiente, parte da demanda foi suprida por concessionárias fora dos limites da cidade de Nova Orleans”, relembra Caporal, observando que também houve uma mudança nas preferências dos consumidores, com maior busca por picapes.

Desafios de seguro e estoque

No Rio Grande do Sul, Caporal pondera que nem todas as apólices de seguro cobrem desastres naturais dessa magnitude. O volume de estoque das concessionárias não afetadas é pequeno e pode não ser suficiente para atender à demanda futura.

A Auto Avaliar está auxiliando as concessionárias e lojas multimarcas parceiras a fomentar as vendas para outros estados, desenvolvendo uma vitrine especial em seu marketplace.

“Desta forma, os compradores podem priorizar a aquisição de veículos das concessionárias gaúchas, pois encontramos formas de enviar estes carros para fora do estado. Além disso, todos os carros oferecidos têm a procedência garantida, reduzindo as dúvidas dos compradores se foram ou não afetados pela enchente”, ressalta Caporal.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!