ECONOMIA

Inflação sobe em BH, puxada pelos preços dos carros novos e da gasolina

Alta foi de 0,68% nas últimas quatro semanas, segundo o Ipead


Publicado em 11 de outubro de 2023 | 15:46
 
 
 
normal

A inflação em Belo Horizonte teve alta de 0,68% nas últimas quatro semanas (período de 08 de setembro a 07 de outubro de 2023), segundo levantamento divulgado nesta quarta-feira (11) pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead). No decorrer deste ano, a alta média de preços é de 5,93% na capital mineira. 

O aumento da inflação nos últimos 30 dias em BH está principalmente relacionado à alta do preço médio dos carros novos (+3,04%) e da gasolina comum (+3,38%). 

Outros itens tiveram crescimento de preços até maiores na cidade, como as excursões, o tapete e os carros usados. No entanto, os carros novos e a gasolina têm um impacto maior na inflação, segundo o Ipead. 

Por outro lado, alguns produtos e serviços também tiveram redução do preço médio na capital mineira nas últimas quatro semanas.

A maior queda foi da calça comprida feminina (-10,10%), mas o serviço de dentista, as joias, as refeições fora de casa e o conserto do carro também estão mais baratos.

Desses itens, a refeição fora de casa é a que tem o maior impacto na inflação.

MAIORES CONTRIBUIÇÕES POSITIVAS DA INFLAÇÃO EM BH

  1. Carro novo: 3,04%
  2. Gasolina comum: 3,38%
  3. Excursões: 2,63%
  4. Tapete: 7,93% 
  5. Carros usados: 3,98%

MAIORES CONTRIBUIÇÕES NEGATIVAS DA INFLAÇÃO EM BH

  1. Refeição fora de casa: -0,48%
  2. Dentista: -2,41%
  3. Conserto de carro: -1,96%
  4. Calça comprida feminina: -10,10%
  5. Joias: -5,11%

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!